ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

pentecostes Banner site

Família, nossa primeira célula (primeira parte) | Mês Vocacional - 22 a 28/08/2016

Documento sem título

Tema: Família, nossa primeira célula (primeira parte) | Mês Vocacional

Salmo: 127 (NTLH)
Leitura: Gn 2,21-24


Nosso sistema de células é composto do que podemos chamar de células “heterogêneas” (casais, mistas, jovens, de mulheres, juvenis, kids e infantis), onde cada qual procura viver esta espiritualidade em uma espécie de categoria familiar (família dos casais, família mista, família de jovens, etc...) pois se reúnem como se fossem (e de fato são) uma família constituída em torno da Palavra e dos princípios de uma célula.

Se vivemos em células na Igreja por uma opção de “vida pessoal - eclesial, comunitária e missionária” em qualquer uma das suas categorias, é em nossa família constituída a partir do Sacramento do Matrimônio que vivemos a nossa célula primeira. Família esta, composta por pai e mãe, homem e mulher, filhos e filhas, conforme a palavra de Deus: “O HOMEM DEIXARÁ O SEU PAI E SUA MÃE PARA SE UNIR COM A SUA MULHER E OS DOIS SE TORNAM UMA SÓ PESSOA” (Gn 2,24). Somos, portanto, membros de duas células.

A família, nasce da Trindade Santa, que é em si mesma fecunda, nas palavras do Papa Francisco em sua Exortação Apostólica “A alegria do Amor”, sobre o Amor na Família: “De fato, a capacidade que cada casal humano tem de gerar é o caminho por onde se desenrola a história da Salvação. Sob esta luz, a relação fecunda do casal torna-se uma imagem para descobrir e descrever o mistério de Deus...o Deus Trindade é comunhão de amor e a família o seu reflexo vivente” e cita São João Paulo II “O nosso Deus, no seu mistério mais íntimo, não é solidão, mas uma família, dado que tem em si mesmo a Paternidade, a filiação e a essência da família que é o amor. Este amor, na família divina é o Espírito Santo” (AA 11)

Desta, podemos chamar CÉLULA MÃE por excelência que é a Santíssima Trindade, e então nasce a primeira célula mãe na terra: a família. Para que esta célula (nossa família) se estabeleça, seja firme, seja forte e possa se multiplicar com “saúde” e “qualidade”, vamos compreender um pouco melhor as palavras de Deus no primeiro livro da criação citada acima. Desta passagem, Deus destaca três palavras importantíssimas para a compreensão, vivência e sobrevivência desta nossa família:  “DEIXAR”, “UNIR-SE” E “UMA SÓ PESSOA”.

1) DEIXAR: Sentimos muito ao deixar nossa célula de origem quando esta se multiplica, assim também quando casamos, ao deixar a casa de nossos pais. As “mães” então, nem se fale, choram por dias (e é natural que isto aconteça até, por estar “perdendo” a filha ou o filho para outra pessoa). De fato, essa saída dói, mas é preciso DEIXAR, SAIR, para que se forme uma outra célula, outra família para que o projeto de Deus continue acontecendo. Este “DEIXAR” significa que ele e ela deixaram seus lares para construir uma nova família, “corta-se o cordão umbilical”. 

2) UNIR-SE: Se duas pessoas decidem “deixar” suas famílias de origem na condição de filhos e filhas será para se unirem “pública” e “pessoalmente” a uma outra pessoa. Unir-se a alguém significa estar “preso” a uma outra pessoa, estar apegado, colado, assim é o casamento. Quando colamos uma folha de papel em outra e depois tentamos descolar, separar, o que acontece? Elas se rasgam, saem pedaços de uma folha na outra, assim acontece quando uma família sofre uma separação, sempre ficam feridas especialmente quando se tem filhos. Deve-se então antes de se chegar a este extremo se fazer de tudo, de tudo mesmo, para que isto não aconteça.

3) UMA SÓ PESSOA, UMA SÓ CARNE: Duas pessoas de origem e as vezes até de culturas diferentes se encontram para construírem uma nova família, uma nova célula. É um desafio que se exige paciência, tempo, dedicação, companheirismo, muito diálogo, compreensão da vida e história do outro e muito amor que é acima de tudo doação, (querer e trabalhar para que este outro seja feliz). Tornar-se uma só pessoa ou uma só carne não é somente uma união física, mas compartilharem seus bens, a busca de um só pensamento, sentimentos, alegrias, tristezas, derrotas, sucessos, perdão, recomeço, esperanças; significa que se fundiram no corpo e alma, ainda que continuem sendo duas pessoas distintas. 

Pergunta:
1 ) Como eu entendo a minha família como uma célula?
2 ) Qual a relação entre a minha família e a minha célula?


AVISOS:

1) Dia 08 de outubro acontece a Romaria Paroquial à Aparecida como parte da programação do Jubileu dos Movimentos Marianos e das Crianças. Missa celebrada às 9h na Basílica. Passagens na Secretaria Paroquial.

2) Palestra importante para comerciantes, vendedores, prestadores de serviço, profissionais liberais, autônomos, empresários de todos os ramos: “O valor da comunicação no processo de vendas e interação com o cliente”, com o jornalista Carlos Abranches, apresentador da TV Vanguarda. Café e networking onde os participantes poderão expor propaganda de sua empresa ou seu produto. Sábado, 03 de setembro, às 14h30, no Espaço Vida. Inscrições na Secretaria Paroquial.

 

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

                                     

                   DEUS ABENÇOE SUA SEMANA, SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA FAMILIA E SUA CÉLULA.

Quem é o Padre? | dia 08 a 14/08/2016

Tema: Quem é o Padre?

Salmo: 110 (NTLH)
Leitura: Mt 4,18-22


Neste momento em que estamos nos reunindo e estudando este roteiro, em algum lugar deste mundo alguém está ouvindo estas palavras da boca de algum padre: “Deus pai de infinita bondade que pela morte e Ressurreição de seu filho reconciliou o mundo consigo e enviou o Espírito Santo para a remissão dos pecados. Te concedo pelo Ministério da Igreja o perdão e a paz e eu te absolvo dos seus pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” ou simplesmente, mas com a mesma força e poder: “Eu te absolvo dos seus pecados, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. E com certeza esta pessoa saiu em paz, reconciliada com Deus, consigo mesma e com o seu próximo, de cabeça erguida, livre de alguma culpa que a incomodava, lhe tirava a tranquilidade do coração e o peso de sua consciência: “Como o Pai me enviou, eu também envio vocês. Depois soprou sobre eles e disse: Recebam o Espírito Santo. Se vocês perdoarem os pecados de alguém, esses pecados são perdoados; mas se não perdoarem, eles não são perdoados”(Jo 20,22-23).

O poder e a graça de perdoar os pecados e reconciliar uma pessoa com Deus é uma das belas e significativas faculdades conferidas ao padre pelo Sacramento da Ordem. E se ele nos reconcilia com Deus pelo sacramento da penitência ou reconciliação é na mesa do altar, na Santa Missa, que pelas suas mãos nos vem Jesus Eucarístico para nosso alimento. O centro da vida do padre e de seu ministério sacerdotal está na Eucaristia, foi na instituição da Eucaristia que nasceu o Sacerdote, o padre: “Tomai e comei, tomai e bebei, isto é o meu corpo que é dado por vós, fazei isto em memória de mim” (Lc 22,7-20).   

Tudo isto começou, nas margens das praias do mar da Galileia onde Jesus caminhava e iniciava os convites para formar seus primeiros discípulos: “Vem e segue-me” (Mt 4,19). Este convite, partindo da parte do próprio Filho de Deus, tornou-se irrecusável para Pedro, André, Tiago, Filipe, Bartolomeu; viajou no tempo e continua irrecusável para milhares de jovens que não resistiram e não resistem ao seu chamado para seguir mais de perto aquele que deu a vida para a salvação da humanidade.

No Brasil são cerca de 22 mil padres que disseram seu sim a nosso Senhor e mais cerca de nove mil seminaristas (dados de 2013) que também atenderam ao seu chamado e que se preparam para serem ordenados.

“Eis que deixamos tudo e te seguimos!” (Mc 10,28), foi o que Pedro disse a Jesus e é a opção que cada padre faz quando diz seu sim ao convite de Jesus, deixar tudo para assumir a causa de Jesus Cristo, ser “Pai” de uma grande família.

Este deixar tudo para seguir e trabalhar para Cristo comunica a força, a capacidade de influência que o ministério sacerdotal de Jesus exerceu e exerce na vida das pessoas e cada qual o assume em diversos graus de aceitação. Uns até gostam e acham interessante sua mensagem, outros o aceitam, aderem e assumem a sua vida “convertendo-se” a Ele e a sua Igreja, mas tem aqueles que assumem sua pessoa e sua proposta de maneira mais radical como o padre, respondendo como o primeiro papa, Pedro: “Eis que deixamos tudo e te seguimos”. E assim se tornando tais por amor ao reino dos céus, quem puder compreender, compreenda. Existe uma tradução bíblica que assim se expressa: “Quem puder aceitar, aceite”. (Mt 19,12). O padre aceitou este convite para segui-Lo mais de perto, viver um estado de vida que se aproxima ao estado de vida de Jesus (Ef 4,13).

Na prática, o ministério presbiteral se apresenta ao serviço para o reino de Deus e da Igreja em três dimensões de acordo com o Concílio Vaticano II:
1) Anunciar a Palavra de Deus (Mt 28,16-20): “A fé vem por ouvir a mensagem e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo” (Rm 10,17). O padre exerce a maestria do anúncio e do ensino da palavra de Deus.  
2) Administrar os Sacramentos (Jo 20,21-23): na celebração da Santa Missa oferecendo sacramentalmente o sacrifício de Cristo; pelo Sacramento do Batismo introduzem os homens no povo de Deus; no Sacramento da Penitência reconciliam os homens com Deus e com a Igreja e pela Unção dos enfermos aliviam os doentes (Decreto do Concílio Vaticano II sobre o Ministério e a vida dos Presbíteros – nº 5).
3) Governar o povo de Deus (Jo 21,15-18): Seguindo o pastoreio de Pedro, o padre em sua paróquia, em comunhão como o bispo, colabora com o pastoreio universal da Igreja de Cristo na comunidade paroquial, “gerenciando”, aconselhando, amparando os membros da comunidade paroquial.

Momento forte, belo e significativo na vida do padre é sem dúvida o dia de sua ordenação onde ele é ungido sacerdote para sempre e para oferecer diariamente a Deus o povo a ele confiado; recebe das mãos dos fiéis o pão e o vinho a serem consagrados e depois das mãos do Bispo com estas inesquecíveis palavras: “RECEBE A OFERENDA DO POVO PARA APRESENTÁ-LA A DEUS. TOMA CONSCIÊNCIA DO QUE VAI FAZER E PÕE EM PRÁTICA O QUE VAIS CELEBRAR, CONFORMANDO TUA VIDA AO MISTÉRIO DA CRUZ DE CRISTO”.

É nosso dever, povo de Deus, amar, sermos sinceros (as) amigos e amigas e rezarmos muito pelos nossos padres. Podemos até rezar tomando emprestado as palavras do Bispo dirigidas ao padre no dia de sua ordenação: “DEUS QUE TE INSPIROU ESTE BOM PROPÓSITO, TE CONDUZA SEMPRE MAIS À PERFEIÇÃO

PARABÉNS E OBRIGADO, PADRE, POR DIZER SIM AO CHAMADO DE DEUS!

Pergunta:
1 ) Tenho rezado pelos nossos padres?
2 ) Como podemos ajudar melhor nossos padres? 


5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

                                     

                   DEUS ABENÇOE SUA SEMANA, SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA FAMILIA E SUA CÉLULA.

Pastor e Mestre (segunda parte) - 01 a 07/08/2016

Tema: Líder: Pastor e Mestre (segunda parte)

Salmo: 119,97-104 (NTLH)
Leitura: Mt 7,24-29


Semana passada, trabalhamos um pouco a importância do líder como pastor e pai de sua célula, agora vamos ver outra face do líder, ou auxiliar, ou ainda de todo aquele que busca se preparar para um dia assumir uma célula, a face do líder-mestre. Conhecemos a figura do mestre normalmente como o “professor”, profissional de alguma área do saber humano (matemática, física, etc...) ou no mundo das artes marciais (judô, kung-fu, etc...), entre outras.

O mestre então, no rigor da palavra, é aquele que ensina alguma faculdade do saber ou domina alguma técnica milenar de defesa pessoal ou de guerra, aquele que detém algum tipo de sabedoria. Na religião também existem os “doutores” ou “mestres” da lei; em nossa Igreja existem padres e leigos que além de seus estudos normais de filosofia e teologia estudam um pouco mais e se tornam mestres e doutores em alguma disciplina dentro do vasto campo da teologia.

Já nos tempos do antigo Egito existia a figura do escriba, que era como uma profissão, ou eram copistas ou intérpretes da lei e especialistas no Antigo Testamento, e na Torá, na época de Jesus eram, juntamente com os fariseus, críticos ferrenhos de Jesus, pois eram extremamente legalistas e hipócritas (Mt 23,1-36).

Nosso Senhor Jesus Cristo chamou a si mesmo de Mestre: “Vós me chamais de Mestre e Senhor e dizeis bem porque eu o sou”(Jo 13,13). A grande diferença do saber de Jesus e o saber dos escribas era o “como” cada um vivia o que sabia e o como cada qual ensinava o que sabia: “Quando Jesus terminou o discurso à multidão se admirava com sua doutrina, porque ele ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas”(Mt 7,28-29). Esta autoridade estava diretamente ligada a sua vivência, a coerência entre o que se fala e o que se vive.

Todos nós devemos buscar o conhecimento da palavra de Deus, que é nosso alimento: “come o livro” (Ez 3,1) mas nunca este conhecimento deve ser causa de sobreposição aos outros, de soberba ou de colocar a sabedoria das letras acima da ação do Espírito: “A letra mata, o Espírito vivifica”(2Cor 3,6).

Na Igreja de Deus, desde a era Apostólica, o Senhor, pela ação de seu Santo Espírito sempre presenteou seus filhos e filhas com seus dons para o fortalecimento de sua Igreja e seu crescimento harmônico, estes dons são diversos e visam entre a edificação pessoal (por exemplo, o dom de línguas) e o crescimento da comunidade e o desempenho da tarefa que visa a construção do corpo de Cristo, trabalhando cada um conforme a atividade que lhe é própria. (Ef 4,11-13).

Um dos dons mencionados pelo apóstolo Paulo é o dom de ensinar: “Aquele que tem o dom de ensinar que ensine” (Rm 12,7), na carta aos Efésios, Paulo especifica o doador dos dons e algumas classificações: “Foi Ele quem deu os dons as pessoas. Ele escolheu alguns para serem apóstolos, outros profetas, outros para evangelistas e ainda outros para “pastores e mestres” na Igreja” (Ef 4,11). Ainda Paulo mesmo se intitula mestre: “Deus me escolheu como Apóstolo e mestre para anunciar o evangelho” (1Tm 1,11)

É claro que ninguém precisa se preocupar em querer agora se tornar mestre em teologia ou estudar alguma faculdade para se tornar um líder ou uma líder de célula, claro que não, mas antes ser mestre (a) na vivência da fé cristã-católica, colocar em seu coração cada um dos membros de sua célula, na maestria em conduzir cada um (a) na “faculdade da vida”. Existe um filme bem antigo que se chama “Ao mestre com carinho”, que retrata uma história real de um professor que se torna amigo, conselheiro de seus alunos e que com sua “maestria” consegue tirar muitos jovens do caminho do crime e das drogas.

Hoje conhecemos também inúmeros exemplos de técnicos de futebol, basquete, taekwondo nestas periferias de nossas cidades que em seu dia a dia acompanham, dispensam atenção e tempo para “ensinar” princípios de vida sadios, hábitos de vida que os tornam vitoriosos em seus esportes e os capacitam para vencer na vida. Este é o “mestre” que está presente na vida de cada pessoa que lhe é confiada, seja aluno, atleta ou, como em nosso caso, estar presente na vida de cada membro de nossas células.

O líder- mestre é aquele que, sim, precisa buscar conhecimento sobre a Igreja, sobre a palavra de Deus, sobre como trabalhar com as pessoas, mas acima de tudo precisa: ENSINAR, COM A SUA VIDA, OUTROS A VIVER A VIDA QUE ELE VIVE.

Pergunta:
1 ) Como posso ser “mestre” na vida de meus Oikos, meus parentes, amigos (as), colegas de trabalho e vizinhos?


Aviso:
ESTAMOS INICIANDO O MÊS DE AGOSTO, MÊS VOCACIONAL.  A NOSSA IGREJA, NO BRASIL, DEDICA ESPECIAL ATENÇÃO DURANTE OS QUATRO DOMINGOS:  1º ) SACERDOTES E MINISTÉRIOS ORDENADOS (DIA DO PADRE).  2º) MATRIMÔNIO E FAMÍLIA (DIA DOS PAIS).  3º) VIDA CONSAGRADA (DIA DA VIDA RELIGIOSA).  4°) VOCAÇÃO DOS LEIGOS (AS) (DIA DOS MINISTÉRIOS LEIGOS).

- Pedimos então que a cada semana em todas as redes e células se dedique especial atenção nas orações para as vocações especificas de cada domingo. Neste primeiro domingo rezamos e parabenizamos ao nosso pároco, o padre Luís Fernando, padre Rafael e os nossos diáconos Luizinho, Jovino, Francisco, José Mauro, Mauro Aoki e Rubens.

 


5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

 

“O CORAÇÃO DE NOSSO DIVINO MESTRE NÃO TEM LEI MAIS AGRADÁVEL DO QUE A DA
DOCILIDADE DA HUMANIDADE E DA CARIDADE” (São Padre Pio de Pietrelcina)

 

DEUS ABENÇOE SUA SEMANA, SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA FAMILIA E SUA CÉLULA

 

Líder, pastor e mestre de uma célula (primeira parte) | 25 a 30/07/2016

Tema: Líder, pastor e mestre de uma célula (primeira parte)

Salmo: Sl 23(NTLH)
Leitura: Jo 10,1-17


Semana passada apresentamos algumas pistas que podemos encontrar em nós mesmos e que identificam que existe em nós tendências à liderança, talento que o próprio Senhor nos concedeu. Esta semana vamos um pouco mais direto neste grande e importante tema, a liderança. Importante porque a célula é o núcleo principal de todo o corpo da paróquia ou da comunidade em células. Assim como em nosso corpo humano, as células embora sejam a menor parte, dão equilíbrio e sustentam todo o corpo visível. Também na Igreja ou na comunidade, sem células não tem sentido existir supervisor, nem coordenador de redes, nem equipe de formação, nem moderador de comunidade, pois, esta “estrutura” existe em função da célula e é a célula que “sustenta” esta estrutura.
O líder de uma célula, auxiliar ou todo aquele que busca os retiros VIDA PLENA E ENVIA-ME para que possa um dia assumir a liderança de uma célula. Por sua vez ocupa ou ocupará esta posição de destaque, delicada, sutil, de sustentáculo e de fundamental importância entre todos os responsáveis por uma paróquia ou comunidade em células, guardando e ressaltando evidentemente a importante posição e participação das demais posições na estrutura organizacional do sistema celular, que com sua força e trabalho proporciona alimento para a célula, tal qual funcionamento de nosso corpo.
É DE SE DESTACAR QUE ASSUMIR A LIDERANÇA DE UMA CÉLULA É UM DOM DE DEUS, UM PRESENTE, UMA GRAÇA, É UM PRIVILÉGIO PODER ESTAR A FRENTE DE UMA PORÇÃO DO POVO DE DEUS E QUE AO LÍDER E AUXILIAR FOI-LHES CONFIADO CUIDAR E PASTOREAR”.
Por esta verdadeira missão do líder, ele precisa, primeiramente estar sempre em oração e precisa muito da oração dos membros de sua célula. Existem inúmeros, podemos até dizer milhares, de estudos sobre liderança no sentido lato da palavra e mais umas centenas deste mesmo tema dentro da literatura cristã e ainda outras tantas no contexto das células: características do líder, obrigações do líder, enfim, o assunto vai longe, e aqui evidentemente não caberia tanto conteúdo. Mas de tantos, um deles o líder precisa procurar desenvolver, que é o pastoreio, o líderque assume a condição de pastor que procura cuidar de suas ovelhas para usar a linguagem pastoril da época de Jesus. Ou de um Pai, que assume a paternidade da sua célula, que cuida de seus filhos e/ou filhas.
O que faz um pastor de ovelhas? Ele essencialmente cuida de suas ovelhas, como nos conta o livro dos Provérbios “Cuide de suas ovelhas” (Pv 27,23). Este cuidado implica em proporcionar boa alimentação, curar suas feridas, protegê-las dos predadores, conduzi-las às verdes pastagens e águas refrescantes. Na prática isto significa que o líder pastor-pai deve:

1) Conhecer a cada um (a) de seus membros: E para “conhecê-los” (Não somente saber seu nome) precisa tirar tempo para visitá-los e dedicar-se à sua célula. Para ter tempo, o líder - pastor e pai - precisa especialmente não assumir muitos compromissos na Igreja para que realize este pastoreio e paternidade com carinho, tempo e amor. São Francisco de Assis dizia a seus irmãos de fraternidade “Façam poucas coisas, mas as façam bem”. O grande valor de uma célula é exatamente esta característica de ser composta por poucas pessoas e assim poderem se conhecer, viverem e desenvolverem um ambiente propício, um terreno fértil para que esta mesma célula possa se tornar uma comunidade e o seu líder -pastor e pai - possa ter condições de acompanhar cada um de seus filhos e filhas. 

2) Cura suas feridas: Por vezes, algumas ovelhas costumavam andar por caminhos não muito percorridos onde ganhavam espinhos nos pés, quando não, caiam em buracos quebrando assim suas pernas e de dor berravam “gritando” o socorro de seu pastor que caminhava longas distâncias para socorrê-las. Quando a viam não a condenavam, mas antes curavam suas feridas, tiravam os espinhos de seus pés, colocavam talas e enfaixavam suas pernas, levava-as em seus ombros até sua casa e lá continuavam a tratá-las (Lc 15,1-7). Mas acima de tudo se alegrava por tê-las reencontrado! O líder-pastor por conhecer seus membros sabe quando algum dos seus precisam de sua presença mais de perto; como em nossa casa, a mãe e o pai conhecem cada um de seus filhos, suas necessidades, gostos, anseios e projetos de vida.

3) Proporciona boa “alimentação”: Para que uma ovelha seja sadia, produza boa lã e bom leite, a alimentação ocupa o primeiro lugar no seu ritmo de vida, por isto o pastor que queria ter um bom rebanho levava suas ovelhas a “boas pastagens” (Sl 23). Para que tenhamos uma célula e membros espiritualmente sadios é preciso proporcionar uma também “sadia alimentação espiritual” e que alimentação seria esta? Em nossa alimentação moderna existe muita comida a disposição, dos fast-food até os orgânicos, mas nem toda comida que ingerimos nos faz bem, assim também em nossa espiritualidade tem muita coisa que se não é ruim, acrescenta muito pouco para nosso crescimento. Alguns alimentos seguros: 1) Eucaristia, 2) Sacramento da penitência, 3) Oração diária, 4) Palavra de Deus (Léctio-Divina), 5) Leitura de bons livros, 6) Aconselhamento, 7) Partilha, 8) Boas e confiáveis amizades.         

 

Perguntas

1) Para o líder e auxiliar: Tenho orado pelos membros de minha célula?
2) Para os membros da célula: Tenho orado pelo meu (minha) líder e meu (minha) líder auxiliar?   


 

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

 

“ACONSELHO QUE CUIDEM BEM DO REBANHO QUE DEUS LHES DEU E FAÇAM ISSO DE BOA VONTADE, COMO DEUS QUER, E NÃO DE MÁ VONTADE, COM VERDADEIRO DESEJO DE SERVIR..., E QUANDO O GRANDE PASTOR APARECER, VOCES RECEBERÃO A COROA GLORIOSA, QUE NUNCA PERDE O SEU BRILHO” (1Pd 5,2-4)

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA FAMILIA, SUA REDE E SUA CÉLULA!                                   

 

Desperte o líder que existe em você | de 18 a 24/07/2016

Tema: Desperte o líder que existe em você

Salmo: Sl 16,1-3 (NTLH)
Leitura: Gn 28,10-16


Há cerca de um mês, uma revista de grande circulação nacional voltada para o mundo dos negócios trazia como manchete de capa o título “Procura-se um líder”. Tal reportagem tinha como conteúdo a atual crise generalizada no mundo da política e sua influência negativa na vida econômica do país com sérias consequências para o povo brasileiro.

De fato, vivemos em um tempo em que nunca se falou tanto em liderança e nunca se investiu tanto na formação de líderes; isto porque em todos os segmentos de nossa sociedade, seja ele público ou privado, no mundo dos esportes e até mesmo no segmento religioso a exigência em se prestar um serviço de qualidade se tornou prioridade, além de estarmos vivendo um clima de grande competitividadee para que tenhamos sucesso em nossos empreendimentos e projetos a figura do líder é central e de primeira importância.  O mundo dos negócios exige líderes que conquistem novos mercados, a política precisa de líderes que saibam como bem conduzir nossa cidade, estado e nação, o atleta precisa de um bom técnico que o conduza ao pódio.

Se no “mundo”, investe-se tanto no treinamento de líderes, muito mais necessário ainda é na Igreja, em nossas redes, em nossas células, pois aqui a missão do líder é conduzir pessoas, gente, para se encontrar com o Senhor nosso Deus, e isto com absoluta certeza é muito mais importante que um negócio, uma cadeira política, um troféu conquistado em um jogo. 

Por vezes, percebemos uma certa relutância ou resistência em se assumir a liderança ou auxiliar de uma célula; entre vários motivos pela recusa em muitos casos está a insegurança. Esta insegurança existe muitas vezes pelo motivo da pessoa desconhecer seus próprios talentos, suas potencialidades e sua tendência à liderança que todos nós temos, pois Deus nos criou a sua imagem e semelhança (Gn 1,26) e fomos salvos, resgatados e libertos por Jesus Cristo, somos, portanto mais que vencedores em Cristo Jesus (Rm 8,37) e assim aptos, fortes, pela força da Salvação em Jesus par assumir convites na seara do Senhor. Fomos criados para vencer: “Dominai sobre a terra” (Gn1,28)

“EXISTE UM LÍDER DENTRO DE VOCÊ, LATENTE, AGUARDANDO SER DESPERTADO, SER ACORDADO”.

A certeza da força de Cristo vivo em cada um de nós é o principal motivo que nos impulsiona a assumir o líder que está em nós, mas existem outros sinais, moções interiores, que são presentes de Deus para cada um de nós, mas que por vezes estão lá em nosso interior, como queescondidos e adormecidos” e que a ciência em liderança nos ajuda a enxergar melhor, veja atentamente os 10 itens abaixo (o que não significa que existam somente 10) e se notar que alguns deles estão presente em você, primeiramente agradeça a Deus por estes dons e não os desperdice, e procure crescer nesta “arte de liderar”:

1) Vontade de ajudar e servir: um (a) líder, exercendo esta função ou não, sempre está disposto a servir, seja em qualquer lugar e fazendo não importa qual serviço seja. Ele se interessa, se oferece, toma iniciativa, e quando é solicitado, responde prontamente sim.
2) É curioso: quem tem a “potencialidade” de ser líder, sempre está buscando saber mais, pergunta sobre situações, não guarda dúvidas.
3) Costuma tomar iniciativas: em situações difíceis, de necessidades, ele (ela) toma a frente e procura solução, onde quer que ele (ela) esteja.
4) Assume responsabilidades por suas atitudes: não é de transferir culpas, assume seus atos e quando for o caso, seus erros também.
5) Preocupa-se com as pessoas: sente-se responsável pelas pessoas onde ele se encontra, lamenta-se pela dor e transtorno de seu irmão.
6) Procura ser justo: o senso de justiça está sempre presente em sua vida, não aceita injustiças.
7) Não se isola, sabe trabalhar em equipe: o isolamento, o não querer somar-se ao outro, o não querer partilhar seus conhecimentos é egoísmo, este sentimento não é próprio dos bons líderes. 
8) É obediente: insubordinação não é com ele, sabe colocar-se em seu lugar.
9) Está sempre disposto a aprender: uma pessoa que acha que já sabe tudo ou que “se acha” mais que os outros não contribui para o conjunto da comunidade.
10) Sabe ser grato: gratidão é um sentimento das pessoas que reconhecem que precisam do outro para crescer pessoal e profissionalmente, sabe que ninguém pode caminhar sozinho, quem sabe ser grato, não é egoísta.

Nosso Senhor está clamando por mais e novos líderes em nosso meio, e a necessidade é muito grande. Jacó despertou de seu sono e reconheceu “De fato o Senhor está neste lugar, e eu não sabia disto”. Acorde você também, reconheça como Jacó e assuma que o Senhor está aí te chamando.

OBS: SE VOCÊ QUER RECEBER MENSALMENTE UM TEXTO SOBRE LIDERANÇA, SOLICITE VIA EMAIL PARA CELULAS @PAROQUIAESPIRITOSANTO.COM.BR

Perguntas

1) Percebo em mim um ou mais itens dos 10 citados?
2) Sinto necessidade de crescer, aprender mais para servir melhor minha célula?   


 

AVISO:

Já se encontram na Secretaria Paroquial as fichas de inscrições para o Retiro Vida Plena, que acontecerá nos dias 06 e 07 de agosto. O valor é de R$ R$ 40 por pessoa. As fichas deverão ser preenchidas na secretaria, não permitindo levar para casa.

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.

 

“NOS TERMOS MAIS SIMPLES, UM LIDER É AQUELE QUE SABE ONDE ELE QUER IR, E LEVANTA E VAI”.
(John Erksine)

 

“O MAIOR LIDER É AQUELE QUE RECONHECE SUA PEQUENEZ, EXTRAI FORÇA DE SUA HUMILDADE E EXPERIENCIA DE SUA FRAGILIDADE”. (Augusto Cury)

 

DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMILIA, SUA REDE E SUA CÉLULA.

 

Pagina 7 de 28

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Confissões


3ª feira: 17h30
4ª feira: 9h30
5ª feira: 9h30
6ª feira: 9h30
Sábado : 10h 

Chegar com 40 minutos de antecedência

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site

 

 

SEJA BEM VINDO.


Este é o novo site da Paróquia Espirito Santo.
Gostaríamos de mostrar para você algumas das funcionalidades novas que preparamos.



Conhecer o site