ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

pentecostes Banner site

Pactos da Célula – A Conquista - 09 | 18 a 24/04/2016

1º passo = Encontro (acolhida) 10 min (Cafezinho, se houver. Também pode ser oferecido no final da reunião).
Quebra-gelo: Escolha no seu livro, um quebra-gelo ideal para sua célula.

2º passo = Exaltação (As músicas devem corresponder ao louvor e à adoração) 15 min.
Louvor 1) à escolha.
2) à escolha.
Adoração – à escolha
Salmo: 108 (NTLH)
Louvor espontâneo

3º passo = Edificação (ensino) 40 min
Tema:: Pactos da Célula – A Conquista - 09
Leituras = Mateus 28,19-20

            Nossa geração, nossa cidade e nação podem ser alcançadas para Cristo. O Senhor Jesus foi realmente preciso na última orientação que deixou à Igreja, e esta orientação foi na realidade uma ordem dada a todos quantos se considerarem Seus seguidores (discípulos).

Nessa ordem o Senhor demonstrou que nós podemos e devemos impactar as pessoas de cada geração, movendo cidades e nações inteiras para que aceitem o Evangelho e sejam salvos. A cada nova geração da Igreja esta ordem se renova e com ela o poder de conquista. Nós precisamos compreender isto: a Palavra de Deus empenhada é dotada de poder para realizar a obra que suscita (cf. Is 55, 10-11).
Basta que multipliquemos nossas células uma vez a cada ano. Ora, a nós foi dado uma visão e ela nos capacita para cumprirmos com a obra do ministério nessa geração. A ordem de conquista que o Senhor Jesus nos deu foi seguida não só de poder para o cumprimento, mas também de sabedoria. Esta sabedoria que nos foi comunicada é a visão de células.

Se nós entendermos isso certamente cumpriremos com o mandato de conquista, porque um elemento fundamental na visão é exatamente a multiplicação; é que nós compreendamos que cada discípulo pode fazer mais um em um ano e isso resultará numa projeção de multiplicação ao dobro em cada célula, que por sua vez resultará no dobro anual de toda a comunidade. De fato, é uma projeção matemática de multiplicação e crescimento contínuo. Assim, se cada um tomar posse dessa ordem e da sabedoria que nos foi dada para cumpri-la, certamente faremos a obra que se espera de nós e conquistaremos nossa geração para Cristo.

Como já percebemos, cada um tem que assumir a sua parte; ninguém pode ficar parado ou em ‘eterno tratamento’ na comunidade cristã autêntica. Não existe o ‘só beber’, porque todos precisam servir no cumprimento do grande mandato, da grande comissão, desse ide de Jesus. Para que seja assim é necessário que cada membro da comunidade faça um PACTO DE CONQUISTA. Perceba bem que são dois elementos fundamentais, cada membro e pacto de conquista. Pouco adiantará se somente alguns fizerem a sua parte, é preciso que todos façam. A visão celular compreende que 80% ou mais dos discípulos de uma comunidade precisam estar ativos na evangelização, sendo que os restantes são aquela parte do rebanho que ainda está em fase inicial sendo consolidados para serem também enviados.

Outra coisa é o pacto. Conquistar tem de ser algo pactuado, assumido como honra e verdadeiro compromisso ético. Quem não o faz ou não o cumpre deve sentir-se incomodado e desconfortável frente a uma comunidade operante.
Somente aqueles que estão aliançados frutificam. Para que seja assim, então é preciso entender um último elemento, que é o sentimento efetivo de aliança. Não basta que alguém ame a comunidade como sua família, precisa tornar isso em prática e aí está a aliança.

Ser aliançado é abraçar a comunidade como sua missão de vida e nela render-se nas mãos de Deus, venha o que vier. É manter-se unido ao carisma que a inspira com todas as forças e olhar fixamente para o mundo à sua volta contemplando-o como seu, nesta graça que expressa. Realmente, neste ânimo de amor, obediência e vontade, este discípulo frutificará.



Perguntas
1 – Você está consciente que é um evangelizador?
2 – Você tem alvos (pessoas) para evangelizar?

Declaração
“Eu faço hoje o pacto da conquista da nossa geração. Declaro que me empenharei em oração, contribuindo e liderando para que o Reino de Deus avance em nossa cidade. Da mesma forma que me sacrifico pelos meus irmãos, faço o compromisso de jejuar e buscar por todos os meios a multiplicação da minha célula. Vou dar o máximo para trazer visitantes e também consolidá-los depois de convertidos. Não vou me preservar e nem criticar meus líderes por causa da visão da conquista e da multiplicação”.



4º passoEvangelização = (15 min)

AVISOS

1) No próximo final de semana (conforme já estabelecemos: todo último domingo de cada mês) teremos mais multiplicações de células, momento importante na vida de todo nosso sistema paroquial em células. Devido a importância das multiplicações, estamos propondo que todo último domingo de cada mês, todos os membros de células participem da missa no horário das 19h30 e assim:
A) Possamos dar apoio aos novos líderes e à nova célula que nasce, mesmo que neste dia não tenha alguma célula de sua rede multiplicando.
B) Mostrar sinal de unidade e força a comunidade paroquial aberta presente.
C) Oportunidade de nos alegramos com o conjunto do corpo celular que cresce e se multiplica.
D) Renovarmos nossas forças e alegria junto a nossa célula.

2) Devido a grande procura para a palestra do professor Felipe Aquino com o tema “A vocação do líder empresarial”, através do projeto Edificar, no sábado, 30 de abril, às 19h30, estamos abrindo vagas para acompanhar da Sala Esperança (em telão com transmissão simultânea). Os interessados poderão se inscrever na Secretaria Paroquial.

 


5º passo - Entrega (oração) – 10 min

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  5. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  6. Por todo trabalho de células;
  7. Orar pelos aniversariantes do mês;
  8. Orar pelo Congresso Católicos em Células

 

“SUCESSO COMEÇA COM UM SONHO, DO SONHO PARA A META, DA META PARA A DISCIPLINA,
DA DISCIPLINA PARA A PERSISTÊNCIA E DA PERSISTÊNCIA PARA A CONQUISTA”. (Anônimo)

                          DEUS ABENÇOE SUA SEMANA, FAMÍLIA, TRABALHO E SUA CÉLULA.

Pactos da Célula – A Sensibilidade – 08 | 11 a 17/04/2016

1º passo = Encontro (acolhida) 10 min (Cafezinho, se houver. Também pode ser oferecido no final da reunião).
Quebra-gelo: Escolha no seu livro, um quebra-gelo ideal para sua célula.

2º passo = Exaltação (As músicas devem corresponder ao louvor e à adoração) 15 min.
Louvor 1) à escolha.
2) à escolha.
Adoração – à escolha
Salmo: 65 (NTLH)
Louvor espontâneo

3º passo = Edificação (ensino) 40 min
Tema:Pactos da Célula – A Sensibilidade – 08
Leituras = João 2,1-12

             Hoje, Deus está nos convidando a desenvolvermos um estilo de vida, onde nosso agir seja todo ele pautado por verbos que evoquem nosso envolvimento real com as pessoas e com suas coisas, grandes e pequenas.

             Parece-me que, de fato, não podemos deixar passar isso despercebido de nossa realidade cristã, sem culpa. Na verdade, não estamos aqui para fazer de conta e timidamente amarmos, cheios de fingimentos e superficialidade. Numa palavra, podemos dizer que nossa vida cristã deve estar à “flor da pele”. Isso tem um significado muito bem compreendido por todos.

Nós precisamos mesmo cultivar uma vida cristã de relacionamentos que nos sensibilizem com a vida alheia. Neste sentido, entendemos claramente como a célula é uma escola de sensibilidade, e que se nos recusamos em aprender a lição, começamos a nos sentir marginalizados por nossa própria autodefesa, que se torna inevitavelmente auto exclusão.

De fato, não dá para fazermos de conta que amamos em meio a um grupo de real vida comunitária, e se o grupo todo finge, logo se sente hipócrita e perde a razão de existir. Os alcoólatras podem se reunir de forma fingida em grupo, porque o que lhes interessa é a bebida. Os corruptos podem se reunir de forma fingida em grupo, porque o que lhes interessa é tirar vantagens. Nós não podemos ser assim, porque o que nos interessa é o amor fraterno e se ele faltar, não temos razão de nos reunir. Se alguém está no grupo e não se deixa tocar, logo o sente inóspito e certamente o deixará, dizendo que não foi acolhido devidamente ou que as exigências eram demasiadas.
Claro que é muito mais fácil fazermos uma vida cristã de aparências e rituais que nos mantenham isolados uns dos outros, ainda que isso lentamente nos torture e tire nossa alegria de seguir a Jesus. É claro que compreender a vida dos outros na nossa e nos sensibilizarmos, torna-nos mais vulneráveis e comprometidos, massacra nosso orgulho e “posição”, no entanto, é libertador e curativo.

A aliança de Deus com os homens no tempo de Jesus já estava saturada dessa superficialidade insensível. A vida do homem com Deus, que deveria ser um matrimônio de amor, havia se tornado um desgosto triste e intolerável como se fosse uma festa de casamento sem vinho, o que era extremamente desagradável para os festejos deste gênero da época.

No Evangelho de São João podemos encontrar sete milagres de Jesus (o que é em si uma simbologia da obra completa de Deus) e o primeiro deles foi o que vemos em João 2, 1-11, as Bodas de Caná. Nesse episódio aprendemos esta lição: Deus não nos quer com esses relacionamentos frios e insensíveis, tristes e desagradáveis, seja com Ele, seja uns com os outros. Por isso Jesus foi à festa. Mas vejamos, Ele foi provocado ao milagre por causa de um gesto de sensibilidade de uma pessoa que viu faltar vinho: Maria. Quantas pessoas deveriam estar por ali? Mas só Maria o percebeu!? Ela, que é a primeira alma da Nova Aliança, em tudo plenificada da graça de Deus (cf. Lucas 1, 28), estava extremamente sensível à situação, que não era só de um casamento numa vilazinha do passado, mas se refere à vida humana. A sensibilidade de Maria fez iniciar o ministério de Jesus, e isso sempre se repete, quando outros cristãos resolvem sair da rotina religiosa e dar um passo nesta direção. De novo, ainda que pareça ser algo que não suscite interesse em Deus (versículo 4), o amor se renova, a alegria verdadeira volta, a vida torna-se uma festa de convivência.

Essa é nossa proposta com a visão celular. Porque, começando no pequeno grupo, a sensibilidade aumenta e o mundo à nossa volta é atingido pelo contagiante amor de Deus que de novo aquecerá os homens, mas não com o ESPÍRITO DE VINHO e sim com o ESPÍRITO DIVINO, que é o amor de Deus derramado em nossos corações (cf. Romanos 5, 5).



Perguntas
1 – Você é sensível às necessidades dos outros, em especial aos membros de sua célula?
2 – Estou disposto (a) a me interessar sinceramente pelos outros? Que atitudes práticas eu posso fazer?

Declaração
“Assim como desejo ser conhecido e compreendido por vocês, faço o pacto de ser sensível a vocês e às suas necessidades. Vou ouvi-los e sentir o que se passa com vocês, e procurar tirar vocês do desânimo e isolamento. Vou evitar seriamente dar respostas simplistas para as situações nas quais vocês se encontram”.



4º passoEvangelização = (15 min)

1) Com alegria convidamos todas as redes para a Grande Célula no sábado, 16 de abril, após a missa das 19h30, que terá com presença de Prado Flores, pregador do Congresso Católicos em Células, que abordará o tema “Nova Evangelização e Discipulado”.

2) Continuamos a solicitar sugestões de temas para que possamos desenvolver novos roteiros. Gentileza enviar suas ideias para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

3) Com o propósito de dar maior visibilidade ao nosso sistema de evangelização em células, reforçamos pedido de que nos informem as casas de anfitriões e de líderes onde se reúnem células (dentro dos limites geográficos da paróquia) para que possamos confeccionar banners “Aqui se reúne uma célula católica”. Comunicar pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..   


5º passo - Entrega (oração) – 10 min

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  5. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  6. Por todo trabalho de células;
  7. Orar pelos aniversariantes do mês;
  8. Orar pelo Congresso Católicos em Células

CUMPRIMENTO DA PÁSCOA DO REINO DE DEUS
“Quando da última ceia, o Senhor mesmo dirigia o olhar de seus discípulos para a realização da páscoa no reino de Deus. ´Desde agora não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que conosco beberei o vinho novo no reino de meu pai´ (Mt 26,29). Toda vez que a Igreja celebra a Eucaristia lembra-se desta promessa e seu olhar se volta para “aquele que vem” (Ap 1,4). Em sua oração suspira por sua vinda: “Maran athá” (1cor16,22). “Vem, vossa graça e passe deste mundo” (C.I.C- 1403)

 

DEUS ABENÇOE SUA SEMANA, FAMILIA, VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL E SUA CÉLULA!

DESEJAMOS A VOCE UMA SEMANA SANTA ABENÇOADA CULMINANDO COM A PÁSCOA VITORIOSA!

Pactos da Célula – A Transparência - 07 | 04 a 10/04/2016

1º passo = Encontro (acolhida) 10 min (Cafezinho, se houver. Também pode ser oferecido no final da reunião).
Quebra-gelo: Escolha no seu livro, um quebra-gelo ideal para sua célula.

2º passo = Exaltação (As músicas devem corresponder ao louvor e à adoração) 15 min.
Louvor 1) à escolha.
2) à escolha.
Adoração – à escolha
Salmo: 23 (NTLH)
Louvor espontâneo

3º passo = Edificação (ensino) 40 min
Tema: Pactos da Célula – A Transparência - 07
Leituras = I João 1,5-10

                Desde que Jesus disse a Nicodemos que ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo (cf. Jo 3, 3), o cristianismo tornou-se uma exigência de vida transformada, vida que é caminhar na luz (cf. Jo 3, 21). Quem assim o faz é como a árvore que cresce na beira do riacho: dá fruto e não murcha (cf. Sl 1, 3a). Este “frutificar” é a verdade do Evangelho na pessoa, e os frutos de uma árvore não podem ficar escondidos (cf. Mc 11, 12-13; 12, 33), pois a vida de Deus em nós, uma hora ou outra acaba transparecendo dos seguintes modos:

1. Evidencia-se perante os homens: Jesus ensinou que nós somos sal da terra e a luz do mundo (cf. Mt 5, 13-15). A luz resplandecerá quando os outros virem as coisas boas que são feitas pelos regenerados e assim louvarão o Pai (cf. Mt 5, 16). Essa é uma palavra poderosa às nossas células.
Nesta matéria, há muitos que se enganam porque acham que as tais ‘boas obras’ signifiquem perfeição humana. Ora, temos aqui a lição da transparência da lâmpada, que é mero instrumento portador de uma luz que não tem origem nela mesma. Se ela é transparente, maior é a claridade que emite, e esta transparência é a verdade de sua vida; isso equivale a dizer que os bons atos são a humildade de reconhecer perante todos as próprias faltas em relação à vida cristã, e a submeter-se à ajuda da comunidade para ser mais cristão. Temos, porém, de ter cuidado em entender isso, para que não se passe a presumir que transparência é simplesmente mostrar defeitos. Transparência é sim não ocultar as deficiências que se tem, mas sob o propósito de se tornar melhor, o que se evidencia deixando-se trabalhar e ser confrontado por todos.

2. Evidencia-se perante Deus: Jesus ensinou que a transparência deve ser também perante Deus e que por isso, devemos ter o cuidado de não praticar os deveres religiosos a fim de sermos vistos. Se é este o padrão de transparência que alguém acredita ser o esperado por Deus, então, está se iludindo e buscando louvor humano, e não receberá recompensa (cf. Mt 6, 1). Tal ensino nos confronta em relação ao anterior e o esclarece, pois deixa claro que a transparência não é desfilar virtudes de perfeição, mas se submeter à verdade para ser melhor. O que realmente de bom Deus operar por meio de nós, também não ficará escondido (cf. Mt 6, 4).

3. Evidencia-se em nossa união com Cristo: para aparecem os bons frutos, a condição de Jesus é ficarmos unidos a Ele (cf. Jo 15, 4). Ele ensinou isto associando tal conceito ao AMAI-VOS e isto diz muito sobre a transparência cristã. A união fraterna é a prova da união interior com Cristo, porque, na verdade, dos relacionamentos é que podemos demonstrar se estamos mesmo sendo trabalhados por Deus, por isso, Jesus disse aos seus 12 discípulos que não os chamava mais de empregados, mas de amigos, pois havia revelado tudo de Si a eles no cotidiano da convivência (cf. Jo 15, 15; 17, 22). Precisamos, porém, compreender que Jesus escolheu fazer isso, Ele não foi coagido. Ele conhecia as pessoas (cf. Jo 2, 24), mas não deixou de Se transparecer na Eucaristia, mesmo com ciência do risco de traição (cf. Jo 13, 18); não deixou de transparecer a elas a Sua glória na Transfiguração (cf. Lc 9, 28-36), ainda que eles O pudessem abandonar (cf.  Jo 18, 25). Enfim, Ele disse: “Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu que os escolhi para que vão e deem fruto e que esse fruto não se perca” (Jo 15, 16a).
Resta-nos, então, escolher amar as pessoas de nossa célula e sermos transparentes a elas na verdade, para que encontrem verdadeiros frutos de vida nova, se não de bondade já maturada, ao menos de humildade em deixar-se tocar para produzir a bondade esperada.

Perguntas
1 – Como podemos viver a transparência na partilha realizada na célula?
2 – O que poderia impedir que sejamos transparentes uns com os outros?

Declaração
“Prometo empenhar-me para ser uma pessoa mais aberta e compartilhar meus sentimentos, minhas lutas, minhas alegrias e minhas dores com vocês da melhor maneira possível. Eu farei isso, porque sei que, sem vocês, não irei muito longe. Digo isto para afirmar o valor que vocês têm para mim, como pessoas. Em outras palavras, eu preciso de vocês! ”.

4º passoEvangelização = (15 min)

 


5º passo - Entrega (oração) – 10 min

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  5. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  6. Por todo trabalho de células;
  7. Orar pelos aniversariantes do mês;
  8. Orar pelo Congresso Católicos em Células

CUMPRIMENTO DA PÁSCOA DO REINO DE DEUS
“Quando da última ceia, o Senhor mesmo dirigia o olhar de seus discípulos para a realização da páscoa no reino de Deus. ´Desde agora não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que conosco beberei o vinho novo no reino de meu pai´ (Mt 26,29). Toda vez que a Igreja celebra a Eucaristia lembra-se desta promessa e seu olhar se volta para “aquele que vem” (Ap 1,4). Em sua oração suspira por sua vinda: “Maran athá” (1cor16,22). “Vem, vossa graça e passe deste mundo” (C.I.C- 1403)

 

DEUS ABENÇOE SUA SEMANA, FAMILIA, VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL E SUA CÉLULA!

DESEJAMOS A VOCE UMA SEMANA SANTA ABENÇOADA CULMINANDO COM A PÁSCOA VITORIOSA!

Pactos da Célula – A Honestidade - 06 - dia 14 a 20/03/2016

3º passo = Edificação (ensino) 40 min

Tema: Pactos da Célula – A Honestidade - 06
Salmo: 45 (NTLH)
Leituras: Efésios 4,17-25

Paulo disse aos “salvos” de Filipos: “Continuem trabalhando com respeito e temor de Deus para COMPLETAR A SALVAÇÃO de vocês” (2, 13). Ora, firmar pactos com o propósito de desenvolver a vida nova que um dia recebemos de Cristo, ou “completar a salvação”. Isto tem a ver com desenvolvimento de caráter, no sentido de forjar o nosso caráter de discípulos segundo o caráter de Cristo, Homem santo. Ora, o valor de uma pessoa é o seu caráter (cf. Fp 2, 22).

Neste sentido, o pacto de honestidade é determinante para o crescimento de todos, porque ser honesto é questão de caráter, de índole, de princípio de vida, de temor e obediência a Deus. Ser honesto é uma decisão, porque honestidade tem a ver com meus valores e com a minha condição interior e a Bíblia diz o seguinte a respeito destes valores: “Tenha cuidado com o que você pensa, pois A SUA VIDA É DIRIGIDA PELOS SEUS PENSAMENTOS” (Pv 4, 23).


A honestidade preserva a segurança na vida em comum
“...Não mintam mais... pois somos membros do corpo de Cristo” (Ef 4, 25). A vida em comum, seja de um casal, seja de uma comunidade cristã requer honestidade, pois ela é uma das qualidades mais importantes de uma relação feliz. Não mentir significa ser transparente e não aparente, embora a cultura atual nos empurre para baixo, fazendo-nos cair de três modos. Existe:

  1. O mentiroso “inato”: nasceu com isso, sempre contou pequenas mentiras, diz que está fazendo uma coisa e está fazendo outra. É sutil. Quando confrontado, não se lembra do que disse. É um mentiroso crônico que acha quase impossível admitir a verdade a seu respeito;
  2. O mentiroso “para evitar problemas”: esse tipo não mente sempre, só quando há pressão ou um problema sério. Como no primeiro caso, são pessoas que têm desvio de caráter;
  3. O mentiroso “protetor”: é a pessoa que mente para proteger os outros da ansiedade e das preocupações com as dificuldades do dia-a-dia.


A Palavra de Deus é muito clara acerca da honestidade. Assim, não importa o tipo de mentiroso que você seja, a sentença é igual para todos: “A pessoa que diz mentiras a respeito dos outros é tão perigosa quanto uma espada, um porrete ou uma flecha afiada” (Pv 25, 18).


Na vida em células primamos pelos valores do Reino e objetivamos chegar ao ponto de dar a vida uns pelos outros. Todavia, como chegar a este estágio elevado, quando temos dificuldades em questões simples como o trânsito, a escola (colas...), a profissão (enrolação no expediente, uso ilícito da Internet, xerox não permitidas...), mau uso do dinheiro...


A honestidade precisa ser para o discípulo como a roupa que ele troca todos os dias (cf. Jó 29, 14). Quer dizer, para cada dia tenho um novo desafio e preciso revestir-me da graça para ser fiel. Além de não mentir, honestidade implica em sinceridade nos relacionamentos: não cair no pecado por causa de um natural acesso de ira (cf. Ef 4, 26).

A desonestidade nos sentimentos, nas aparências e nas palavras são portas abertas à ação do tentador, que é oportunista (manobrista). Ou seja, faltar com a sinceridade é sinônimo de contar com o diabo, dar lugar para ele dentro e entre nós. É algo terrível faltar com a honestidade, porque ao mesmo tempo dá espaço para o demônio agir e entristece o Espírito Santo (cf. Ef 4, 27. 30) e pecar contra o Espírito é garantia certa de condenação eterna (cf. Mc 3, 29). E atente ainda ao fato de que Jesus relacionou este pecado à maledicência, mentiras e fofoca (cf. Mc 3, 30).

               

Perguntas

  1. O que você entende por ser honesto com os outros?
  2. As pessoas de sua célula são honestas umas com as outras?
  3. O que fazer para que isto aconteça na célula?

Declaração

                “Eu decido ser honesto, por isso não vou esconder como me sinto a respeito de vocês. Contudo, pelo Espírito Santo, procurarei conversar francamente com vocês, de modo amoroso e perdoador, para que nossas frustrações mútuas não se transformem em amargura. Comprometo-me a ser sincero e honesto com vocês, pois sei que, quando falamos a verdade em amor, é que crescemos em tudo, naquele que é o cabeça, Cristo (Ef 4, 15). Vou me empenhar para expressar esta honestidade de maneira sincera e controlada”.

               

4º passo – Evangelização = (15 min)

AVISOS

AVISOS

1) Convidamos todas as redes a participarem ativamente das festividades pascais de nossa paróquia:
A) Domingo de Ramos, 20/03, Santa Missa e Procissão com saída às 8h da Praça Cândido Bertholini. Ficaria muito bonito se todas as redes viessem com as suas respectivas camisetas.
B) Observar a escala de vigília no informativo paroquial.

               

5º passo - Entrega (oração) – 10 min

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9.  Orar pelos aniversariantes do mês.

“SE QUEREIS PROGREDIR NO AMOR DE DEUS, MEDITAI TODOS OS DIAS A PAIXÃO DO SENHOR. NADA CONTIBUI TANTO PARA A SANTIDADE DAS PESSOAS COMO A PAIXÃO DE CRISTO”.
(São Boaventura)

“Deus abençoe sua semana, sua vida pessoal, familiar, profissional e sua célula”

 

Pactos da Célula – A Lealdade - 05 07 a 13/03/2016

3º passo = Edificação (ensino) 40 min

Tema: Pactos da Célula – A Lealdade - 05
Salmo: 95 (NTLH)
Leituras: João 3,16-17

                Podemos dizer que este é o tema central do plano da salvação: DAR A VIDA. Talvez João 3, 16, seja o versículo mais conhecido das Escrituras, mas providencialmente I João 3, 16, é a continuidade imediata dele, sob mesma numeração e mesmo autor humano, o que nos facilita, inclusive, de guardá-lo na memória.

                Nem sempre isto é ressaltado, porque todos gostamos de saber que Deus deu Sua vida por nós, mas nem sempre aceitamos dar nossas vidas pelos outros. Há quem tente nos interpelar com este princípio bíblico nos exigindo de dar a vida pelos nossos inimigos. Só que ninguém chega a isto de um dia para o outro...

                Na verdade, só podemos dar a vida pelos nossos amigos, e o que temos de fazer é transformar nossos inimigos em amigos, ou seja, trazer as pessoas para a nossa convivência. A Bíblia nos ensina quanto a isto, mostrando qual foi o agir de Deus neste sentido (cf. Rm 5, 6-11).

                Então, podemos sim dar a vida uns pelos outros, se nós nos tornarmos amigos uns dos outros. Isso não se faz sem o auxílio da graça de Deus, daí que é preciso primeiro amar as pessoas em oração para que o Senhor convença nossos corações a perdoar e a aceitar. Depois, é preciso aproximar-se para aproximar, ou seja, nos aproximar com a graça de Deus, e então aproximar a pessoa de mim e do Senhor Jesus.

                Entramos em um mundo de relacionamentos e aí nos tornamos amigos em Cristo. Mas isso não se dá no mundo, e sim na Palavra de Deus. É preciso um ambiente cristão saudável, que favoreça nosso relacionamento amigável em amor “ágape” (amor de irmãos em Deus).

                Ora, a célula é realmente este ambiente eclesial fértil para iniciarmos amizades no SENHOR e para podermos cultivá-las, renovando sempre nossa entrega de vida uns pelos outros.              Por esta razão, precisamos fortalecer a vida de vínculos de amizade e fraternidade cristã na célula. Isto é possível quando certos valores da vida comunitária nos moldam e nos guiam. A célula, mais do que um grupo de compromisso religioso, é uma real comunidade e, portanto, precisa ser guiada por valores antes de práticas. Assim, uniremos João 3, 16, a I João 3, 16.

                Então para que isto se torne claro para nós, é conveniente que façamos alguns pactos de vida e discipulado na comunidade em células. Precisamos primeiramente tomar a consciência de que somos um povo que pertence ao SENHOR (cf. Lv 11, 44-45).

                Sim, nós somos santos e consagrados, dedicados e separados, comprados a preço de sangue e não podemos deixar de viver nesta medida alta da vida cristã. Então, como homens e mulheres, crianças, jovens e adultos, celibatários, casados e pessoas em discernimento do estado de vida, nós temos que nos unir em Cristo, sendo fiéis aos princípios do Evangelho que se manifestam por meio da VISÃO da comunidade, da OBEDIÊNCIA aos que nos guiam, e por meio da MUTUALIDADE de amor cristão.

                A soma desses elementos na vida da comunidade é o que chamamos de lealdade. Eis aí o pacto que faremos nesta semana, e continuaremos fazendo os outros, semana a semana, para que Deus firme em nós os valores do Reino dele.

                O mundo precisa ver o compromisso de amor entre nós. Seja uma pessoa de aliança e tome hoje a decisão de amar os irmãos incondicionalmente.

               

Perguntas

  1.  Você é um (a) amigo(a) leal?
  2.  O que você espera de uma pessoa leal?
  3.  Como fazer para que a lealdade cresça na célula?

Declaração

                “Eu escolho amar, edificar e aceitar cada um dos meus irmãos e irmãs, não importa o que digam ou façam. Eu escolho amá-los do jeito que eles são. Nada do que fizeram vai me impedir de amá-los. Posso não concordar com suas ações, mas irei amá-los e fazer tudo para suportá-los pela graça de Deus que habita em mim”.

               

4º passo – Evangelização = (15 min)

AVISOS

1) Pedimos a todos que confiram e acompanhem escala da vigília dos dias 24 e 25 em nosso informativo paroquial.

2) Pedimos e já agradecemos sugestões de temas a serem desenvolvidos em nossos roteiros. As sugestões podem ser enviadas para a Secretaria de Células pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

               

5º passo - Entrega (oração) – 10 min

Orar uns pelos outros (após breve partilha);

Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;

Orar por todas as pastorais e movimentos;

Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;

Orar pelos vigários Paroquiais, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;

Por todo trabalho de células;

Orar pelos aniversariantes do mês;

Orar pelo Papa Francisco para que o Espirito Santo o ilumine e fortaleça na condução da   Igreja de Cristo

Orar pelo retiro Vida Plena que acontecerá nos dias 12 e 13 de março: pelos participantes, por toda a equipe que irá trabalhar.

Orar pela ECEFP (Escola Celular de Formação Permanente)

“TARDE TE AMEI, Ó BELEZA TÃO ANTIGA E TÃO NOVA, TARDE TE AMEI! ESTAVAS DENTRO DE MIM E EU ESTAVA FORA, E AI TE PROCURAVA...ESTAVAS COMIGO, E EU NÃO ESTAVA CONTIGO...MAS TU ME CHAMASTE, CHAMASTE E ROMPESTE A MINHA SURDEZ. BRILHASTE, RESPLANDECESTE E CURASTE A MINHA CEGUEIRA”  

(Santo Agostinho)

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMILIA E SUA CÉLULA.

Pagina 10 de 28

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Confissões


3ª feira: 17h30
4ª feira: 9h30
5ª feira: 9h30
6ª feira: 9h30
Sábado : 10h 

Chegar com 40 minutos de antecedência

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site

 

 

SEJA BEM VINDO.


Este é o novo site da Paróquia Espirito Santo.
Gostaríamos de mostrar para você algumas das funcionalidades novas que preparamos.



Conhecer o site