Semana da Familia 2019 Banner site

Conheça

Mensagem do Dia - 18/08/2019

Não busque boas aparências, porque elas mudam com o tempo. Não procure pessoas perfeitas, porque elas não existem. Busque, acima de tudo, alguém que saiba o seu verdadeiro valor. Que seus amores sejam: Deus, a vida, a família e os amigos. Deus porque é o dono da vida, a vida porque é curta, a família porque é única e os amigos porque são raros! Que seu domingo seja um verdadeiro dia para se dedicar ao Senhor!

Salvos pela bondade de Deus | 08 a 14/04/2019

Data: 08 a 14/04/2019
Tema:
“Salvos pela bondade de Deus ”
Salmo: 46 (NTLH)

Leitura: Êxodo 32,1-14

Ouça o estudo da semana

Introdução: Os povos do Antigo Oriente eram agricultores e criadores de gado. A religião deles incluía cerimônias, nas quais predominavam a figura do touro. Eles acreditavam que, celebrando ritos mágicos com este animal, símbolo da força e da fecundidade, as colheitas seriam abundantes e os rebanhos se multiplicariam.

Será que Israel, o povo de Deus, poderia ser seduzido por estas práticas pagãs e as adotar? Parece quase impensável que um povo, libertado da escravidão do faraó pelo poder do Senhor, pudesse traí-lo. Ao invés, porém, poucas semanas depois da saída do Egito, enquanto Moisés se encontrava na montanha falando com Deus, os israelitas entregavam para Aarão as suas joias e, com ouro recolhido, faziam um bezerro (v-1-6). Nós também como os israelitas, fazemos praticamente a mesma coisa. Ao ouvirmos a Palavra de Deus, sentimo-nos impelidos a segui-la com entusiasmo. Mas, poucos dias ou talvez poucas horas depois, tudo volta a ser como antes. Devemos desanimar então?

Melhor é reconhecermos que somos simplesmente fracos e esperarmos na bondade do Senhor.

1) A primeira parte da leitura de hoje (v-7-10) fala-nos da indignação de Deus diante desta infidelidade. O Senhor diz a Moisés: “Deixa, pois, que se acenda minha cólera contra eles e os reduzirei a nada; mas de ti farei uma grande nação” (v-10). Como nós teríamos reagido diante de uma proposta tão tentadora? Provavelmente teríamos ficado muito felizes por tornarmos pais de uma família de “justos”. É só verificar como reagimos na nossa célula, pastoral, Paróquia, trabalho e até mesmo na nossa família quando surgem divisões, escândalos, problemas complicados: nos isolamos, omitimos, falamos que não temos nada com isso, que vamos deixar tudo, que não queremos nos envolver com esses encrenqueiros. Moisés, ao contrário, não se omite, permanece ao lado do seu povo pecador, falho e incoerente, prefere perecer com os irmãos do que salvar-se sozinho.

2) A segunda parte da leitura (v- 11-13) nos apresenta a oração de Moisés. No nosso texto, ela começa assim: “Moisés tentou aplacar ao Senhor seu Deus, dizendo-lhe...” (versículo 11). De fato, a expressão usada no texto original hebraico deveria ser traduzida assim: “Então Moisés começou a acariciar o rosto do Senhor, seu Deus dizendo...”. Moisés se comporta como uma criança que vê seu pai carrancudo, bravo e começa a agradá-lo, até conseguir arrancar-lhe um sorriso. Esta imagem é uma das mais sensibilizadora da Bíblia.

A cena talvez nos surpreenda, causando-nos espanto. Talvez até nos escandalize. Moisés, meigo, fala com doçura e Deus, encolerizado, precisa ser acalmado. Entretanto com esta imagem, presente na mente humana, Deus nos mostra a confiança e a segurança que devem caracterizar a oração quando recorremos a Ele.
Quais são as palavras que Moisés usa para “acariciar o rosto do Senhor”? Tentemos descobrir os motivos que teríamos alegado para convencermos Deus a desistir da sua ira. Talvez lhe teríamos dito: “Vê, Senhor, eles estão arrependidos, não farão mais isso... afinal, o pecado não é tão grave assim...”. Conversa fiada! O homem nunca deixa de ser pecador, repete sempre os mesmos erros.
Moisés, porém, é mais esperto: percebe que não pode confiar na bondade do homem e que a única maneira para conseguir a salvação é confiar na bondade de Deus. Ele começa lembrando ao Senhor suas promessas de salvação. Eis o único e verdadeiro motivo que permite esperar a salvação de qualquer homem: o amor infinito de Deus, aquele amor que nunca será vencido por qualquer infidelidade, por maior que ela seja!

Conclusão: “E o Senhor se arrependeu das ameaças que tinha proferido contra o seu povo” (v-14). O que fizeram os judeus para merecerem a misericórdia de Deus? Nada! Ficaram calados. O Senhor fez tudo sozinho. Lembrou-se de que suas promessas não implicavam condições e perdoou o seu povo. Se tivéssemos que confiar nas nossas forças, na nossa capacidade de praticarmos o bem, teríamos todos os motivos para ficarmos desesperados. É mais garantido depositarmos a nossa confiança no amor gratuito de Deus, revelado em Jesus. Se acolhermos Jesus em nosso coração, estaremos aceitando o amor de Deus e seremos salvos.

 

PERGUNTAS

Você confia na bondade de Deus?
Você acha que Deus poderia negar o seu perdão em algum momento?


AVISOS
No último final de semana (30 e 31/03), aconteceu o I Retiro Espiritual para a Liderança “linha de frente” de nosso sistema celular: uma verdadeira benção para todos que participaram, presente de Deus que certamente vai enriquecer nossas células. Parabéns a todos que participaram e trabalharam. Tudo para a glória de Deus. Amém!

 

 

5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo padre Rogerio Felix, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da
  • paróquia;
  • Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  • Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

“O ESPÍRITO SANTO É A ALMA DA IGREJA. ELE DÁ A VIDA. SUSCITA OS DIVERSOS CARISMAS QUE ENRIQUECEM O POVO DE DEUS E SOBRETUDO CRIA A UNIDADE ENTRE OS CRENTES: DE MUITOS FAZ UM ÚNICO CORPO, O CORPO DE CRISTO. TODA A VIDA E MISSÃO DA IGREJA DEPENDEM DO ESPIRITO SANTO; ELE TUDO REALIZA”
(Papa Francisco)

 

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

Queremos ver Jesus e nos comprometermos com Ele | 01 a 08/04/2019

Data: 01 a 08/04/2019
Tema:
“Queremos ver Jesus e nos comprometermos com Ele”
Salmo: 51, 1-14 (NTLH)

Leitura: Jo 12,20-33

Ouça o estudo da semana

Na medida em que a Quaresma vai chegando ao final, torna-se iminente a paixão do Senhor. Hoje é o próprio Senhor quem fala da Sua paixão por meio do Evangelho de João, apresentando-a como o mistério de sua glorificação e obediência à vontade do Pai. É provocado o diálogo pelo pedido de alguns gregos desejosos de verem Jesus. Este grupo de estrangeiros que haviam se convertido à religião judaica tinham ouvido falar de Jesus. Recorrem então a Felipe e este falou com André e, os dois, levaram a solicitação a Jesus (Vs- 20-22).

O fato em si parece bastante comum, mas para João assume um sentido simbólico e importante, que traz uma mensagem para nós. Vejamos:

1) “Ver Jesus” não significa somente “contemplá-lo com os olhos”, mas quer dizer “conhecê-lo em profundidade”, conhecer seu caráter, pensamentos, desejos; querer penetrar no íntimo da sua pessoa. Você conhece Jesus assim? Ou somente de ouvir falar “superficialmente”?

2) A primeira frase do Evangelho: “Entre o povo que tinha ido a Jerusalém...” (V-20), leva-nos a supor que esses não judeus tenham percorrido um longo caminho espiritual, antes de sentirem a necessidade de “encontrar” Jesus. Que caminho? Eram gregos, pagãos, que antes acreditavam em vários deuses e entregavam-se a práticas supersticiosas; um dia, porém, conheceram o Deus dos Judeus, acreditaram nele e aceitaram a religião judaica, por isso, estavam em Jerusalém, para celebrarem a páscoa hebraica. Qual o caminho que percorremos para chegar a Jesus? Será que também nós, já abandonamos superstições, vícios e a vida sem sentido que levávamos? Viemos para a célula, para as missas, mas agora está na hora de um verdadeiro “encontro” com Jesus.

3) Os estrangeiros não se dirigiam diretamente a Jesus, mas a seus discípulos, porque esta é a única possibilidade que existia para encontrá-lo. E veja que interessante: não recorreram a qualquer um dos apóstolos, mas se dirigiram a Felipe e André, os únicos entre os 12 que têm um nome grego, pois se identificaram com eles. E é exatamente este o propósito da evangelização OIKOS (evangelização por meio de nossos relacionamentos, de pessoas que já conhecemos). É por isso que nossas células crescem em número (neste final de semana nos alegramos com mais seis células de casais, mais quatro mistas, mais uma jovem e mais uma juvenil: parabéns a todas estas redes e que Deus dê perseverança a estas novas células, a seus líderes e seus membros). Temos que aproveitar nossos relacionamentos, para conduzirmos as pessoas a Jesus, pois pode ser que, ao contrário, nunca o encontrem. Participar de uma célula é conhecer a Cristo, tornar-se seu discípulo e comprometer-se com a missão de “buscar” outros. Se uma célula não for missionária, esta célula não é composta de verdadeiros discípulos de Cristo, correndo o sério risco de se parecer com um “clube de amigos (as)”.

4) Por último, Jesus faz alusão ao grão de trigo, que cai na terra, morre e produz fruto, como símbolo da vida entregue aos irmãos (Vs- 24-25). Para Cristo, o discípulo atinge o ponto mais alto da realização da sua vida quando se entrega à morte por amor a seus irmãos. O grão de trigo “morto” na terra reaparece multiplicado por 100 numa espiga. Jesus convida a todos nós, discípulos em células, a imitarmos o gesto prudente do agricultor, que se priva da semente. Diz a eles para não terem medo de perder a própria vida, porque quem morre por amor entra na glória de Deus! A doação é diária: em casa, no trabalho, na célula. É preciso também dizer que uma célula saudável precisa morrer, “deixar os amigos (as)”, para multiplicar, caso contrário ela “morre” de verdade, pois uma célula que não cumpre a sua vocação multiplicadora, com o tempo, perde seu sentido. Jesus transmite coragem aos seus discípulos, enfrentando a morte primeiro e mostrando que, quem doa a si mesmo por amor, chega à ressurreição.

PERGUNTAS

  1. Você já “viu” Jesus?
  2. Sua vida é como um grão de trigo, que “morre”, para amar os outros?
  3. Sua célula tem consciência de ser missionária?

5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

Orar uns pelos outros (após breve partilha);
Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
Orar por todas as pastorais e movimentos;
Pelos encontros de formação de líderes;
Orar pelo padre Rogerio Felix, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
Por todo trabalho de células;
Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
Orar pelos aniversariantes do mês;
Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

Nos caminhos da conversão (primeira parte) | 18 a 24/03/2019

Data: 18 a 24/03/2019
Tema:
Nos caminhos da conversão (primeira parte)
Salmo: 25 (NTLH)

Leitura: Lc 19,1-9

Ouça o estudo da semana


Muitos de nós, em viagens ou a procura de um endereço, já não trilhamos por estradas e caminhos errados? Não por culpa nossa, porque queríamos pegar um caminho errado, mas por não conhecermos o caminho certo. Talvez por um descuido, falta de atenção as sinalizações das estradas, “distração” durante a viagem ou ainda “alguém” que possa ter nos ensinado o caminho errado de propósito. Quando nos damos conta do caminho errado, aí sim, paramos. Este “se dar conta” do caminho errado pode ter acontecido de diversas maneiras, inclusive nós mesmos percebermos que estávamos no caminho errado. Sabíamos antes de sair de casa o destino certo, mas lá pelo meio da viagem começamos a perceber que “alguma coisa” não está batendo com o que você sabia sobre como chegar onde você planejou: a viagem está demorando muito, você começa a passar por alguns lugares que não consta na descrição que você tinha do caminho, então você cai em si e se pergunta “onde estou?” ou exclama “como eu vim parar aqui?”.

Aí está na hora de parar e perguntar para alguém que conhece a região e que seja de confiança, um policial por exemplo, e ele vai te dizer: “você está no caminho errado, vai ter que pegar aquele retorno, fazer uma CONVERSÃO à direita, voltar, pegar o caminho certo para que você possa chegar com segurança onde você planejou”. Assim, “convertidos” ao caminho certo, podemos prosseguir fazendo uma viagem tranquila. Mas, se insistirmos neste caminho errado as consequências serão desastrosas, especialmente após viajarmos tanto tempo por caminhos errados e ainda não chegarmos ao destino do lugar onde queremos chegar.

A nossa passagem por esta vida nada mais é do que uma viagem de volta para a nossa casa definitiva junto ao Senhor Jesus, nosso Salvador, e de todos aqueles que já nos precederam: é a casa do Pai. E esta viagem tem um mapa que nos ensina a como voltarmos com segurança, qual trajeto seguir, o que devemos fazer para não sairmos deste caminho seguro. Este mapa se chama: Palavra de Deus, a Bíblia. Nela encontramos orientações para vivermos bem esta vida e ainda o que devemos fazer para entrarmos na vida eterna. Também encontramos o “planejamento”, o “plano” de Deus para a Salvação de toda a humanidade e de cada um de nós. Particularmente, de todo o plano de Deus para fazermos esta viagem de volta com segurança para a casa do Pai, a pessoa de Jesus Cristo é a referência principal. Ele veio para tornar mais visível ainda a vontade e iniciativa de Deus em nos fazer voltar com segurança para sua casa. Ele mesmo, nosso Senhor, nos mostra com clareza este caminho e especialmente, entrega Sua vida para que este plano de Deus de nos levar de volta com segurança seja realizado com sucesso:

Um jovem rico pergunta a Jesus: “Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?”. Ele responde: “Observe os mandamentos” (Lc 18,20).

Tomé pergunta: “Qual o caminho certo a seguir?”. Porque eles não sabiam direito qual caminho seguir, Jesus responde: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. (Jo 14,5-6)

Todos nós conhecemos a famosa história do pequeno homem Zaqueu (Lc 19,1-10) que se encantou com o Senhor Jesus, com sua pessoa, suas palavras e exemplos. Jesus ensinava palavras de vida eterna, não somente a lei, que Zaqueu conhecia muito bem, mas que não eram o suficiente para tirá-lo da vida que ele tinha (de envolvimento com coisas ilícitas em seu trabalho).

Zaqueu estava andando por um caminho errado e viu em Jesus outro caminho que lhe encheu os olhos, lhe atraiu de tal forma que fez de tudo para se aproximar do Mestre e fazer com que deixasse sua vida de erros e seguisse nosso Senhor. Assim ele fez e o Senhor o recebeu prontamente. Ainda conhecemos a clássica e linda passagem daquele filho pródigo (Lc 15,11-24), que mesmo tendo tudo de bom jogou tudo fora, mas “arrependeu-se”, tomou o “caminho de volta”, “converteu-se” e voltou para sua casa paterna. A conversão é assim, a pessoa está andando por um caminho e de alguma forma descobre que este caminho está errado, cai em si e volta para onde é o seu lugar, o caminho certo do Senhor Jesus e a sua Igreja.


PERGUNTAS

1) Conheço o caminho certo para minha volta à casa do Pai?

2) Procuro sempre consultar o mapa de volta (Bíblia) para não me perder no caminho?



5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo padre Rogerio Felix, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  • Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  • Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

Nos caminhos da conversão (segunda parte) | 25 a 31/03/2019

Data: 25 A 31/03/2019
Tema: 
Nos caminhos da conversão (segunda parte)
Salmo: 136 (NTLH)

Leitura: Lc 15, 11-32

Ouça o estudo da semana

 

Os caminhos da conversão são repletos de manifestações de amor da parte de Deus, nosso Pai, para conosco, seus filhos e filhas. Desde lá no jardim do Éden, onde percebeu que o homem estava se escondendo, Ele pergunta: “Onde estás?”. Até a sua própria encarnação na pessoa de Jesus, onde deu sua prova máxima de amor e de que acima de tudo é pura misericórdia e quer que todos sejamos salvos.

Nosso Senhor Jesus Cristo, viveu e demonstrou este amor em atos e palavras. Como era de seu costume sempre que proferia seus ensinamentos usava de parábolas (comparações) para comunicar uma verdade eterna e verdadeira. Assim, ao falar de misericórdia e perdão compara com uma ovelha e uma dracma (moeda) perdida (Lc 15,4-7.8-10), o filho pródigo (Lc 15,11-32), os dois devedores (Lc 7,36-50), o servidor inclemente (Mt 18,23-35), o bom samaritano (Lc 10,25-37) e a figueira agraciada (Lc 13,6-9). Todas estas parábolas nos ensinam que Deus é clemente e que faz tudo para nos perdoar.

Nossa Igreja dedicou um grande espaço no Catecismo para o tema da conversão, particularmente refere-se a parábola do filho pródigo como um belo retrato da conversão e da penitencia (Cf CIC-1439).

- O centro da saga do filho pródigo sem dúvida é o Pai misericordioso: Toda a história da Salvação é um constante convite de um pai misericordioso para que seu filho volte para casa.
- O fascínio (encanto) de uma vida ilusória: Se já naquela época a ilusão de uma vida longe de Deus seria atrativa, em nossos tempos onde o consumismo, hedonismo, as ilusões das drogas, do poder, das riquezas materiais, seduzem mais ainda e levam muitos a se distanciarem do Senhor.
- O abandono da casa paterna: A força de uma liberdade sem regras levou aquele filho mais novo a sair de sua casa onde tinha tudo, do bom e do melhor, fartura, empregados, gozava de boa saúde, seu pai estava ali e tudo o que ele precisava estava ao seu alcance.
- A extrema miséria em que se encontra seu filho após esbanjar sua fortuna: As seduções do mundo, como que um imã, o levou a sair de sua casa, e longe do aconchego de um lar, da família, sem dinheiro, sem nome, sem credibilidade, sem moradia, e a “dor mais doída”, a dor da fome somada a humilhação, a de cuidar de porcos, o trabalho mais sujo e humilhante da região tornou-se insuportável.
- Reflete sobre os bens perdidos, o arrependimento e a decisão de declarar-se culpado diante do pai: A situação de extrema miséria em que se encontrava o levou a cair em si e lembrar-se de que tinha uma casa, mesmo de lá do fundo do poço ele sabia que seu pai o amava e que, se, se arrependesse seu pai o aceitaria de volta, e assim o fez.
- O caminho de volta: Mesmo humilhado pela situação em que passou, percorre todo o caminho de volta, certamente refletindo sobre o grande erro que cometeu, este caminho de volta se torna em um verdadeiro “retiro”, uma reflexão sobre os prejuízos de se abandonar a casa do pai.
- O acolhimento generoso, alegre e festivo do pai, mostra o grande amor do pai em ver o filho de volta: Assim é o Senhor, nosso Deus que nos ama, não olha nossos erros passados, mas nos acolhe porque seu amor é infinitamente maior do que nossos erros.
- Símbolos da nova vida: A bela túnica, o anel, a festa, vida cheia de alegria, que é a vida junto de Deus e de sua família que é a Igreja.

Nosso Senhor Jesus Cristo, encarnação do amor do Pai, somente Ele poderia nos revelar o grandiosíssimo amor de Deus de uma maneira tão simples e tão bela, e que alguém retratou em versos musicais:

ESTE PRANTO EM MINHAS MÃOS
Muito alegre eu te pedi, o que era meu, partir, um sonho tão normal! Dissipei teus bens e o coração também, no fim meu mundo era irreal. CONFIEI NO TEU AMOR E VOLTEI. SIM, AQUI É MEU LUGAR, EU GASTEI TEUS BENS Ó PAI, E TE DOU ESTE PRANTO EM MINHAS MÃOS. Mil amigos conheci, disseram adeus, caiu a solidão em mim, um patrão cruel levou-me a refletir: meu pai não trata um servo assim. (Refrão). Nem deixastes me falar da ingratidão, morreu, no abraço o mal que eu fiz. Festa, roupa nova, anel, sandálias aos pés, voltei à vida sou feliz! (Refrão)

 

PERGUNTAS

1) Como imagino uma vida longe de Deus?
2) Já estive longe do Senhor ou conheço alguém que já esteve e voltou?

 

 


5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo padre Rogerio Felix, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  • Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  • Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

 

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

Colunas mestras para que minha célula cresça e se multiplique (última parte) | 11 a 17/03/2019

Data: 11 a 17/03/2019
Tema:
“Colunas mestras para que minha célula cresça e se multiplique (última parte)”
Salmo: 86,11-13 (NTLH)

Leitura: Mt 22,37-39

Ouça o estudo da semana

Nestas duas semanas estamos partilhando a respeito de algumas “colunas” mestras para que nossa célula seja forte, viva e assim possa se multiplicar. Colunas, como sabemos, são as bases que sustentam um edifício, por mais altos que sejam. Quando vemos em reportagens que um prédio ou uma ponte caiu ou que apresentam rachaduras e trincas significa que as bases e as colunas que deveriam sustentar a obra não foram bem-feitas, não suportaram seu peso, não aguentaram o dia a dia de uso daquele prédio, com o tempo se enfraqueceram e caíram... Assim também é em nossa vida espiritual e de célula. A oração é a principal coluna de toda nossa vida espiritual.

A segunda coluna para que sua célula seja forte, viva e se multiplique é o AMOR PELA CÉLULA!

2) Segunda coluna: amor pela célula. A leitura de hoje mostra muito bem o significado e força do amor: amar de todo o coração. Coração que pulsa, bate forte, sente, te faz chorar, te faz sorrir. O coração é a sede de seu sentimento, por alguém, por uma causa, e aqui por Deus e por sua célula. Seu coração precisa estar batendo muito forte por amor à sua célula, para que com esta força de amor com o seu coração, você seja um sempre apaixonado por sua célula.

Nosso Senhor ainda acrescenta neste mandamento que nosso amor por Deus deve ser também com toda sua alma. A alma é o nosso “ser”, é o que vai se encontrar com Deus quando deixarmos este corpo mortal, é a substância última de nosso ser composto. Quando nosso Senhor Jesus Cristo te diz que você deve amar com sua alma, quer dizer para você amar com o seu “ser”, com toda sua existência e sentido de vida.

Jesus diz ainda que você deve amar a Deus com toda sua mente: ou com todo seu entendimento, sua inteligência. Quer dizer que você deve usar sua mente para “pensar” em como melhorar sua célula, usar sua mente para elaborar planos, traçar metas, organizar atividades, pensar em como atrair mais membros para sua célula. Uma pessoa que ama alguém, ama uma causa, faz tudo por ela. Assim se você estiver amando sua célula, você fará tudo por ela: de coração, corpo e alma.

3) Terceira coluna: conhecimento: “ninguém ama aquilo que não conhece”. Quanto mais conhecemos a Palavra de Deus, sua profundidade e amplitude de uma célula mais a amaremos, com certeza. Quanto mais você conhecer os fundamentos, o sentido de uma célula, sua missão e visão mais ficará solidificado nela. O sistema paroquial de evangelização em células de nossa paróquia oferece muitas oportunidades para o conhecimento e aprofundamento celular, na palavra, sobre sua fé: Retiros Vida Plena e Envia-me, Encontro Bem-vindo a Célula, retiros espirituais, programações especiais de sua rede e a Escola Celular de Formação Permanente (aproveite, procure a Secretaria Paroquial para sse inscrever, pois restam apenas 15 vagas para a turma deste ano, com aulas às quartas-feiras à noite).

Conclusão:
Oração pessoal, amor por sua célula e conhecimento sobre ela são as três colunas mestras para você ser forte e fortalecer sua célula. Existem mais colunas? Sim, claro! Mas estas, bem vividas, se desdobrarão automaticamente na evangelização Oikós (principal “ferramenta” de trabalho do membro de célula). Uma pessoa de oração, que ama e que conhece sobre célula, não ficará “quieto (a)”. Onde quer que ele (ela) esteja e não guardará para si somente este tesouro. Amém!

PERGUNTAS

1) Qual das três colunas eu pratico?
2) Qual das três colunas eu preciso reforçar?


5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo padre Rogerio Felix, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  • Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  • Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

Pagina 2 de 44

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

2ª feira | 7h (Celebração - Igreja)
19h30 (Escola do Meireles)
3ª feira
| 7h (Igreja) | 19h30 (Escola
Téofilo Rezende)
4ª feira | 7h (Igreja | 19h30
(Sede dos Vicentinos) 
5ª feira | 7h | 12h15 | 19h30
6ª feira | 7h | 15h | 19h30
Sábado | 19h (Igreja)
Domingo | 7h | 9h30 | 12h |
17h | 19h30

Confissões

3ª feira | 15h
4° feira | 9h
5ª feira | 15h
6ª feira | 9h
Sábado | 10h

Programação de 12 a 18/08/2019

ATENÇÃO:
NOVOS HORÁRIOS DE CONFISSÃO

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

SEJA BEM VINDO.


Este é o novo site da Paróquia Espirito Santo.
Gostaríamos de mostrar para você algumas das funcionalidades novas que preparamos.



Conhecer o site