ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

Semana do Socorro Profissional

Saiba Mais

Agenda eventos

Oficina Teatral e a evangelização

O grupo tem 65 integrantes que auxiliam na liturgia da missa das crianças aos domingos

Ensaio 2 Site

As tardes de sábado de Cláudio Condé tem agenda fixa e destino certo: a Paróquia Espírito Santo. Em 2012, o diretor de teatro foi convidado pela equipe litúrgica para desenvolver atividades para reduzir a timidez das crianças, que ajudam nas missas das 10h, aos domingos. E o que era para ser uma atividade pontual acabou se tornando uma oficina de teatro permanente. Gabriel Grego, 11 anos, foi um dos primeiros alunos. Ele conta que gosta de atuar no grupo da igreja por que
tem a oportunidade de viver histórias diferentes e evangelizar. “Na peça Entre Santos eu representei São Longuinho.
A história dele é muito bonita, fala sobre conversão e sobre a importância de acreditar em Deus”.
A mãe de Gabriel, Jurema Grego, destaca que o teatro trouxe muitos benefícios ao filho. “Ele ficou mais disciplinado
e atento. As atividades da Oficina também desenvolvem a coordenação motora das crianças e despertam o gosto pela leitura”, explica a psicóloga. Teatro é usado como ferramenta de evangelização na Paróquia Espírito Santo Natan e Nicolas gostaram tanto da Oficina que contagiaram a família. A mãe, Fernanda Barros, tornou-se voluntária no grupo e ajuda em toda a produção. “É uma forma de ficar mais próxima deles e incentivá-los”, conta a representante comercial. Atualmente, 65 crianças e adolescentes, divididas em duas turmas, participam da Oficina. Cláudio compartilha com elas 30 anos de experiência nos palcos, mas esse trabalho está longe de ser somente teatral. O coordenador do grupo explica que nas aulas há também muito estudo bíblico. “Antes dos ensaios, os alunos pesquisam informações sobre os personagens que, geralmente, são de Parábolas da Bíblia. Eles compartilham com a turma e entendem a mensagem”.
A responsabilidade de ensinar crianças a desenvolver a habilidade de comunicação caminha junto com o trabalho
catequético. “Ver o resultado da participação das crianças nas missas é maravilhoso, me sinto recompensado com o sucesso delas!”, finaliza o coordenador do projeto. Crianças interessadas em participar da Oficina Teatral devem comparecer aos ensaios, no Espaço Vida, aos sábados, das 15 às 17h.

Esta matéria faz parte da edição 27 da revista PES de CRISTO, a publicação mensal da Paróquia Espírito Santo. Se não conseguir ler nessa imagem, acesse o link http://bit.ly/1FYpwM7 para abrir em PDF. Conte-nos o que achou da revista!

Bispos do Sul 1 emitem mensagem aos católicos e a todos os cidadãos

Os bispos do regional Sul 1 da CNBB, reunidos por ocasião da 78ª Assembleia Anual, em Aparecida (SP), dias 10 e 11 de junho, emitiram mensagem aos católicos e a todos os cidadãos, diante dos acontecimentos da recente “parada gay”, no domingo, 7, em São Paulo. No texto, os bispos consideram que houve “desrespeito à consciência religiosa” do povo e “ao símbolo da maior fé cristã, Jesus crucificado”. O episcopado, afirmou, ainda, que “todo ato de desrespeito a símbolos, orações e liturgias das religiões constituiu crime previsto pelo Código Penal”. Confira a íntegra da mensagem:

 

MENSAGEM AOS CATÓLICOS E A TODOS OS CIDADÃOS

Nós, Bispos Católicos das Dioceses do Estado de São Paulo, reunidos na 78ª Assembleia do Regional Sul I da CNBB, diante dos acontecimentos da recente “parada gay 2015”, ocorrida na cidade de São Paulo, com claras manifestações de desrespeito à consciência religiosa de nosso povo e ao símbolo maior da fé cristã, Jesus crucificado, em nome da verdade que cremos, vimos através desta, como pastores do Povo de Deus:

Afirmar que a fé cristã e católica, e outras expressões de fé encontram defesa e guarida na Constituição Federal: “é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias” (artigo 5º, inciso VI).
Lembrar que todo ato de desrespeito a símbolos, orações, pessoas e liturgias das religiões constitui crime previsto no Código Penal: “escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso” (Art. 208 do Código Penal).
Apelar aos responsáveis pelo Poder Público, guardiães da Constituição e responsáveis pela ordem social e pelo estado democrático de direito, que defendam o direito agredido.
Expressar nosso repúdio diante dos lamentáveis atos de desrespeito ocorridos; queremos contribuir com o bem-estar da sociedade, pois somos, por força do Evangelho, construtores e promotores da liberdade e da paz.
Manifestar nossa estranheza ao constatar um evento, como citado seja autorizado e patrocinado pelo poder público, e utilizado para promover atos que afrontam claramente o estado de direito que a Constituição garante.
Lembrar a todos as atitudes firmes do Papa Francisco quanto ao respeito pelo ser humano, aos mais pobres, aos mais simples, à religiosidade popular.
Recordar aos católicos que a profanação de símbolos religiosos pede de nós um ato de desagravo e de satisfação religiosa, pela oração e pela penitência, pedindo ao Senhor Deus perdão pelos pecados cometidos e a conversão dos corações.
Reafirmar, iluminados pelo Evangelho e conduzidos pelo Espírito Santo, nosso respeito a todas as pessoas, também a quem pensa diferente de nós. E convidamos os católicos e pessoas de boa vontade a contribuírem, em tudo, para a edificação da justiça e da paz, do respeito a Deus e ao próximo.
Por fim, confirmamos nosso seguimento a Jesus Cristo e damos testemunho da beleza de nossa fé católica, na certeza de que, assim, contribuímos para o bem da sociedade, anunciando o que de melhor recebemos: Jesus Cristo crucificado, “força e sabedoria de Deus” (1Cor 1,23s), fonte de toda misericórdia.

Aparecida, 11 de junho de 2015.
Memória Litúrgica do Apóstolo São Barnabé

Dom Odilo Pedro Scherer
Presidente do Regional Sul 1 – CNBB

Dom Moacir Silva
Vice-Presidente do Regional Sul 1 – CNBB

Dom Tarcísio Scaramussa
Secretário do Regional Sul 1 – CNBB

 

Fonte: CNBB

Diácono Rubens: 94 anos de servidão a Deus

Com 94 anos de idade e 68 anos de vida matrimonial, o diácono Rubens Dantas fala da dádiva da longevidade e conta um pouco sobre o chamado que recebeu para servir a Deus

Sr Rubens 02 site

Seu Rubens, como foi o chamado de Deus para que o senhor se tornasse diácono?
Eu pertencia à paróquia São Benedito, na arquidiocese de Botucatu, e um dia o então arcebispo Dom Vicente Zioni me telefonou e pediu que eu fosse até a sala dele. Lá, ele olhou bem firme para mim, sorriu e perguntou: “Você quer ser diácono da Santa Igreja”? Eu fiquei perplexo, e ele me disse para pensar e voltar com a resposta depois de uma semana.

E como foi que o senhor reagiu?
Fui para casa e falei com minha família. Usei a mesma tática do arcebispo, disse para eles pensarem e me responderem depois de três dias. Só a minha filha mais velha, a princípio hesitou, porque ela tinha medo que eu me dedicasse só à igreja e não mais a família. Então eu expliquei que no diaconato a gente se dedica sim à igreja, mas a família vem sempre em primeiro lugar. E ela cedeu.

E como foi sua ordenação?
Depois que eu aceitei, fui fazer o curso de cinco anos. Quando eu estava no terceiro ano, por ocasião da Semana Santa, Dom Vicente me chamou e disse que eu seria ordenado. “Mas eu ainda não terminei o curso!”, disse a ele, e ele me respondeu: “Não tem problema,depois você termina”. E minha ordenação foi no dia 27 de março de 1983.

Como o senhor chegou a Paróquia Espírito Santo?
Eu fui o primeiro diácono da diocese de Botucatu. Trabalhei na paróquia São Benedito por três anos. Aí uma das minhas filhas, que é professora de inglês e português, pegou cadeira aqui em São José,logo depois eu acabei vindo morar aqui também.

Qual o segredo da perseverança no casamento? Sou casado com a Inês há 68 anos. Tenho seis filhos (cinco mulheres e um homem), treze netos e seis bisnetos. O segredo é cumprir o sacramento do matrimônio, que é a união do homem e da mulher, tornando-se uma só carne. Sempre nos amando e um olhando pelo outro.

Seu Rubens, o que é ser diácono para o senhor? 
Ser diácono é ser servidor. Servir a comunidade, se doar e acima de tudo amar! Na minha ordenação, quando eu me prostrei no chão durante a ladainha, eu me entreguei totalmente a Deus e pedi para que Ele me guiasse e eu fosse um servo fiel. Agora eu estou aqui, amo muito a minha comunidade e no tempo que me resta vou continuar fazendo o que eu prometi na ordenação com muita oração e muita alegria.

Esta matéria faz parte da edição 27 da revista PES de CRISTO, a publicação mensal da Paróquia Espírito Santo. Se não conseguir ler nessa imagem, acesse o link http://bit.ly/1FYpwM7 para abrir em PDF. Conte-nos o que achou da revista!

Encontro de Namorados e Noivos

encontro namoradosnoivos

Sistema de Células, aprendizado constante

Consulta Celular 2015 reúne liderança de comunidades e paróquias em células do Brasil inteiro

Congresso 02 site
Pioneira no Brasil no sistema de células, a Paróquia Espírito Santo é referência para todas as comunidades que querem implementar esse projeto. Cinco edições do Congresso Católicos em Células já aconteceram por aqui, reuniram pessoas do Brasil inteiro e deram bons frutos. Agora é a vez da Consulta Celular: em seu segundo ano, o evento reúne a liderança das comunidades para renovar os ânimos e refletir sobre os próximos passos a serem dados no projeto.
A Consulta Celular 2015 aconteceu nos dias 1 e 2 de maio e trouxe como ideia principal o compartilhamento de experiências, pois abriu espaço para que as comunidades e paróquias presentes estabelecessem um diálogo. Além disso, a CC contou com a presença do Pe. Djalma Lopes Siqueira – Vigário Geral da Diocese de São José dos Campos – que tratou do tema “Comunidade de comunidades” com base no documento nº 100 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).
Antes de tudo, é importante entender que as células não são pastorais ou movimentos, mas sim comunidades, um sistema de organização eclesial. A missão de toda célula é “ganhar pessoas para Jesus, consolidá-las na fé, torná-las discípulas e
enviá-las a serviço”. O sistema de células foi reconhecido pela Santa Sé a título de experimento em 2009 e recentemente conseguiu a certificação definitiva no Pontifício Conselho para os Leigos. No dia 05 de setembro, membros de células de
todo mundo poderão participar de uma Audiência Pública com o Papa Francisco em Roma.
“No Brasil, o sistema de células tem sido vivido de uma maneira que vai além das paróquias. Isso é característico da efervescência eclesial que nós vivemos”, diz Sandro Fatobene Peres, promotor nacional do sistema de células. Sandro afirma
que uma paróquia em células é composta por três esferas que se entrelaçam pela espiritualidade de comunhão: a grande comunidade, que celebra a eucaristia; a comunidade ministerial, aquela que serve; e, por fim, a comunidade celular, elemento diferencial que visa a convivência.
Organizar-se é preciso
A Consulta Celular 2015 também teve como objetivo formular o estatuto do sistema de células aqui no Brasil. Desde o reconhecimento definitivo do projeto, fez-se necessário arrumar a casa, organizar essa experiência que já vem dando certo há mais de oito anos em diversos lugares do país. A certificação do sistema permite o avanço das células e a propagação do projeto de maneira mais eficaz e frutuosa. “Por meio do sistema de células, nós tivemos a oportunidade de sonhar mais.
O poder da comunidade e da união nos fez ter uma visão e estabelecer um alvo, um objetivo a ser alcançado”, relata Claudio, que participa da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem na cidade de Cachoeirinha/RS.
Esta matéria faz parte da edição 27 da revista PES de CRISTO, a publicação mensal da Paróquia Espírito Santo. Se não conseguir ler nessa imagem, acesse o link http://bit.ly/1FYpwM7 para abrir em PDF. Conte-nos o que achou da revista!
#paróquiaespíritosanto #revistapesdecristo

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

| 2ª feira | 7h (Celebração)
| 3ª feira | 7h e 19h30
| 4ª feira | 7h e 19h30 (Setor)
| 5ª feira | 7h, 12h15 e 19h30
| 6ª feira | 7h e 15h15
| sábado | 19h (Igreja e CP4)
| domingo | 7h30, 10h, 12h,
17h30 e 19h30

Confissões

| 3ª feira | 17h30
| 4ª feira | 9h30
| 5ª feira | 9h30
| 6ª feira | 9h30
| Sabado | 10h

Programação de 18 a 24/06/2018

 

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site