ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

Saiba Mais

Mensagem do Dia - 16/11/2018

Agradeça a Deus por iluminar o seu caminho. Nossa vida tem sido marcada por realizações diárias, que às vezes não conseguimos ver, mas saiba que a graça de Deus se faz presente em todos os momentos da nossa vida. Analise bem a sua vida, perceba que temos muito mais para agradecer do que para reclamar. Tenha uma sexta-feira iluminada!

Hallel Vale 2015

Hallel Vale

Acontece no próximo final de semana, 14 e 15 de novembro, o Hallel Vale 2016, grande evento de evangelização pela música. Mais uma vez, o Hallel será realizado no distrito de Eugênio de Melo, com extensa programação que inclui oração, adoração, partilha e muita música. Para participar, é solicitada a doação de um quilo de alimento não perecível. Confira a programação completa no Facebook Hallel Vale.

Primeira Eucaristia e Crisma

Paroquia Espirito Santo IPES 595 Site4

A Paróquia Espírito Santo convida a todos para participarem das missas que celebram a Primeira Eucaristia e Crisma de paroquianos de nossa comunidade. As missas de Crisma neste ano serão realizadas em dois dias: 14/11 e 05/12, sempre às 19h. Já a missa da Primeira Eucaristia será celebrada no dia 21/11, às 17h.

Dízimo: partilha e fé

Dízimo

Na passagem da viúva pobre (descrita em MC 12, 42-44), que mesmo tendo muito pouco, leva suas pequeninas moedas e as oferta de coração, Jesus resume o verdadeiro significado do dízimo no Novo Testamento.

Esse ato de doar o dízimo, que no Antigo Testamento era tido como “lei”, e que como tal, possuía regras, no Novo Testamento, à luz dos ensinamentos de Jesus, ganha nova conotação e passa a significar, não uma lei, mas um ato de fé e de agradecimento pelas bênçãos que todos os dias recebemos de Deus.

O que o Catecismo diz quando cita o quinto Mandamento da Igreja é: “Os fiéis cristãos têm ainda a obrigação de atender, cada um segundo as suas capacidades, às necessidades materiais da Igreja”. O Código de Direito Canônico (Cânon 222 § 1) prevê: “Os fiéis têm obrigação de socorrer às necessidades da Igreja, a fim de que ela possa dispor do que é necessário para o culto divino, para as obras de apostolado e de caridade e para o honesto sustento dos ministros.”.

O dízimo e a caridade

Mas o dízimo não tem apenas a função de manter a igreja em suas necessidades temporais, ele também configura em atender a comunidade. Quanto à caridade, é importante notar que a Antiga Lei não tinha estabelecido o dízimo apenas para o sustento dos ministros, mas também para socorrer os pobres e necessitados.

Para isso, não existem limites. Santo Tomás, com grande inteligência e fidelidade ao Evangelho, diz: Não se devem esperar leis para fazer o bem. Existem, de fato, a lei natural e a lei eclesiástica; mas a lei da caridade deve brotar disto que está no Evangelho: Jesus, rico que era, fez-se pobre para nos enriquecer a todos. Do mesmo modo, devemos seguir essa “imitatio Christi – imitação de Cristo” e socorrer os mais necessitados”, conclui.

Segundo explica a coordenadora da pastoral do dízimo, Laura Aparecida Courbassier, a opção pelo dízimo nasce quando o cristão começa a dar valor à palavra de Deus. Ao invés de só pedir, aprende também a agradecer não só os bens espirituais, mas também os bens materiais. “Os dizimistas são pessoas muito queridas porque compreenderam o dízimo como palavra de Deus revelada na Sagrada Escritura. São pessoas que, na fidelidade e na perseverança são responsáveis pela casa de Deus. Devemos acreditar no dizimo como oferenda que agrada ao Senhor”, conclui.

Diferença entre dízimo e oferta

A entrega do dízimo normalmente é mensal, porque a maioria das pessoas recebe salário todo mês. Já os que recebem semanalmente, por exemplo, podem combinar de entregá-lo uma vez por semana. O importante é saber que o dízimo deve ser entregue na comunidade com a mesma regularidade com que se recebem os ganhos regulares. Já as ofertas são doações espontâneas, com as quais o fiel também pode e deve participar da vida em comunidade, mas nesse caso não existe a regularidade como no caso do dízimo. Você pode e deve doar na hora do ofertório, durante as missas, ou fazer depósitos nas caixas de coleta.

As três dimensões do dízimo

Dimensão religiosa: o dízimo deve suprir com recursos, todas as necessidades diretas ou indiretamente ligadas ao culto e aos seus ministros. Gastos com o templo (construção e manutenção), salário do padre e dos funcionários, encargos, energia elétrica, água, telefone, impressos, paramentos litúrgicos, velas, vinho, hóstias, equipamentos de som, audiovisuais e etc.

Dimensão social: neste aspecto, o dízimo deve suprir as necessidades dos irmãos mais necessitados da comunidade atendidos pelas pastorais sociais. Também é importante que esse trabalho supere o mero assistencialismo e busque a promoção do ser humano, a conscientização dos direitos e deveres de todos, sem deixar de exercer a misericórdia, a justiça e a compaixão, em vista de resgatar a dignidade dos irmãos assistidos.

Dimensão missionária: o dízimo deve sustentar financeiramente as ações de evangelização da comunidade exercidas fora do território da paróquia. Ajuda à Cúria, ao Seminário e às missões de um modo geral.

Multiplicando Sorrisos 2015

Multiplicando SITE

 

O projeto Multiplicando Sorrisos​, fruto da iniciativa de células da Rede de Casais, mais uma vez conta com a ajuda da comunidade paroquial. Os brinquedos podem ser entregues na Secretaria Paroquial até o dia 11/12. Eles serão doados às crianças de comunidades carentes de nossa cidade.

Léctio Divina

Padre Luis Fernando

Somente a Bíblia é inspirada por Deus

Por Padre Luis Fernando Soares

- O que ela diz de si mesma: 2 Tm 3,14-17
Pontos:
* Sabedoria: vontade e conhecimento de Deus e seus planos
* Ensinar: verdade
* Condenar o erro: heresias modernas.
Exemplo: Comungar não a Jesus Cristo mas a Maria;

- A verdade é relativa.
* Corrigir as faltas: É luz que nos faz ver os erros (espada de dois gumes, que fere até as profundezas)
* Como viver
* Servo de Deus preparado para fazer todos os tipos de boas ações.

- A Bíblia funciona: Sim, mas é preciso ouví-la e praticá-la.
Ler Mt 7,24: “Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa (vida) sobre a rocha”.

- São Tiago faz eco (catequese) e diz: “Não se enganem; não sejam apenas ouvintes da mensagem (Palavra) mas a ponham em prática. Se alguém examina bem esta lei (Palavra) e não a esquece, mas a põe em prática, Deus vai abençoar tudo o que essa pessoa fizer”(Tg 1,22;25)

COMO PODEMOS LER, OUVIR E ACOLHER A PALAVRA PARA PODER PRATICA-LA? LÉCTIO-DIVINA
O que é a léctio-Divina? O cardeal Martin de Milão responde:

É O EXERCICIO PESSOAL E ORDENADO DA ESCUTA DA PALAVRA
1) Exercício: algo ativo, não passivo, é o momento que alguém participa, decide e caminha.
2) Ordenado: dinâmica simples e com uma ordem: ler, meditar, orar, contemplar.
3) Da escuta: é receber a Sagrada Escritura como um presente e guardar com carinho, “Maria guardava tudo em seu coração”. (Lc 2,19)
4) Pessoal: não é escutar uma pregação na liturgia, é um momento especial que estou com Deus como se eu fosse único no mundo e sou. A escuta pessoal nos prepara para a escuta comunitária (familiaridade).
5) Da palavra: não é palavra humana, mas de Deus que fala por meio das Sagradas Escrituras.
6) História: a Léctio-Divina nasceu há 2500 anos. Na história do povo de Israel (Ne 8,2-10), Esdras reuniu o povo e leu desde a manhã até o meio- dia e o povo ouvia atentamente. Os santos padres da igreja (Pacomio, Basilio, São Jeronimo, São Cipriano, São Bento) também incentivaram a Lecto Divina
O método da LD nasceu no século XII com o monge Guido (cartucho) que escreve ao seu amigo Gervásio e fala de quatro degraus (escada dos monges): leitura, meditação, oração, contemplação.

COMO FAZER
1) Escolher um bom lugar, solitário e silencioso (se for possível)
2) Escolher a hora: de preferência quando estamos mais atentos (ver o próprio ritmo). Manhã e final de tarde são os melhores horários.
3) No mínimo de 45 minutos (se for possível), mas o ideal é 60 minutos.

PASSOS
1) Leitura: escolher um pequeno texto e lê-lo uma, duas e até três vezes. Não abrir ao acaso, ele precisa ser comido por inteiro e não beliscado. Se preferir siga o ciclo litúrgico (liturgia diária). Recomendo a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (Editora Paulinas)
2) Meditação: repetir cada versículo. Decorar (pôr no coração). É hora de ruminar e buscar a mensagem do texto, é mastigar e saborear o texto. Escolher um ou três versículos.
3) Oração: falar com Deus, responder ao seu apelo, pedir suas graças para colocar o texto em prática. Exemplo: se o texto falar de amar como Jesus amou, peça a Deus a graça de amar como Jesus; se falou de perdão, peça a Deus que traga à sua mente quem deve perdoar e o faça.
4) Contemplação: aqui o cansaço da busca é recompensado com o encontro. É ficar quieto, fazer silencio, não falar, não pedir, não pensar, simplesmente estar com Deus, enquanto sua palavra desce ao nosso coração.

RESUMO
Leitura: gera a compreensão do texto, da mensagem que o escritor sacro nos quis transmitir.
Meditação: reflexão a partir do texto, é ruminar o alimento, buscando seu sabor.
Oração: depois que se compreende e se reflete a palavra, o coração procura a Deus, é a oração.
Meditação: é o estado de união com Deus.

COMO USAR O QUE APRENDEU
“Pregue a mensagem (Palavra) e insista em anunciá-la, seja no tempo certo ou não. Procure convencer, repreenda, anuncie e ensine com toda paciência” (2Tm 4,2)
“Os teus ensinamentos são minha riqueza para sempre; elas são a alegria de meu coração” (Sl 119,111)

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

2ª feira | 7h (Celebração)
3ª feira | 7h | 19h30
4ª feira | 7h | 15h | 19h30
(Setor 07 - Rua Martin de Sá, 246)
5ª feira | 7h | 19h30
6ª feira | 7h | 15h
Sábado | 19h (Igreja e CP4)
Domingo | 7h30 | 10h | 12h |
17h30 | 19h30

Confissões

3ª feira | 17h30
4ª feira | 9h30
6ª feira | 9h30
Sábado | 10h


Programação de 12 a 18/11/2018

(12) 3931-2959


Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011


 Regiao Pastoral V Banner site