Carregando...

"Bom dia! Jesus, nos acolha em seu coração para que sejamos capazes de perceber tudo aquilo que é preciso ser trabalhado em nós. Deus quer curar nossas feridas, mas para isso precisamos estar atentos, escutar a palavra e fazer escolhas que orientem o rumo de nossas vidas. Que seu dia hoje seja de escuta e você possa sentir o trabalhar de Deus para enfrentar os desafios com fé e coragem." -

São Pedro Chanel e São Luís Maria Grignion de Monfort

Última atualização: 30/04/2021 | 19:19:34

Por Bruna Pompeu - Equipe Jornalismo PASCOM

Hoje, 28 de Abril, a Santa Igreja celebra a memória de dois grandes Santos: Padre Pedro Chanel e São Luís Maria Grignion de Montfort.

 

Nascido em Cuet, em 12 de  julho de 1803. Pierre, ou melhor, Pedro! Foi batizado em 16 de julho, memória litúrgica da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, este foi apenas o início de uma vida dedicada a Nossa Senhora.

 

Apesar de ter nascido em uma família rica, Pedro era um menino simples e educado. João Trompier, pároco de Cras-sur-Reyssouze, foi quem percebeu o dom de Pedro para o sacerdócio, e em novembro de 1814, ele foi convidado para começar a estudar no seminário de sua paróquia. Ainda adolescente, se apaixonou pela vida missionária através das cartas enviadas pelos missionários.

 

Em 1827, foi ordenado sacerdote e nomeado vigário em em Ambérieu e pároco em Crozet, mas o sonho de se dedicar a vida missionária nunca morreu em seu coração, pediu duas vezes ao Bispo para partir em missão, mas os pedidos não foram aceitos. Pouco tempo depois, se juntou com alguns colegas de sacerdócio e foi fundada a Congregação dos Maristas.

 

Padre Pedro Chanel, chega a Oceania em 1837, onde se dedicou ao cuidado de idosos e enfermos. Após dois anos na ilha, muitos começaram a se converter ao catolicismo. O sucesso dos religiosos, provocou ira no rei Niuliki, que ao ver seu reino ameaçado, iniciou uma caça aos missionários. Ao saber da conversão de seu filho, o príncipe Meitala, o rei mandou matar Padre Chanel, em 1841. O Padre, se tornou o primeiro mártir da Oceania.

 

Também francês, São Luís Maria Grignion de Montfort, nasceu em 1673. Fruto de uma família numerosa, seu maior desejo era ser sacerdote e missionário no Canadá, mas foi destinado a cidade de Poitiers na França, onde ficou conhecido por sua sabedoria e sermões. São Luís foi um homem de oração, amante da Santa Cruz, dos pobres e doentes. Como fiel escravo da Virgem Maria, se dedicou a ensinar o caminho mais rápido para chegar a Jesus: se consagrando totalmente a Maria.

 

Muito tentado pelo demônio, pediu ao seu bispo para sair da França, mas seu pedido não foi aceito. E com o auxílio de Nossa Senhora e a força do Espírito Santo, encontrou forças para vencer as perseguições e combater os jansenistas, grupo religioso contrário à Santa Igreja.

O Santo, também é fundador das Filhas da Sabedoria e  Companhia de Maria, além de ser recordado por seus escritos marianos, como o Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, escrito em 1712. Livro, no qual, permaneceu escondido em um cofre por 150 anos, sendo encontrado apenas em 1842 e hoje é referência mundial quando se trata da devoção à Virgem Maria. Inspirado por São Luís, o Papa João Paulo II, adotou o lema “Totus Tuus, Mariae”, traduzindo para o português:  “Sou todo teu, ó Maria”.

São Luís faleceu por conta de uma pneumonia aos 44 anos de idade.

Padre Pedro Chanel e São Luís Maria Grignion de Montfort, rogai por nós!


Veja Também

Calendário

  • 13
    05

    15:00 até 16:00
    (ONLINE) Terço da Misericórdia
    Estúdio da Webradio PES de CRISTO Ver detalhes
  • 13
    05

    18:00 até 19:00
    (ONLINE) Terço Mariano
    Estúdio da Webradio PES de CRISTO Ver detalhes
  • 13
    05

    19:00 até 20:00
    (ONLINE E PRESENCIAL) Santa Missa
    Paróquia Espirito Santo (Mitra Diocesana de São José dos Campos), Av. Cassiopeia, 461 - Jardim Satélite, São José dos Campos - SP, 12230-011, Brasil Ver detalhes
Ver Mais

Colaboradores da evangelização pela comunicação