ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

Autossuficiência, um perigo! (terceira e última parte) | 02 a 08/10/2017

Tema: Autossuficiência, um perigo! (terceira e última parte)

Salmo: Sl 131 (NTLH)
Leitura: Mt 20,20-28


Ouça o estudo da semana

Temos partilhado nestas duas últimas semanas sobre um grande perigo que ameaça e atrapalha muito nosso processo de crescimento espiritual e também a comunidade em que vivemos: a autossuficiência, uma “doença” que por tantas vezes nem percebemos que desenvolvemos. Este mal, como temos refletido, alcança governos, artistas, cantores famosos e chega até nós, pessoas de fé que caminham na busca da santidade, mas que por vezes se descuidam até mesmo de “domar” sua natureza ainda não totalmente convertida, dando margem ao aparecimento da autossuficiência ou aquele sentimento de se julgar maior, melhor ou até mesmo mais agraciado do que o outro seu irmão.

Na semana passada iniciamos uma partilha sobre alguns sinais que identificam se estamos com este mal e o primeiro deles foi: que a pessoa se “sente superior aos outros mesmo nas coisas espirituais”. Embora já tenhamos comentado este primeiro sintoma, precisamos também providenciar um “tratamento” adequado afim de que possamos sanar este problema ou ao menos “remediá-lo”. E o remédio para combater este mal é o cultivo da HUMILDADE. A saúde de nossa vida espiritual não é diferente da vida de nossa saúde física: se temos um resfriado tomamos logo um remédio para cortá-lo, se estamos nos achando “superiores” aos outros, o cultivo da humildade nos ensina a sermos “servos”. “Nada façais por espírito de vanglória, mas que a humildade vos ensine a considerar os outros superiores a vós mesmos” (Fl 2,3).

O segundo sintoma é que temos dificuldade em aceitar idéias que não são minhas: pessoas autossuficientes costumam achar que somente suas propostas e sugestões são boas ou sempre são melhores que a do outro. O remédio para isto é o cultivo da ALTERIDADE (capacidade de se colocar no lugar do outro, reconhecer que o outro também tem valores e qualidades). Deus derrama suas graças a todos e usa de quem ele quiser para realizar a sua obra. O apóstolo Paulo sabia reconhecer os valores de seus companheiros, chamava-os de “caríssimo irmão” Tíquico, “caríssimo irmão” Onésimo... (Cl 4,7-9).

O terceiro sintoma é que as pessoas autossuficientes ficam muito chateadas quando não reconhecem seu trabalho: embora faça parte de nossa natureza humana termos nossos trabalhos reconhecidos (e isto faz bem para nossa estima), a pessoa autossuficiente se sente no direito de ser sempre exaltado pelo seu trabalho sob pena de ficar “emburrado”, chateado e até ameaçar se afastar da comunidade, da célula, da coordenação porque não são “lembradas”. O remédio para isto é fazermos o que fazemos sempre em nome de Jesus, isto nos garante que a obra sempre será dele: “Tudo o que fizerdes, por palavra ou por obra, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai”. (Cl 3,17)

Estes três itens são suficientes (embora tenham outros) para nos mostrar que em nosso caminhar espiritual não estamos imunes a autossuficiência. Nosso Senhor precisa sim de nós para sua obra, mas como dissemos e insistimos, a nossa natureza humana pode ser muito “traiçoeira” por não ser ainda totalmente convertida e por vezes podemos cair nesta armadilha. Nós somos “parceiros” de Deus em sua obra, mas nunca seremos autossuficientes (embora por vezes nos sintamos) na realização de Sua obra. Daí o constante estado de alerta quanto a estes sinais aqui desenvolvidos, além da soberba, arrogância, prepotência e orgulho, todos filhos e filhas legítimos da autossuficiência.

Perguntas:

1) Quais os três sinais básicos da autossuficiência?
2) Quais os remédios para a autossuficiência?

 


4º Passo= Evangelização
1) Os DVDS de nosso I Congresso Paroquial Católicos em Células podem ser encomendados na Secretaria Paroquial.

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos
1- Orar uns pelos outros (após breve partilha);
2- Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
3- Orar por todas as pastorais e movimentos;
4- Pelos encontros de formação de líderes;
5- Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
6- Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
7- Por todo trabalho de células;
8- Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
9- Orar pelos aniversariantes do mês;
10- Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
11- Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

 

“CONFIE NO SENHOR DE TODO O CORAÇÃO E NÃO SE APOIE SÓ NA SUA INTELIGÊNCIA. LEMBRE DE DEUS EM TUDO O QUE FIZER E ELE LHE MOSTRARÁ O CAMINHO CERTO” (Pv 3,5-6)

“DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMILIA, SUA REDE E SUA CÉLULA”

 

Autossuficiência: Um perigo! (segunda parte) | 25/09 a 01/10/2017

Tema: Autossuficiência: Um perigo! (segunda parte)

Salmo: Sl 23 (NTLH))
Leitura: Lc 18,9-12


Ouça o estudo da semana

A leitura do Evangelho de hoje nos mostra dois personagens que eram completamente diferentes social e religiosamente. O fariseu, um “convicto” seguidor da lei de Moisés, que se cobria de manto superficial de justiça e aparente temor a Deus; o outro, um publicano, considerado um pecador público pela sua própria ocupação profissional. Notemos que o fariseu dizia para Deus em sua “oração” que estava fazendo coisas boas, e de fato estava (não roubava, não adulterava, jejuava duas vezes por semana e pagava integralmente o dízimo), mas o que levou nosso Senhor a justificar o “pecador” publicano e não o fariseu com toda sua pompa de justiça e cumpridor do rigor da lei? O fariseu se “inflou” e como um pavão se tornou “autossuficiente” e tão somente por este seu comportamento meramente externo e também de uma prática meramente externa julgava-se melhor e superior aos outros, ele mesmo disse: “... eu não sou como os demais”.

A autossuficiência espiritual pode levar uma pessoa a este seu nível extremado: JULGAR-SE SUPERIOR AOS OUTROS, MESMO PRATICANDO COISAS BOAS. A título de exemplo, dias atrás víamos notícias de um determinado cantor gospel e sua banda que se recusavam a não comparecer em um “show” porque os contratantes não conseguiram um ônibus leito e sim o semileito para transportá-los do aeroporto até o local do show. Então o cantor se recusou a viajar um trecho pequeno neste ônibus e exigiu um carro de uma marca mais sofisticada para ele. Este, dentre tantos outros casos que se vê no “mundo religioso”, mostra as vaidades, a soberba e os resultados de pessoas que caíram na armadilha da autossuficiência.

ALGUNS SINAIS QUE IDENTIFICAM A PRESENÇA DA AUTOSSUFICIENCIA EM UMA PESSOA:

1) Sentem-se superior aos outros mesmo nas coisas espirituais: O crescer espiritualmente está inerente a todo aquele que se dispõe a este crescimento, e claro, é o nosso chamado: “Crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo” (1Pd 3,18). No entanto, como dizia Santo Tomaz de Aquino: “A graça supõe a natureza” e esta nossa natureza humana (ainda em processo de conversão) está em constante “briga” interior com a nova vida em Cristo. O apóstolo Paulo retrata isto na carta aos coríntios: “O querer fazer o bem está em mim, mas o que se me depara é o mal” (1Cor 7,14-25). É preciso então, atenção espiritual redobrada e ao menor sinal, lá no fundo de nosso coração e mente de que estamos nos sentindo superiores, maiores e melhores do que os outros, que está na hora de dobrar os joelhos e pedir a misericórdia de Deus e nos recordarmos de que é Deus quem faz a obra e se temos que nos gloriarmos de alguma coisa, gloriemos no Senhor: “Quem quiser se orgulhar, que se orgulhe daquilo que o Senhor fez”. Pois a pessoa só é aprovada quando o Senhor a aprova e não quando é aprovada por si mesma”. (2Cor 10,17-18). Não se quer com isto anular os valores, dons, talentos pessoais que o próprio Senhor nos deu, e se nos deu é para os usarmos no trabalho de evangelização e para sermos vitoriosos nele. (continua) 

Perguntas:

1) Qual a diferença da oração do fariseu e do publicano?
2) Como posso combater a autossuficiência?

 


4º Passo= Evangelização

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos
1- Orar uns pelos outros (após breve partilha);
2- Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
3- Orar por todas as pastorais e movimentos;
4- Pelos encontros de formação de líderes;
5- Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
6- Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
7- Por todo trabalho de células;
8- Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
9- Orar pelos aniversariantes do mês;
10- Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
11- Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

“OS CORRUPTOS SÃO UM PERIGO, JÁ QUE SÃO ADORADORES DE SI MESMOS,
SÓ PENSAM NELES E CONSIDERAM QUE NÃO PRECISAM DE DEUS” (Papa Francisco)

“DEPENDER APENAS DE SI MESMO É UMA AUTOSSUFICIENCIA ILUSÓRIA.
É PARECER SENTIR TODOS OS CONTROLES NAS MÃOS, MAS NA VERDADE NÃO
CONTROLAR ABSOULTAMENTE NADA”

 

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMILIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

 

Autossuficiência: Um perigo! (primeira parte) | 18 a 24/09/2017

Tema: Autossuficiência: Um perigo! (primeira parte)

Salmo: Sl 40, 1-4 (NTLH)
Leitura: Os 13,4-6


Ouça o estudo da semana

Estamos assistindo, há cerca de alguns anos, uma grande demonstração de poder econômico e bélico por parte da Coreia do Norte em relação a todo o resto do planeta, causando mais medo e insegurança do que admiração por este crescimento e peso na balança econômica mundial. Esta “autossuficiência” faz com que seus governantes se achem no direito de mostrar ao mundo inteiro suas manobras de guerra, lançamentos de foguetes de última geração, sem nenhum constrangimento, como que, comunicando através destas manifestações, que: “nós somos maiores do que vocês, podemos mais, somos mais fortes, temos mais armas, portanto nos respeitem e cuidado porque nós somos poderosos”.

Autossuficiência por definição refere-se ao estado de não necessitar de qualquer ajuda, apoio ou interação de outros para sobreviver, um tipo de autonomia, ou ainda que vive de maneira independente, que não precisa de apoio, livre.
Este mal pode ser encontrado nos governos, nas empresas, em igrejas e muito especialmente no coração e mente das pessoas, tornando-as arrogantes, orgulhosas, cheias de si como se fossem as melhores pessoas do mundo, julgando-se “superiores” aos demais. O apóstolo Paulo adverte sobre isto: “A pessoa que pensa que é importante, quando de fato, não é, está enganando a si mesma” (Gl 6,3).

Na vida espiritual, esta autossuficiência também pode se instalar em nossos corações e mentes, com relação a posições, cargos, e mesmo quando temos progressos, avanços na vida espiritual, conhecimento das coisas de Deus. Tudo isto, embora sendo coisas boas e de Deus, nossa natureza humana pode não saber “administrar” até mesmo os benefícios conseguidos na vida espiritual, e por vezes pode, consciente e outras vezes inconsciente, acontecer de nos “inflarmos” julgando-nos superiores aos demais pelo nosso “progresso espiritual”, no crescimento de nossas células, redes, podemos até nos sentirmos mais conhecedores, mais preparados, melhores pregadores, melhores músicos, mais santos, e nos considerarmos “autossuficientes”, ou seja: “EU ME BASTO”, não preciso de meu irmão(a).

A história da Salvação registra casos fortes de prejuízos quase que irreparáveis causados por esta praga chamada autossuficiência e o primeiro caso está narrado no livro de Gênesis onde a autossuficiência levou nossos primeiros pais a decidirem que poderiam viver uma vida “INDEPENDENTE DE DEUS”, e as consequências desta atitude todos nós conhecemos, foi assim que entrou o pecado no mundo (Gn 3,1-11).

O segundo caso que podemos citar como exemplo é quando a autossuficiência leva alguém a pensar ser “SUPERIOR A DEUS” e é narrado no livro de Isaías: “Rei da Babilônia, brilhante estrela da manhã, você caiu lá do céu! Você, que dominava as nações, foi derrubado no chão! Antigamente você pensava assim: “Subirei até o céu e me sentarei no meu trono, acima das estrelas de Deus. Reinarei lá longe, no Norte, no monte onde os deuses se reúnem. Subirei acima das nuvens mais altas e serei como Deus altíssimo”. (Is 14,12-14)

O terceiro exemplo é quando a autossuficiência leva alguém a “PENSAR QUE PODE TOMAR DECISÕES QUE CABEM A DEUS”. Vemos o clássico exemplo na vida de Jesus, quando Tiago e João, filhos de Zebedeu, pedem a Jesus que os deixe sentarem-se a sua direita e esquerda no reino do céu, ao que ele responde: “...Foi Deus que preparou estes lugares e ele os dará a quem quiser” (Mc 10,40). Neste sentido o cuidado deve ser especialmente quando alguém, seja em oração, ou em uma pregação anuncia: “o Senhor falou comigo”, “o Senhor mandou que eu falasse isto para vocês”, “o Senhor está dizendo tal coisa”, etc. O cuidado aqui deve estar no discernimento, o equilíbrio de se separar o ser o “portador” de uma profecia da parte de Deus de seus próprios pensamentos e emoções por melhores que sejam. (continua)

Perguntas:

1) O que é autossuficiência?
2) Quais os perigos da autossuficiência?

 


4º Passo= Evangelização

AVISOS:
1) Parabéns à Rede de Casais que realizou o encontro: “Seja bem-vindo a célula”.
2) Parabéns às redes Mista e de Mulheres que se uniram para realizar a “Noite de Oração e Cura para Mulheres”, que acontecerá no dia 29/09, às 19h30, no Espaço Vida. Convite aberto as mulheres de todas as redes.
3) Acontece neste final de semana (16 e 17/09), o Retiro “Vida Plena” com 130 inscritos. PEDIMOS A TODOS ORAÇÕES pela Equipe de Formação e por todos que irão participar.

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos
1- Orar uns pelos outros (após breve partilha);
2- Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
3- Orar por todas as pastorais e movimentos;
4- Pelos encontros de formação de líderes;
5- Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
6- Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
7- Por todo trabalho de células;
8- Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
9- Orar pelos aniversariantes do mês;
10- Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
11- Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

“OS CORRUPTOS SÃO UM PERIGO, JÁ QUE SÃO ADORADORES DE SI MESMOS,
SÓ PENSAM NELES E CONSIDERAM QUE NÃO PRECISAM DE DEUS” (Papa Francisco)

“DEPENDER APENAS DE SI MESMO É UMA AUTOSSUFICIENCIA ILUSÓRIA.
É PARECER SENTIR TODOS OS CONTROLES NAS MÃOS, MAS NA VERDADE NÃO
CONTROLAR ABSOULTAMENTE NADA”

 

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMILIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

Cartas de Deus | 04 a 10/09/2017

Tema: Cartas de Deus

Salmo: Sl 119, 97-105 (NTLH)
Leitura: 2Tm 3, 14-17


Ouça o estudo da semana

Muitos de nós ainda nos lembramos dos tempos em que se enviava cartas via correios, embora hoje ainda existam este serviço via Correio, mas bem menos. Estas cartas eram esperadas com expectativa e ansiedade pois traziam as "notícias", as "novidades" dos filhos que foram estudar fora, dos parentes que foram tentar a vida na cidade grande, relatos que ocupavam páginas e mais páginas, escritas muitas vezes à luz de velas ou lamparinas, de pais demonstrando suas preocupações e recomendando 1001 formas de cuidados aos seus amados filhos distantes de casa.

O grande filósofo Kierkegaard disse que: " A Bíblia é a carta do amor de Deus dirigida a nós". E a Palavra de Deus é isso mesmo: relata os acontecimentos, os feitos da parte de Deus para trazer seus filhos de volta para sua casa, filhos que deixaram a casa paterna para buscar outros caminhos, se perderam tanto que se esqueceram do caminho de volta. Quem já teve a oportunidade ou é daqueles tempos quando se escrevia cartas à mão pode atestar que nestas cartas os pais nunca deixavam de perguntar como as coisas estavam indo, como estavam os estudos, os trabalhos. Recomendações então, aos montes: cuidado com as más companhias, os lugares que frequentavam, se estavam se alimentando e dormindo bem, dormir cedo, não gastar muito e no final, sempre e não faltava nunca a bênção dos pais.

A Bíblia contém estas inúmeras cartas de Deus Pai que, de várias as formas, demonstra que Ele se preocupa, nos ama, quer o melhor para cada um de seus filhos. Tal qual aquele pai que faz inúmeras recomendações aos filhos distantes, Deus também nos chama, nos repreende, nos ensina, nos educa, nos dá mandamentos para que tenhamos uma referência de fé, de comportamento, de como nos relacionarmos uns com os outros.

A Bíblia, cartas de Deus para nós, registra a maior de todas as suas demonstrações de amor para conosco. Seu próprio filho, a própria Palavra de Deus, se fez gente, carne e habitou entre nós: "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós" (Joa 1,14).

E a partir de Jesus Cristo, a compreensão de tudo o que Deus havia comunicado com suas "cartas" do Antigo Testamento se torna clara como a luz do sol. Ele veio dar sentido a tudo o que até então havia sido escrito sobre esta incansável busca de Deus de nos trazer de volta para Ele. Depois de enviar várias mensagens, de falar através de mensageiros (profetas), fazer acontecer prodígios que demonstravam Sua presença, Ele mesmo veio se comunicar pessoalmente. Jesus veio nos mostrar mais claramente este caminho de volta: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida" (Joa 14,6)

Assim, a Bíblia, as cartas de Deus, devem ser sempre lidas a partir de Jesus Cristo. Ele que conhece tudo o que aconteceu no passado e sabe de todas as cartas que o antecederam: "E começou a explicar todas as passagens das escrituras sagradas que falavam dele, incluindo os livros de Moisés e os escritos de todos os profetas" (Lc 24,27). Ele é quem deu sentido a tudo o que antes se falava de Deus, veio revelar o que estava escondido, veio mostrar quem Deus é.

Para bem lermos estas cartas de Deus, entre tantas coisas importantes, devemos:

  1. Saber que estas cartas são dirigidas a você especialmente: "Sabe, pois, agora, e grava em seu coração que o Senhor é Deus, e que não há outro …Observa suas leis e suas prescrições que hoje te prescrevo, para que sejas feliz” (Dt 4,39);
  2. Pedir ao Espírito Santo que te ilumine, te inspire, te oriente e te convença sobre a verdade contida nestas cartas de Deus;
  3. Ler sempre tendo como referência Jesus Cristo, Palavra encarnada, cumprimento da promessa do Pai;
  4. Ler em comunhão com a Igreja, comunidade que Cristo deixou para continuar Sua obra;
  5. Sempre fazer a leitura orante da Palavra.

Perguntas:

1)Com que expectativa eu abro a Bíblia para saber das notícias que Deus tem para mim?

2) Tenho o hábito de ler as cartas que Deus me enviou?

 


4º Passo= Evangelização

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

    1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
    2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
    3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
    4. Pelos encontros de formação de líderes;
    5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
    6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
    7. Por todo trabalho de células;
    8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
    9. Orar pelos aniversariantes do mês;
    10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
    11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

“DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA”

 

Humanizar a fé | 28/08 a 03/09/2017

Tema: Humanizar a fé

Salmo: Sl 19,8-12 (NTLH)
Leitura: João 1,1-14


Ouça o estudo da semana

O versículo 14 deste texto nos diz: “A Palavra se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade. E nós vimos a revelação da sua natureza divina, natureza que ele recebeu como filho único do Pai”.

- A encarnação de Deus feito gente na pessoa de Jesus é um dos mais belos “mistérios” de nossa fé cristã. Este acontecimento veio mostrar à humanidade primeiramente o grandioso amor de Deus para conosco, seus filhos. Ele que saiu de si, “desceu” e veio “pessoalmente” nos salvar e conjuntamente nos mostrou como DEUS É. Além do que, Jesus, Deus feito gente, veio nos ensinar a como viver esta vida, pois também nós somos seres espirituais, viemos d´Ele e para Ele voltaremos. Nossa alma, que é espiritual é que irá se encontrar com o Senhor e habitar com Ele eternamente. Dizer do padre Teilhard de Chardin: “Não somos seres terrenos passando por uma experiência espiritual. Somos seres espirituais passando por uma experiência terrena”.

- Infelizmente pode acontecer de que nos acostumemos a ver a nossa fé apenas como um conjunto de regras e preceitos a serem professados e cridos em nossa vida. Quando não, um conjunto de rituais e sacramentos a serem absorvidos nos finais de semana em nossas celebrações. Isso também faz parte de nossa fé, mas antes disso, a nossa fé é uma PROPOSTA DE VIDA, que Cristo veio nos mostrar e viver para que aprendamos ou reaprendamos a viver. Depois do pecado perdemos o sentido da vida, de ser gente, de como nos relacionar como o outro, de como respeitar nosso próximo. Perdemos o sentido da partilha, de que somos uma só família, daí então surgem as guerras, as discórdias, roubos, até mesmo as discórdias e intrigas dentro mesmo do ambiente de Igreja. PORQUE ESTAMOS MAIS ACOSTUMADOS A PROFESSAR UMA FÉ, ela nos faz bem, alivia nossas dores, orienta nossas vidas, nos mostra o sentido desta vida e nos mostra o caminho da vida eterna. MAS POR VEZES ESTAMOS POUCO ACOSTUMADOS A HUMANIZAR ESTA FÉ, ou seja, transforma-la em um RELACIONAMENTO, em um dia a dia.

Ao olharmos a vida de nosso Senhor Jesus Cristo, embora sendo Deus, foi muito humano e presente na vida das pessoas:

  • Vivia intensamente a sua vida familiar;
  • Tinha amigos e estava sempre com eles;
  • Se relacionava bem com as leis de sua época;
  • Sabia conciliar seu ministério com sua comunidade, vida pessoal e descanso;
  • Não era rancoroso e transmitia a sua “doutrina” de maneira atrativa, simpática e com firmeza e não como os escribas.

A invisibilidade de Deus, seu poder e majestade tornaram-se muito próximo de nós devido a sua “humanização”, a sua encarnação. O mundo conheceu a Deus invisível graças à vinda de Jesus. Daí a importância de nossa fé ser uma FÉ RELACIONAL, o que cremos e professamos precisa se transformar em um atrativo para aqueles que ainda não estão conosco. Mas de que forma? Nos ambientes em que nos encontramos antes mesmo de falar de nossa fé, de Jesus, devemos procurar “SER” sempre uma presença agradável, serviçal (não subserviente), amiga, de forma que os que estão a nossa volta possam dizer: “nossa, você é diferente! ”.

- Como ajuda para que aprendamos a humanizar a nossa fé um bom exercício é “reler” os Evangelhos com outros olhos, olhos de Jesus gente, Jesus Homem. Ver como ele se relacionava com as pessoas e assim iniciarmos um caminho de “imitação de Cristo”.

Perguntas:

1) O que significa para mim Deus se fez gente?
2) Como posso humanizar a minha fé em meu dia a dia?

 


4º Passo= Evangelização
1) Os DVDS de nosso I Congresso Paroquial Católicos em Células podem ser encomendados na Secretaria Paroquial.

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

    1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
    2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
    3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
    4. Pelos encontros de formação de líderes;
    5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
    6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
    7. Por todo trabalho de células;
    8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
    9. Orar pelos aniversariantes do mês;
    10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
    11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

 

“O SER HUMANO PRECISA MAIS DE APRECIAÇÃO DO QUE PÃO”
(Santa Tereza de Calcutá)

O ORGULHO É A FONTE DE TODAS AS FRAQUEZAS, PORQUE É A FONTE DE TODOS OS VÍCIOS

(Santo Agostinho)

 

Pagina 5 de 36

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

| 2ª feira | 7h (Celebração)
| 3ª feira | 7h e 19h30
| 4ª feira | 7h e 19h30 (Setor)
| 5ª feira | 7h, 12h15 e 19h30
| 6ª feira | 7h e 15h15
| sábado | 19h
| domingo | 7h30, 10h, 12h,
17h30 e 19h30

Confissões

| 3ª feira | 17h30
| 4ª feira | 9h30
| 5ª feira | 9h30
| 6ª feira | 9h30
| Sábado | 10h

(chegar com 40 minutos
de antecedência)


Programação de 23 a 29/04/2018

 

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site