ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

Como manter uma célula viva (quarta parte: perseverar na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações) | 14 a 20/11/2016

Tema: Como manter uma célula viva (quarta parte: perseverar na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações)

Salmo: 133 (NTLH)
Leitura: At 2,42


Estamos continuando nossa série “Como manter uma célula viva” e já sabemos que estar batizados no Espírito Santo e perseverar na doutrina dos apóstolos foram características essenciais para que as primeiras células crescessem e se multiplicassem. Esta semana vamos ver outras destas características que, somando-se àquelas que já vimos, fortaleceram nossos primeiros irmãos e irmãs na fé e fizeram com que a Boa Nova chegasse até aqui entre nós. Diz a palavra: “eles perseveraram na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações”.

A) NA COMUNHÃO FRATERNA: Uma das principais marcas de nossos primeiros irmãos na Igreja nascente era a comunhão fraterna, que é a compreensão profunda do amor Ágape de Jesus por todos eles, que fizeram a experiência de doar-se sem esperar nada em troca. Este amor transformou-se em comunhão (Koinonia) com Deus, com os irmãos, de fé, compreendendo que pertencem uns aos outros, sendo são irmãos de fato. A solidariedade, ajuda mútua, o colocar-se no lugar do outro acontecia entre eles, por isto é que mais adiante São Lucas vai atestar que “entre eles não havia nenhum necessitado” (At 4,34), a fé professada se torna fé praticada. Esta consciência de que “todos eram um só coração, uma só alma” vai se solidificando e mais tarde Paulo dirá aos Gálatas “fazei o bem a todos, mas particularmente aos irmãos na fé” (Gl 5,10). A nova fé professada em Jesus de Nazaré estava fundada no amor pregado e vivido por ele e vivida ao extremo até a morte de cruz, prova maior de amor: “até o extremo os amou” (Jo 13,1). Este amor se desdobrou em atos concretos entre a comunidade inicial a tal ponto dos de fora dizerem sobre eles: “vejam como eles se amam”.

B) NA FRAÇÃO DO PÃO: “Isto é o meu corpo que é dado por vós, fazei isto em memória de mim”(Lc,22,7-20). Na Eucaristia é que nos encontramos por excelência com nosso Senhor Jesus Cristo, nos alimentamos, entramos em “comunhão” com ele, ou seja, em (comum – união). Unidos com ele e com a sua Igreja em um propósito comum,  participarmos da mesa eucarística é consequência dele primeiro entrar em nossa casa, em nosso coração: “Eis que estou a porta e bato, se alguém ouvir a minha voz, e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo” (Ap 3,20). Sentar a mesa com ele é sinal de estarmos em paz com Deus, conosco mesmos, e com o nosso próximo: “se quando for fazer uma oferta, lembrar que seu irmão tem alguma queixa contra você, vai primeiro reconciliar-te com seu irmão, depois vem fazer a tua oferta” (Mt 5,23-24). A lição de Emaús deve ser diária para cada membro de célula: “eles o reconheceram no partir do Pão”(Lc 24, 13-35).

C) NAS ORAÇOES: “Será que vocês não podem vigiar comigo nem uma hora? ” (Mt 26,40)
A oração é a fonte de nossa perseverança junto ao Senhor, dedicar tempo a ela é essencial para nossa vida espiritual, pessoal e da saúde de nossas células. Sem oração ficamos fracos, sem inspiração, sem unção. “Orem sempre”, diz o apóstolo Paulo (1Tes 5,17). Moisés orou pela batalha contra os amalequitas e precisou até da ajuda Arão e Hur para que não se desfalecesse, mas não deu margem ao seu cansaço e a batalha foi vencida. Orar deve ser um hábito, um costume, uma necessidade tal qual nosso almoço e jantar e é de fato uma necessidade, o próprio Jesus dedicava longos tempos diário de oração: “Conforme seu costume retirou-se para orar” (Lc22,39). “De manhã bem cedo, quando ainda estava escuro, Jesus levantou-se... foi para um lugar deserto e ficou ali orando” (Mc 1,35).

Se, portanto, nos aprofundarmos, cultivarmos, vivenciarmos e perseverarmos no Batismo no Espírito, na Doutrina dos Apóstolos, na oração, na comunhão fraterna (na minha célula e comunidade), na Eucaristia, nossas células terão vitalidade para se manterem vivas e se multiplicarem.

Perguntas:
1) Tenho percebido a vivência de todos ou algumas destas características dos primeiros cristãos em minha célula? 
2) Quais destas características que tenho mais dificuldade de viver?


 

4º Passo= Evangelização

AVISO:
1) Para efeito de programação de seu final de ano, informamos que o último Roteiro Celular será na semana do dia 12/12.

2) Iniciou-se o programa “CATÓLICOS EM CÉLULAS” em nossa webrádio PES de Cristo, todas as sextas-feiras, das 20h15 às 21h30. A cada sexta, uma rede conduzirá o programa. No dia 04/11 foi a Equipe de Formação, no dia 11/11 será a Rede de Casais, e assim sucessivamente, passando por todas as redes. Solicitamos a todos que divulguem em suas redes, facebook, whatsapp, etc... 

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

“APRENDEMOS A VOAR COMO PÁSSAROS, A NADAR COMO PEIXES,
MAS AINDA NÃO APRENDEMOS A VIVER COMO IRMÃOS”. (Mártin Luther King)

 

“A UNIÃO DO REBANHO, OBRIGA O LEÃO A DORMIR COM FOME”
(Provérbio Africano)

 

“EU NÃO PRECISO DE TI, TU NÃO PRECISAS DE MIM.
MAS SE SE TU ME CATIVARES, E SE EU TE CATIVAR...AMBOS PRECISAREMOS UM DO OUTRO”
(Antoine Saint-Exupery)         

 

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA

Como manter uma célula viva (terceira parte: Perseverar na Doutrina dos Apóstolos) | 07 a 13/11/2016

Tema: Como manter uma célula viva (terceira parte: Perseverar na Doutrina dos Apóstolos)

Salmo: 31,1-6 (NTLH)
Leitura: At 2,42


Viver o Batismo no Espírito, orar sempre em línguas, perseverar sempre. Os primeiros cristãos viviam assim e assim venceram, mas eles perseveraram em que? Onde? Quais eram as características de nossos primeiros irmãos de fé que podemos adotar para que também, assim como eles, nossas células mantenham-se vivas, cresçam e se multipliquem?
Uma das maneiras de atingir esse objetivo é o CAMINHO DA PERSEVERANÇA NA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS: “E TODOS CONTINUAVAM FIRMES SEGUINDO OS ENSINAMENTOS DOS APÓSTOLOS” (At 2,42).

- Vivemos hoje em um mundo onde a “Oferta Religiosa” impressiona e isso é até motivo de estudos sociológicos, teológicos e de outras várias disciplinas acadêmicas. Pseudo-religiões com seus também pseudo-líderes para todo gosto, cada qual oferecendo um conceito sobre “deus” e muitas vezes estes propagando que “deus” “revelará” a eles outras fontes de inspiração além das Sagradas Escrituras (Bíblia). Isso quando não distorcem textos da Palavra de Deus para justificarem seus devaneios espirituais como os mórmons, testemunhas de jeová, adventistas, entre outros. Já o apóstolo Paulo advertia que temos que tomar cuidado e resistirmos às ondas de qualquer sopro de doutrina (Ef 4,14), que de fato alguns iriam abandonar a fé e espalhar mentiras (1Tm 4,1-2), São João alerta para não acreditarmos em qualquer espírito e falsos profetas (1Jo 4,1-3).

Nós, católicos, temos um grande patrimônio doutrinal-espiritual enraizado nos apóstolos (Apostolicidade da Igreja): Jesus deixou Pedro (Mt 16,18), Pedro deixou Lino que deixou Anacleto, que deixou Clemente, que deixou Evaristo e assim até hoje com o Papa Francisco. Um fato histórico que muito devemos nos regozijar, pois temos a certeza de que estamos na barca, na Igreja de Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja”.

“NÓS, CATÓLICOS, MESMO QUE A PRINCÍPIO NÃO COMPREENDAMOS TOTALMENTE A NOSSA FÉ, PODEMOS TER A CERTEZA DE PERTERCERMOS À IGREJA DE JESUS CRISTO E QUE PROFESSAMOS E NOS ALIMENTAMOS DA SÃ DOUTRINA ENRAIZADA EM CRISTO JESUS E DOS APÓSTOLOS”.  

Temos muitas maneiras de alimentarmos nossa fé, nossa vida espiritual, e isto acontece muito especialmente na Santa Missa com o banquete da Palavra (nas leituras, salmos e Evangelho) e na Eucaristia (Jesus presente na forma de pão e vinho).

E em todas as missas no início da liturgia sacramental renovamos as verdades de fé em que cremos (Credo) e através deste símbolo apostólico (coletânea das principais verdades de fé) renovamos as verdades sobre a criação, nossa santificação, redenção e vida eterna. A sã doutrina, as verdades de fé são também uma riquíssima fonte de alimento, pois são elas que nos garantem que estamos caminhando na reta direção e vivendo uma fé verdadeira fundada no próprio Senhor Jesus que é Caminho, Verdade e Vida (Jo14,6) que nos enviou o Espírito Santo, o Espírito da Verdade, que nós conhecemos e vive em nós (Jo 14,17).

“É na Igreja que o conhecemos:
- nas Escrituras que Ele inspirou;
- na Tradição, da qual os padres da Igreja são testemunhas sempre atuais;
- no Magistério da Igreja, ao qual ele assiste;
- na Liturgia Sacramental, por meio de suas palavras e de seus símbolos, na qual o Espírito Santo nos coloca em comunhão com Cristo;
- na oração, na qual ele intercede por nós;
- nos carismas e ministérios, pelos quais a Igreja é edificada;
-nos sinais de vida apostólica e missionária;
- no testemunho dos santos, no qual ele manifesta sua santidade e continua a obra de salvação” (CIC 688) 

Nossa Igreja, com a assistência do Espírito Santo, interpretou as Sagradas Escrituras, construiu este “patrimônio da fé” que professamos no Credo. São 2016 anos de vida evangelizando, vivendo e defendendo e anunciando a verdade que nos salva.

PERSEVERAR NA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS É UMA DAS EXIGÊNCIAS PARA SE MANTER UMA CÉLULA VIVA”.

AO FINAL DA CÉLULA RENOVAR A NOSSA FÉ REZANDO O CREDO.

Pergunta:
1) Como posso fazer a ligação de nossa Igreja com Jesus Cristo?
2) Como posso me alimentar com a sã doutrina de nossa Igreja?


 

4º Passo= Evangelização

PARABÉNS a todos que participaram, trabalharam no Jubileu das Redes Celulares, desde o primeiro dia até a Festa das Tendas, que aliás, que estavam lindas! Deus abençoe a cada um!

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

MUITOS ODEIAM A VERDADE, POR AMOR DAQUILO QUE TOMARAM POR VERDADEIRO”
Santo Agostinho

“DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA

Como manter uma célula viva (segunda parte: A perseverança) | 31/10 a 06/11/2016

Tema: Como manter uma célula viva (segunda parte: A perseverança)

Salmo: 37 (NTLH)
Leitura: At 2, 42-47


Em nosso último encontro iniciamos uma série sobre como manter uma célula viva. Na primeira reflexão falamos sobre o Batismo no Espírito Santo. Nada somos sem ele, sua força, sua iluminação, seu poder, sua assistência.

Porque os primeiros cristãos cresceram tanto e tão rapidamente? Qual era o segredo? Na verdade, não existe segredo, porque a resposta está na própria palavra de Deus em Atos 2,42-47. Uma das respostas do porquê deste sucesso (e podemos dizer também que é um dos motivos de uma célula se manter viva) é a:

PERSEVERANÇA: que significa conservar-se firme e constante, continuar, permanecer sem mudar ou sem variar de intenção.

Maria, nossa Mãe, permaneceu firme em seu sim até o final. Nosso Senhor Jesus Cristo assumiu a missão de salvação da humanidade e levou-a até a vitória, morreu por isto. Foi fácil? Claro que não. Mas ele tinha um propósito. Teve traições? Sim! Cansaço? Também. Vontade de desistir? Sim, mas Ele não desistiu, por isto foi vencedor.

Muitos apóstolos foram perseguidos e caluniados. Desistiram? Não! Chegaram a morrer pelo seu propósito firme e concreto. Por isto seus exemplos conquistaram milhões de pessoas em todo o mundo. João Paulo II foi baleado publicamente. Ele desistiu? Não, apenas disse: “O que foi que eu fiz? ”. Perseverou e foi canonizado.

E assim como narrado na carta aos Hebreus no capítulo 11, uma nuvem de testemunhas que perseveraram frente a tantas privações, perseguições, ameaças e mortes, mas não desistiram, PERSEVERARAM!

Para mantermos uma célula viva é preciso que cada membro tenha consigo este propósito: “VOU PERSEVERAR, NÃO VOU SAIR, NÃO IMPORTA O QUE ACONTEÇA, NÃO VOU SAIR”. Certamente em nossos dias você não vai ser ameaçado de morte por participar de uma célula, não vai ser perseguido, preso, torturado; o que pode então te afastar de uma célula?

Perseverar é uma virtude, uma qualidade, uma característica dos primeiros cristãos, por este e outros motivos foi que cresceram e se multiplicaram.

Caminhar, vivenciar e perseverar na fé cristã-católica e em uma célula não depende se meu irmão (a) é dócil ou não, não depende de meu bom humor ou não, se no dia da célula eu estou disposto ou não, se estou um pouco resfriado, se resolvi ir ao shopping ou simplesmente não vou porque não estou com vontade de ir e pronto.

É claro que dependemos de Deus para nos dar força e isto está diretamente ligado ao nosso tempo de oração diária, mas para perseverar também precisamos ser firmes, nos esforçar e ter iniciativa pessoal de não desistir, ficar mesmo quando não estamos com vontade, amar meu irmão (a) do jeito que ele é e não do jeito que eu quero que ele seja. Precisamos ter um compromisso com a célula do mesmo patamar que tenho com o meu trabalho. Quando falto ao trabalho? Quando falto à escola? Quais os motivos que tenho para faltar a uns destes compromissos? Quando “eu não estou com vontade de trabalhar”, eu falto? Acho que não, e porque vamos trabalhar mesmo sem vontade? Porque precisamos, obviamente! Assim deve ser na célula, precisamos desta comunidade, mesmo quando não estamos dispostos, aliás, esta possível indisposição deve ser um motivo a mais para eu não desistir, porque se estou indisposto, aí é que preciso da célula para junto com meus irmãos e irmãs renovar meu compromisso com a célula.

A perseverança vai construindo em nós uma solidez espiritual forte, a cada dia que vencemos nossa indisposição ou qualquer outro motivo que apareça em nosso caminho para tentar nos afastar da célula nossa fé e confiança aumentam e fazem de nós discípulos (as) missionários (as) mais lapidados para o Senhor.

Pergunta:
1) O que é perseverar?
2) Eu estou disposto a perseverar?


 

4º Passo= Evangelização

 

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

                                     

                  

“A PERSEVERANÇA É MAIS EFICAZ DO QUE A VIOLÊNCIA, E MUITAS COISAS QUE,
QUANDO REUNIDAS, SÃO INVENCÍVEIS, CEDEM A QUEM AS ENFRENTA UM POUCO DE CADA VEZ”.
(PLUTARCO)

“TRISTEZAS SÃO MERAS CURVAS ENTRE O CAMINHO DA PERSEVERANÇA E A VITÓRIA”.
(WENDERSON S. PIRES)

“PERSISTÊNCIA É A IRMÃ GÊMEA DA EXCELÊNCIA. UMA É A MÃE DA QUALIDADE, A OUTRA É A MÃE DO TEMPO”
(MARABEL MORGAM)

 

 

Como manter uma célula viva (prieira parte: a força do Batismo no Espírito Santo) | 17 a 23/10/2016

Tema: Maria, Mãe de Misericórdia

Salmo: 51,1-17 (NTLH)
Leitura: At 2,1-4.42-47


Todos conhecemos a grande atenção que se tem dado a saúde de nosso corpo: Exames periódicos, alimentação sadia, exercícios físicos, enfim, um conjunto de atividades que “alimentam” nosso corpo com os bilhões de células que o compõem. A célula, ainda que sendo a menor parte de nosso corpo, em conjunto com as outras bilhões formam este corpo visível, também necessita de todos os cuidados que este corpo visível recebe.

“A célula é a menor parte dos seres vivos. A célula isolada ou junto com outras células formam todo o ser vivo ou parte dele, além disto ela tem todo o ´material´ necessário para realizar as funções de um ser vivo, como nutrição, produção de energia e reprodução…, nosso organismo forma como se fosse uma grande sociedade de células que cooperam umas com as outras dividindo o trabalho entre si. Juntas elas garantem a execução de inúmeras tarefas responsáveis pela vida”. (Cf site Só Biologia); apenas por esta compreensão do funcionamento das células em nosso corpo já poderíamos entender a grande importância que são as nossas células na Igreja.

“As células católicas que se reúnem também necessitam de cuidados especiais como uma boa alimentação para se manterem vivas e se multiplicarem, mas podem também morrer, se não forem cuidadas e alimentadas, assim como uma célula de nosso corpo”. 

Os primeiros cristãos se reuniam nas casas e se multiplicaram de maneira extraordinária e rapidamente, a mensagem cristã atingiu a todos os continentes. Mas quais foram os métodos, as estratégias usadas e especialmente quais eram os “alimentos” que eles usavam diariamente para se manterem fortes, para que a Igreja, as suas células crescessem sadias e tivessem forças para se multiplicarem? 

A primeira característica que observamos nos primeiros cristãos é sem dúvida:

1) A FORÇA DO BATISMO NO ESPÍRITO SANTO:

Nosso Senhor Jesus Cristo formou, discipulou, treinou, foi amigo, acompanhou, dedicou tempo com a sua “Célula Apostólica”, com a “sua comunidade”, durante todo o tempo de seu ministério. Esta etapa da vida da primeira comunidade foi de extrema importância para a Igreja, pois ali os laços de amizade na comunidade se estreitaram, além dos primeiros discípulos aprenderem do próprio Mestre as verdades da doutrina e vida de Jesus, mas para que eles tivessem a força e a coragem de levar adiante esta missão que Jesus lhes daria, ele enviaria a força necessária para isto: “...Descerá sobre vós a força do Espírito Santo e vos dará força e sereis minhas testemunhas, em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os lugares mais distantes da terra” (At 1,8).

O Espírito Santo é quem nos impulsiona, nos fortalece, nos ilumina, é quem torna a palavra de Deus viva em nossas vidas. “Quem nos mostra a verdade sobre tudo” (Jo 16,5-15), quem nos convence sobre nossos pecados, quem revela Jesus Cristo em nossos corações. É ele quem ficou no lugar de Jesus Cristo para nos acompanhar. “Ficará com vocês eternamente” (Jo 14,16).

Uma célula pode lançar mão de vários recursos para se manter ativa e viva, estes recursos são bons, mas o essencial é que cada membro individual e em célula tenha uma vida intensa de oração no Espírito Santo. É na força da oração do Batismo no Espírito que uma célula se mantem unida, é no Espírito Santo que o líder e cada membro encontram forças para pastorear seus membros, que se abastecem para enfrentar uma dificuldade, que mantém sua fé sempre viva, é o Espírito Santo quem nos anima, que mantém nossos corações aquecidos por Jesus e pelos irmãos de células. Uma célula que seus membros reservam tempo para oração no Espírito, em línguas, e se entregam a ele, que contam e dependem de sua presença santificadora em suas vidas não terão problemas de sobrevivência.

Em nossas vidas pessoais e comunitárias, sempre precisamos buscar um novo Pentecostes, renovarmos sempre nosso primeiro amor.

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  

Pergunta:
1) Consigo ver a importância de se cuidar bem da saúde minha célula?
2) Eu tenho o hábito de orar em línguas para meu fortalecimento? E na minha célula?


 

4º Passo= Evangelização

AVISO:
Nosso Jubileu das Redes Celulares se iniciará no dia 26/10, com a presença de Dom Moacir S. Arantes, da Arquidiocese de Goiânia. NESTE DIA TEREMOS GRANDE CÉLULA COM TODAS AS REDES.

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

                                     

                  

“VINDE ESPÍRITO SANTO, VINDE E ENVIAI DO CÉU UM RAIO DE LUZ.
VINDE Ó PAI DOS POBRES, VINDE AUTOR DE TODOS OS DONS, VINDE LUZ DOS CORAÇÕES.

CONSOLADOR SUPREMO, DOCE HÓSPEDE DA ALMA, SUAVE REFRIGÉRIO.
REPOUSO NO TRABALHO, BRANDURA NO ARDOR, CONSOLO NO PRANTO.

Ó LUZ BEATÍSSIMA, ENCHEI ATÉ AO ÍNTIMO, O CORAÇÃO DE VOSSOS FIÉIS.
SEM O VOSSO PODER, NADA EXISTE NO HOMEM, E NADA HÁ QUE SEJA PURO.

LAVAI TODA MANCHA, REGAI TODA ARIDEZ, SARAI TODA FERIDA.
ABRANDAI O QUE É RÍGIDO, AQUECEI O QUE É FRÍGIDO, E ENCAMINHAI OS DESVIADOS.

DAI AOS FIÉIS, QUE EM VÓS CONFIAM, OS SETE DONS SAGRADOS, DAI-LHES O MÉRTO DA VIRTUDE, E PERSEVERANÇA FINAL E O GOZO ETERNO. AMÉM. ALELUIA!
(Sequência de Pentecostes)

 

“DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, FAMILIA, SUA REDE E CÉLULA”

 

Maria, Mãe de Misericórdia | 10 a 16/10/2016

Tema: Maria, Mãe de Misericórdia

Salmo: 118, 1-9 (NTLH)
Leitura: Lc 1,39-45


Salve Rainha, mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve!

Assim se inicia uma das mais belas orações da tradição católica à Nossa Senhora, a oração da Salve Rainha, que começou a ser construída por volta do ano 1000 pelo monge beneditino alemão Herman Contrat, recebeu acréscimos ao longo do tempo e teria sido concluída em um momento de profunda saudação à Virgem em presença de grande multidão por São Bernardo no século XII, onde ele acrescentou: Ó clemente, ó piedosa, ó sempre Virgem Maria!

Maria é chamada então, de Mãe de Misericórdia. Mas o que significa a palavra Misericórdia? O que é ser misericordioso? A palavra misericórdia é de origem latina e é formada pela junção da palavra miserere, que quer dizer “ter compaixão” e córdis que significa coração, juntas elas formam misericórdia que transmite o conceito de “ter compaixão do coração”. Nós podemos ter a capacidade de sentir aquilo que a outra pessoa sente, sermos solidários com o outro, colocar-nos no lugar do outro (a), condoer-nos com o seu sofrimento, de sentirmos, como se, o que acontece com ele estivesse acontecendo comigo mesmo.

A Sagrada Escritura nos fala pouco de Maria, mas o que dela se acha escrito nos ensina o quanto Maria foi importante na história da Salvação a contar “somente” por ter sido a escolhida para nos trazer o Salvador, já faz dela a mulher mais diferenciada no mundo cristão. Mas este “pouco” de que a Bíblia nos fala a seu respeito já se torna grandioso e eloquente pelo seu significado. Já no início do Evangelho de Lucas onde se narra a anunciação do anjo a Maria, o seu solene SIM que viria a transformar o rumo da humanidade. Ela é saudada como a “cheia de graça”, o Magnificat, o nascimento do Salvador Jesus, a visita dos pastores, a apresentação de Jesus no templo e ele já como menino discutindo com os mestres da lei no templo. As palavras do evangelista Lucas ao final destes acontecimentos são significativas para o nosso tema: “Sua mãe guardava todas estas coisas em seu coração” (Lc 2,51).

Ninguém melhor do que ela, principalmente a partir do anúncio de que ela seria a mãe do Salvador, saberia guardar em seu coração misericordioso a trajetória de seu filho e Salvador Jesus, e desde estes primeiros momentos passando pela vida pública de Jesus até o cenáculo, lá estava ela, silenciosa, mas acompanhando tudo e sempre presente com sua afeição maternal. Maria correspondia com o título que o povo lhe atribuiu, tinha compaixão pelos outros, se compadecia daqueles que de seu filho se aproximavam para dele receber uma cura, um milagre, uma palavra.

Ela sabia interceder a partir de seu coração já em compaixão por aqueles que precisavam de sua interferência, como o casamento em Caná da Galileia, onde ela percebeu o embaraço dos anfitriões diante dos convidados pela falta de vinho, o que seria uma vergonha, e imediatamente tomou a iniciativa de resolver o impasse: “Eles já não têm vinho” (Jo 2,1-4), quando ela se colocou no lugar deles, teve compaixão e tomou a iniciativa de ajudar.

Mas conheceremos mais ainda a compaixão de Maria nos mistérios da paixão, martírio (sofrimento) de nosso Senhor, nas infâmias a ele atribuídas, na traição de Judas, no julgamento, humilhação pública, sofrimento e morte no Calvário, “Ela continuava a guardar tudo em seu coração”, assumiu para si todo aquele escárnio, o horror da morte não merecida. Mas consciente de que toda esta dor já profetizada e comparada a uma espada que transpassa seu coração, sua alma: “E a tristeza, como uma espada afiada cortará seu coração” (Lc 2,35) se transformaria em vitória, em ressurreição.

O exemplo de Nossa Senhora como aquela que tem misericórdia, reflete-se nos inúmeros títulos além deste da Salve Rainha, mãe de misericórdia: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora das Dores...

Podemos ser como Nossa Senhora, obedecendo o que o próprio Senhor nos manda: “Tenham misericórdia dos outros, assim como o Pai de vocês tem misericórdia de vocês” (Lc 6,36).                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                

Pergunta:
1) O que significa ter um coração misericordioso?
2) Qual o significado do termo: “Uma espada cortará seu coração”?


 

4º Passo= Evangelização

AVISO:
1) Estamos nos preparando para o jubileu das células que acontecerá durante os dias 26 a 30 deste mês (de quarta a domingo) e já anunciamos que no primeiro dia acontecerá a “GRANDE CÉLULA”, onde deverão estar presentes TODAS AS REDES, com a presença do novo bispo de Goiânia Dom Moacir Silva Arantes, que até agosto era assessor da CNBB para a família e falará especialmente sobre este tema.   

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.
  12. Orar pelo jubileu das células.

                                     

                  

QUANTO DESEJO QUE NOSSAS PARÓQUIAS E COMUNIDADES CHEGUEM A SER ILHAS DE MISERICÓRDIA
NO MEIO DO MAR DE INDIFERENÇAS” (Papa Francisco)

TER UM CORAÇÃO MISERICORDIOSO NÃO SIGNIFICA TER UM CORAÇÃO DÉBIL. QUEM DESEJA SER MISERICORDIOSO
NECESSITA DE UM CORAÇÃO FORTE, FIRME, FECHADO AO TENTADOR, MAS ABERTO PARA DEUS”. (Papa Francisco)

 

“DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA”

Pagina 8 de 32

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

2ª feira: 7h (Celebração) 
3ª feira: 7h e 19h30
4ª feira: 7h e 19h30 (Setor)
5ª feira: 7h, 12h15 e 19h30AB
6ª feira: 7h, 15hAB 
Sábado: 19hB (Igreja e CP4)
Domingo: 7h30, 10hB, 12hB, 17h30
e 19h30B

Programação válida de 18/09 a 24/09

Confissões

3ª feira: 17h30
4ª feira: 9h30
5ª feira: 9h30
6ª feira: 9h30
Sábado: 10h 

Chegar com 40 minutos de antecedência

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site