ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

Congresso Católicos em Células

A realização do 5º. Congresso Católicos em Células que aconteceu nos dias 01 a 03 de maio foi a coroação de 8 anos de trabalho apaixonado pela expansão do Reino de Deus e pela renovação da Igreja.

Sim, 8 anos porque em 2006 lançamos o livro “Células, uma estratégia de evangelização” de autoria do Pe. Luis Fernando Soares, Sandro Peres e César Lima, quando demos o primeiro passo nesta maravilhosa estrada de compartilhar com muitas comunidades do Brasil esta visão tão antiga e tão nova da igreja em células.

O livro abriu o caminho de um diálogo muito importante que começou a nos solicitar respostas a muita gente. Padres e leigos desejavam saber mais, iam à Paróquia Espírito Santo com o desejo de ver algo a respeito desta forma de ser Igreja, ligavam nos escritório da Comunidade Fanuel querendo contato, fazendo perguntas, e então percebemos que havia sido aceso um fogo que estava dando mostras de se alastrar.

Não poderíamos ficar simplesmente dando dicas, era necessário algo mais completo mais aplicável, e então começamos um trabalho de formular material para levar as comunidades ao processo de transição, de passagem do modelo convencional de organização para o modelo celular. Muito estudo, muita escrita, muitas palestras...

Os contatos se multiplicaram e as possibilidades de tornar isto tudo mais acessível a muitas dioceses, paróquias e comunidades pelo Brasil ficou evidente então veio a decisão de reunir aqueles que já estavam no processo e realizar um evento de referência, um evento de congraçamento e expansão da influência, nasceu assim o Congresso Católicos em Células em 2009.

Tudo parece ter acontecido muito rápido, aquilo que não havíamos pensado simplesmente estava diante de nós e agora tínhamos de dar respostas, tínhamos de trabalhar e levar adiante. O Congresso tornou-se uma ocasião especial de trabalho e de alastramento da visão, a cada edição um passo a mais, uma vitória a mais. Aumentou a cada edição o número de sacerdotes participantes e o interesse de muitos outros. Juntamente com tudo isso seguimos andando pelo Brasil visitando comunidades e procurando compartilhar a visão, cada Congresso se tornou ocasião de testemunhos e apreciação de frutos.

O 5º. Congresso Católicos em Células apresentou-se a nós como uma coroação deste percurso até agora trilhado porque trouxe elementos que nos fizeram agradecer imensamente a Deus o que até aqui foi realizado mas também abriu novos horizontes. Alguém me disse durante o evento “acho que o Congresso deste ano é um divisor de águas...”, eu percebo que de fato é, porque deste momento em diante podemos contemplar no Brasil o estabelecimento desta visão como uma resposta providencial e com respaldo do Magistério Eclesiástico. Explico-me melhor:

  1. A data escolhida para a realização do 5º. Congresso foi definida em outubro de 2013, quando ocorreu um encontro entre as principais lideranças de comunidades envolvidas com a visão Católicos em Células. Na ocasião todos acharam melhor que o evento acontecesse no feriado de 1º. de maio e não em Corpus Christi como havia sido nos anos anteriores, porque neste ano de 2014 esta festa cristã coincidiria com a Copa do Mundo e não queríamos perder o foco do Congresso, a decisão pareceu a todos estratégica neste sentido mas a providência estava na verdade trabalhando, porque na mesma data de realização do Congresso aconteceu o início do retiro de todos os bispos do Brasil em Aparecida do Norte e o bispo da Diocese de Castanhal no Pará, D. Carlos Verzeletti foi o conferencista principal do Congresso, de forma que estando ele no retiro dos bispos, se ausentou por dois dias para poder estar em nosso evento e de certa maneira fazer uma ponte entre o que os pastores da igreja iriam refletir para a Igreja do Brasil e a missão que Deus nos confiou.

A CNBB que havia lançado em 2013 o Estudo 104 que enfoca uma igreja estruturada em pequenas comunidades, o que veio de encontro ao propósito da visão de células, neste encontro dos bispos em 2014 trabalhou para elaborar um documento sobre o assunto, esta ocorrência no mesmo tempo do 5º. Congresso Católicos em Células sinalizou a nós um belíssimo trabalho de Deus que aponta a união dos caminhos para o progresso da pastoral da igreja em todo o Brasil, progresso este do qual queremos participar efetivamente.

  1. Apesar de já ter citado a presença de D. Carlos Verzeletti como conferencista principal, é preciso refletir separadamente sobre este ponto, porque primeiramente foi a realização de um sonho nascido no primeiro Congresso, o sonho de ter a presença de um bispo como conferencista, em segundo lugar porque D. Carlos é um pastor muito esclarecido na visão das células, a qual conhece desde 1990 quando teve seu primeiro contato com esta forma de ser Igreja na Itália. Outro elemento importante é o fato de que D. Carlos está trabalhando seriamente para transicionar sua diocese para este formato eclesial e por isso carrega consigo um testemunho vibrante, mas com certeza, o ponto mais impactante de sua presença no 5º. Congresso foi a sua sabedoria iluminada pelo Espírito Santo que abençoou a todos os congressistas com ensinamentos muito profundos, precisos e ungidos expressos na homilia da Missa de abertura e nas duas conferências que proferiu na manhã do dia 02 de maio. Deus o usou poderosamente por sua simpatia, humildade e interação. Foi um verdadeiro presente da graça.
  2. O 5º. Congresso também foi marcado por uma forte presença de comunidades de várias partes do país, foram 500 inscritos dos quais 370 não eram da Paróquia Espírito Santo, mas de mais de 45 comunidades vindos de 25 Dioceses. De Norte a Sul houve representantes e isto tornou o evento de impacto Nacional. Entre estes representantes se destacam o elevado número de sacerdotes, o maior de todos os Congressos realizados e também a presença de Diáconos. Entre os presentes muitos vieram para pela, primeira vez compreender esta forma de organização eclesial e pastoral e saíram conscientes de que este é um caminho que seguramente corresponde ao que o Documento de Aparecida aponta.
  3. Uma surpresa impactante deste Congresso foi a presença do Diácono Pippo de Milão e do Sr. Enrico Massari promotor italiano do Organismo Internacional do Sistema de Células Paroquiais de Evangelização. Foi uma surpresa porque originalmente não se havia pensado na presença de convidados internacionais, mas eles nos contataram e manifestaram o desejo de participação e depois nos esclareceram que na verdade o Pe. PiGi Perini, presidente do Organismo Internacional para as Células Católicas os enviava em nome da Igreja para estabelecer um vínculo, oficial com nossa experiência no Brasil nomeando um promotor em nosso país.

O Diácono Pippo e o Sr. Enrico fizeram ensinamentos em seminários de formação nas tardes do evento e fizeram a ultima conferência geral no sábado dia 03, durante a qual ampliaram ainda mais a visão de todos compartilhando experiências inclusive do que tem ocorrido na China, onde as células crescem e se multiplicam rapidamente, além do que expuseram mais detalhadamente o trabalho do Organismo Internacional que neste ano de 2014 receberá do Pontifício Conselho para os Leigos a aprovação definitiva em substituição da aprovação “ad experimentum” que fora dada pelo mesmo organismo do Vaticano em 2009.

  1. Além da alegria da comunhão e troca de experiência com os irmãos vindos da Itália, a missão principal que os trouxe tornou-se um grato presente de Deus para a caminhada das células católicas no Brasil. O estabelecimento e nomeação do serviço de Promoção brasileira das células colocou o Brasil em um relação importante com o que tem ocorrido na Igreja da America Latina e do mundo, porque em toda América do Sul não havia um promotor nacional sendo que já há existência de células em 5 países desta parte do continente americano. O promotor para O Brasil torna-se portanto uma ferramenta não só para seu país como para os países vizinhos onde a visão de células também de vê crescer e se espalhar.

Também o promotor para o Brasil passa a ser um integrante do conselho internacional de promotores sediado em Milão e desta forma enriquece a experiência brasileira e latino americana bem como pode compartilhar esta experiência enriquecendo os demais de outras nações.

  1. A realização dos seminários nas tardes do Congresso tornou-se também uma grata alegria pela participação ativa dos congressistas que souberam escolher os temas dos quais tomaram parte, pela riquíssima experiência dos conferencistas que puderam ajudar os participantes e pela abrangência dos assuntos que enriqueceu a todos.

Quero no entanto, destacar o Seminário para Consultores, que foi uma novidade deste Congresso, cujo qual tornou-se necessário devido ao momento de avanço iminente exigindo o aumento tão desejado da equipe Católicos em Células com fins de atender a muitas comunidades pelo Brasil.

  1. Talvez o último elemento que posso destacar deste 5º. Congresso católicos em Células que o tornou tão especial foi a sua ocorrência do evento na mais perfeita ordem e paz. A harmonia das equipes, a simplicidade e responsabilidade nos trabalhos, a ausências de conflitos e de problemas tornaram o evento leve e agradável, além do que fortaleceu muitíssimo a parceria entre as comunidades envolvidas no serviço o que se demonstrou com toda certeza na satisfação evidente dos participantes, nas acomodações, hospedagem, alimentação, logística e espiritualidade. O evento foi marcado por ensinamentos muito profundos e comunhão espiritual, as Eucaristias foram verdadeiras celebrações expressivas do Corpo de Cristo e as conferências de Sandro Peres e César Lima juntamente com a homilia do Pe. Luis Fernando na Missa de encerramento externaram uma vez mais a comunhão na visão e alegria do compartilhamento.

Por tudo isso o 5º. Congresso Católicos em Células tornou-se a coroação de um tempo, tornou-se o apontamento de novos desafios e conquistas. O Brasil está sendo abençoado por esta visão e a Agência Católicos em Células deverá tronar-se um instrumento organizado de trabalho para articular mais solidamente o avanço desta proposta em todo o país de forma que suas ferramentas de trabalho como o site: www.catolicosemcelulas.com, o escritório da Agência com uma secretaria geral, o crescimento da equipe com o estabelecimento de verdadeiras parcerias tornando cada comunidade transicionada em polos de difusão, em parceiros econômicos e em ofertante de pessoal para composição de equipe de consultores e pregadores e a estruturação da produção e publicação de material em caráter profissional possam ser usados enfim com excelência.

Desejamos vivamente que todos os que puderam beber da graça deste Congresso orem e trabalhem para que seus frutos se espalhem e alimentem a muitos, esperamos também que a alegria que experimentamos e os passos que serão dados possam preparar a todos que estiveram e a muitíssimos outros para o 6º. Congresso que deverá ocorrer em 2016, até lá Deus nos dará muitas surpresas maravilhosas e quem sabe entre elas um evento preparatório focado em sacerdotes e o avanço do Congresso para uma abrangência latino-americana.

Peço a todos que trabalhem muito por tudo isso, que orem mais ainda por estas graças, e que amem acima de tudo a Deus que nos abençoa com estas oportunidades de servi-Lo e aos nossos irmão que precisam do Evangelho e serão alcançados por meio da multiplicação desta visão de células. Deus está no comando, nós iremos em Seus caminhos com a certeza de que a vitória do Senhor é nossa porque os nossos desafios Ele está assumindo conosco.

Por Sandro Fatobene Peres
Fundador da Comunidade Fanuel
Promotor para o Brasil

Dom Cesar

posse-bispo-1Novo Bispo de São José dos Campos toma posse

Dom José Valmor Cesar Teixeira, quarto bispo diocesano de São José dos Campos-SP, tomou posse no dia 17 de maio, às 15h, na Missa celebrada no Centro da Juventude “Fuad Cury”, em São José dos Campos. Cerca de 5 mil fiéis participaram da celebração.

O báculo foi entregue a Dom Cesar Teixeira pelo cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida, metropolita da Sub-região Aparecida. Como salesiano, é apaixonado pelos jovens, crianças e pelas famílias. Seu lema episcopal “Somos de Deus”, extraído da primeira carta de João, está no capítulo 4, versículo 6, resume seu propósito de caminhar junto com seu rebanho, “como irmãos e irmãs na fé, para fazer acontecer o grande sonho de Deus”, afirmou em sua primeira homilia na Catedral de São Dimas, no domingo, 18.

Os 3 bispos que governaram anteriormente a Diocese de São José dos Campos, em seus 33 anos de existência, também  concelebraram a Missa de posse: o primeiro bispo, o cardeal Dom Eusébio Oscar Scheid, arcebispo emérito do Rio de Janeiro; o segundo, Dom Nelson Westrupp, Bispo diocesano de Santo André-SP e Dom Moacir Silva, antecessor de Dom Cesar, e atual Arcebispo metropolitano de Ribeirão Preto-SP. Também estiveram na celebração Dom Fernando Legal, Bispo Emérito de São Miguel Paulista-SP, Dom Hilário Moser, bispo emérito de Tubarão-SC, Dom Murilo Krieger, Arcebispo de Salvador–Ba, Dom Antonio Carlos Altieri, Arcebispo de Passo Fundo-RS, Dom Darci José Nicioli, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Aparecida-SP, Dom João Inácio Müller, Bispo de Lorena-SP, Dom Carmo João Rhoden, Bispo de Taubaté-SP, Dom Pedro Luiz Stringhini, Bispo de Mogi das Cruzes-SP, Dom Edmar Peron e Dom Tarcísio Scaramussa, Bispos auxiliares de São Paulo e DomJoão BoscoBarbosa de Sousa, Bispo nomeado de Osasco-SP.

Além do povo da nova diocese, participaram também familiares, autoridades e diocesanos de Bom Jesus da Lapa, que viajaram 29 horas para participar da missa de posse. No final da celebração, eles cantaram o Hino do Bom Jesus e entregaram uma réplica da imagem do Bom Jesus da Lapa a Dom Cesar.

 

O novo bispo - O papa Francisco nomeou dom José Valmor Cesar Teixeira, como bispo de São José dos Campos (SP), transferindo-o da diocese de Bom Jesus da Lapa (BA), no dia 20 de março último. A diocese de São José dos Campos estava vacante desde junho de 2013, após a transferência de dom Moacir Silva para a arquidiocese de Ribeirão Preto (SP).

Dom José Valmor Cesar Teixeira nasceu em 01 de março de 1953, em Rio do Sul (SC). Foi ordenado sacerdote em 9 de dezembro de 1979. Foi nomeado bispo pelo papa Bento XVI, em 28 de janeiro de 2009, sendo ordenado bispo no dia 29 de março do mesmo ano. Seu lema episcopal é “Somos de Deus” (1 Jo 4,6). Desde 2009, atuava na diocese de Bom Jesus da Lapa (BA).

A Diocese - Instalada em 1º de maio de 1981, a Diocese de São José dos Campos possui uma grande história de evangelização pastoral e ação missionária. Localizada na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e entre as duas maiores cidades do Brasil: São Paulo e Rio de Janeiro, é constituída por seis cidades, São José dos Campos, Jacareí, Igaratá, Paraibuna, Monteiro Lobato e Santa Branca. A população estimada, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é de 950 mil habitantes, sendo 590 mil católicos.

Com 44 paróquias dividas em sete regiões pastorais, possui um clero formado por 85 padres e 114 diáconos permanentes. A Diocese possui uma Faculdade Católica recentemente credenciada pelo Ministério da Educação e que ajuda na formação teológica de seminaristas e leigos. São 63 as obras sociais e entidades filantrópicas ligadas às paróquias, congregações e movimentos presentes. No trabalho pastoral estão 69 pastorais, movimentos, organismos e novas comunidades.

De setembro de 2008 a julho de 2010 a Diocese realizou seu 1º Sínodo Diocesano. Dois anos de trabalhos intensos e de muita oração para o conhecimento do rosto diocesano e projeção para o futuro. Com base no método "ver", "julgar" e "agir", mais de vinte seções do Sínodo foram realizadas com grande participação dos delegados que refletiram, questionaram, analisaram e apresentaram sugestões e propostas para a ação evangelizadora da Diocese de São José dos Campos.

Bispos anteriores

De 1981 a 1991 - Cardeal Dom Eusébio Oscar Scheid, SCJ, arcebispo Emérito de São Sebastião do Rio de Janeiro.

De 1991 a 2004 - Dom Nelson Westrupp, scj, bispo de Santo André.

De 2004 a 2013 - Dom Moacir Silva, arcebispo Metropolitano de Ribeirão Preto.

 

Por Ana Lúcia Zombardi, jornalista da Diocese de São José dos Campos

Protótipo de mãe

Como Deus criou as mães

Protótipo de Mãe

Deus estava trabalhando muito! Há vários dias estava fechado em seu atelier. No céu, surgiu um sentimento diferente, um sentimento de apreensão. Até que um anjo aproximou-se de Deus e perguntou-lhe:

- Meu Senhor, qual a obra maravilhosa que está criando para ocupar-se tanto assim?

A resposta foi serena e objetiva:

- Estou fazendo um protótipo de mãe! Creio que necessita ser a criatura mais perfeita de todas, pois irá cuidar da manutenção de todas as demais.

O anjo insistiu:

- Mas está dando muito trabalho! O que ela tem de tão especial assim?

Deus, apontando para o primeiro exemplar, disse ao anjo:

- Veja você mesmo!

O anjo aproximou-se do protótipo de mãe com muito cuidado e apreciava cada detalhe. Depois fez um comentário:

- Realmente é muito bonita, mas parece ser muito frágil!

Deus retrucou:

- Parece somente! O grande segredo é a sua resistência. Ela é praticamente inquebrável!

O anjo ficou curioso:

- Mas por que precisa ser tão resistente, não bastava ser como as outras criaturas?

Deus explicou:

- Claro que não! A mãe é quem suportará os conflitos. É ela quem deverá ouvir e socorrer os pequeninos. Deverá ensinar e educar as crianças para que sejam independentes. Imagine o trabalhão que terá para convencer uma pessoinha de seis anos a tomar banho e escovar os dentes! Ou uma de oito anos a fazer suas tarefas escolares! Ou uma de dez a colocar as coisas no lugar! Ela deverá consolar a adolescente quando esta brigar com o namorado! Ainda deverá orientar o pai no diálogo com os filhos maiores.

O anjo ficou surpreso e Deus continuou:

- Deverá entender de economia e de política. Deverá ter quatro olhos e oito mãos!

O anjo não aguentou e interrompeu:

- Mas para quê tudo isso Senhor?

Deus esclareceu:

- Deverá entender de economia para que nunca falte alimento na mesa; de política para conciliar a família durante as discussões; de muitos olhos para ver atrás da porta sem atrapalhar a intimidade dos filhos e de várias mãos para dar conta de tantas tarefas simultaneamente!

O anjo arregalou bem os olhos e, olhando atentamente aquela criatura tão especial, encontrou um suposto defeito. Apontando o dedo para os olhos da mãe, chamou a atenção de Deus:

- Senhor! Senhor! Aqui nos olhos tem um vazamento!

Deus, aproximando-se carinhosamente da mãe, disse ao anjo:

- Isso não é vazamento. Nem defeito. Isso é lágrima!

O anjo não sabia o que era lágrima, e perguntou:

- Para que serve isso?

A explicação foi a seguinte:

- Lágrima é para demonstrar emoção! Quando a mãe está triste, ela chora! Quando está muito feliz, ela chora! Quando está emocionada, ela chora! Quando os outros sofrem, ela chora!

O anjo interrompeu novamente:

- O Senhor é mesmo um gênio! Pensou em tudo, até em lágrimas!

Deus então completou:

- A lágrima não fui eu quem criou. Isso é coisa de mãe!

Para refletir:

Você agradece a Deus, todos os dias, pela sua mãe?

Obs: Este texto é uma homenagem para todas as mães. Está presente no livro ESCUTA ESSA – LENDAS QUE FAZEM PENSAR; Pe. Manoel Idalgo, pág.139-142

Por Padre Manoel Idalgo

25 anos de ministério

Um dos mais antigos ministros da Paróquia fala sobre a sua trajetória para poder levar a comunhão e a palavra às pessoas

 

É com carinho e determinação que o senhor Avelino Inocêncio, 70 anos, está na sua caminhada para Deus. Ministro da comunhão eucarística desde 1989, ele conta que para chegar a este posto enfrentou batalhas e participou de muitas atividades da paróquia, entre elas a Pastoral Familiar e Litúrgica.

 

“Na época eram poucas pessoas que ajudavam a exercer essas atividades da igreja, apenas eu e mais cinco colegas. Lembro-me que mesmo com as dificuldades, sempre conseguíamos conciliar as coisas. Isso foi tão contagiante que conseguimos aumentar nossa rede, que atualmente conta com aproximadamente 260 colaboradores”, comenta.

 

Durante esta caminhada, Avelino conta que a parceria de todos os membros foi fundamental, em especial a do colega Cícero, que esteve junto dele e de todos da paróquia desde o inicio. “A nossa união ajuda a continuar. Eu e ele recebemos o ministério na mesma data, através do Dom Eusébio Oscar Scheid”.

 

Além do incentivo dos colegas, outras pessoas são fundamentais para este trabalho – aquelas que recebem a comunhão-, e que consequentemente querem também ouvir a palavra. “Além de dar a eucaristia nas missas, sempre fazemos visitas às pessoas doentes e carentes que querem receber o corpo de Cristo e ouvir uma palavra de conforto”.

 

Essas ocasiões mexem tanto com ele, que muitas vezes a emoção fala mais alto. “Nessas visitas vamos levar o nosso conhecimento, mas nos é que saímos cheios de aprendizados com as pessoas fortes que nos deparamos. Quantas vezes fomos a um hospital e na casa de pessoas que mesmo com grandes dificuldades conseguem sorrir”, disse emocionado.

 

Pai de quatro filhas e avô de cinco netos, Avelino também encontra consolo na família. “Acredito que para fazer alguma coisa para outras pessoas, precisamos primeiro estar bem conosco mesmo e com a nossa família, que é o bem maior que Deus nos dá. Não vou falar que não tenho medo e às vezes me sinto cansado. Mas a vontade de fazer é tão grande que supera as outras”, salienta.

 

Para que tudo saia direito é feito uma escala que divide as missas e os ministros que vão participar, e o mesmo é feito para as visitas. Além de ministro, Avelino também é catequista para adultos e participa da rede celular.

 

Por Danielle de Souza Santos

 

Franz de Castro

Ele derramou o seu sangue por aqueles que precisavam

 

Olá, queridos leitores da PES de CRISTO. Temos uma bela notícia: a Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico, da qual falamos na edição passada, teve suas virtudes heroicas reconhecidas no dia 03/04/2014 pelo Papa Francisco. Com isso ela se torna Venerável, faltando pouco para a Beatificação.

 

Nesta edição falaremos do Servo de Deus Franz de Castro Holzwarth. Ele nasceu no dia 18/05/1942 na cidade de Barra do Piraí/RJ. Era um jovem comum, que desde pequeno demonstrava grande amor pelos menos favorecidos e possuía uma grande piedade em suas orações. Por toda sua vida queria dar-se inteiramente a Jesus, mas tinha dúvida se queria ser sacerdote do Senhor.

 

Aos 21 anos entrou na faculdade de Direito e se mudou para Jacareí. Após dois anos, veio para São José dos Campos. Nessa mesma idade escreveu uma carta, com um trecho que dizia: “Ninguém me virou a cabeça: há muito que Ele me persegue e creio que, na minha futura profissão, com Ele e por Ele conseguirei muito”.

 

Formou-se em Direito aos 26 anos e sempre defendia os menos afortunados e os excluídos, cuidando do lado jurídico e espiritual, tornando-se o Doutor dos pobres e apóstolo dos encarcerados. Entrou na Pastoral Carcerária, sendo para os presos um pai, amigo e irmão.

 

Em 14/02/1981, Franz e um amigo foram chamados para impedir o pior em um motim na cadeia pública de Jacareí. Ele se ofereceu para ficar no lugar de um refém, um policial militar. Durante toda a tensão, quando os bandidos fugiam com Franz como refém, houve um grande tiroteio em que sete pessoas morreram (cinco bandidos, um policial e o próprio Franz).

 

Ele derramou seu sangue, sua vida, pelos outros. Um verdadeiro mártir, fazendo o que ele havia dito para seu amigo Padre Altamirando: “O que importa na vida é Cristo e trazê-lo aos outros como sacerdote. Há em mim um desejo de doação total. Espero em Deus que se faça a sua vontade. Estou disposto ao que me chamar”.

Em 06/03/2009 foi aberto seu processo de canonização e em 2010 seus documentos foram encaminhados para a Congregação para a Causa dos Santos, no Vaticano. Em 2011 foi declarado Servo de Deus pelo Papa, época que marcou a abertura oficial do processo de canonização.

 

O Processo Canônico é definido pelo martírio, sendo assim, após a comprovação pelo Vaticano, ele será declarado Beato. Já existem relatos de milagres pela sua intercessão. Seus restos mortais estão expostos na Igreja Matriz de São José dos Campos, abertos à visitação e oração.

 

Franz de Castro derramou o seu sangue por aqueles que precisavam. Assim, nós também devemos dar a nossa vida e amor por eles. Rezemos por sua Beatificação.

 

Na próxima edição falaremos do Venerável Padre Rodolfo Komorek. Seguimos juntos o caminho da santidade até o céu! O Vale e o Brasil precisam de santos. Sejamos nós os santos de Cristo Jesus. Deus os abençoe! Até a próxima!

 

Por Paulo Sérgio Silva

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

3ª feira: 7h e 19h30
4ª feira: 7h e 19h30 (Setor)
5ª feira: 7h, 12h15 e 19h30
6ª feira: 7h, 15hAB 
Sábado: 19hB (Igreja e CP4)
Domingo: 7h30, 10hB, 12hB, 17h30
e 19h30B

Programação válida de 16/10 a 22/10

Confissões

3ª feira: 17h30
4ª feira: 9h30
5ª feira: 9h30
6ª feira: 9h30
Sábado: 10h

Chegar com 40 minutos de antecedência

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site