ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

O amor da Trindade - 10/11 a 16/11

Data: 10/11 a 16/11

Tema: O amor da Trindade

Salmo: Salmo 150 (149)

Leitura: Jo 16,12-15


Graça e Paz a toda igreja que se reúne nas casas!

   

A leitura do Evangelho de hoje nos fala da Santíssima Trindade, não para nos propor um quebra-cabeça (de que maneira um pode ser igual a três?), mas para nos revelar o amor de Deus, para nos mostrar seu plano de Salvação. A Trindade de amor, pois é isto que caracteriza a Trindade, o amor de uma pessoa para com a outra, é a carteira de identidade dos cristãos: no discípulo de Jesus deve estar refletida a face de Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo. A marca da Trindade pode ser identificada na comunidade cristã (paróquia), quando todos, mesmo os que se desgarram bastante, sintam se bem aceitos, estimados, valorizados; quando as alegrias e tristezas sejam partilhadas, quando as diferenças não sejam eliminadas em nome da unidade, mas sejam consideradas um enriquecimento.

            Nossas células, pequenas partes da Paróquia, devem revelar a vida comunitária que existe na Trindade. Assim como o Pai ama o Filho e o Espírito, e vice-versa, nós devemos nos amar de maneira concreta. Quando ouvimos alguém, aconselhamos um irmão(a) dentro da célula, ou somente estamos com os outros, pois estar com alguém é uma grande prova de amor, veja por exemplo, a presença em um hospital ou velório: nós estamos amando. O amor não é sentimento, mas ação: “Filhinhos, não amemos de palavra e com a boca, mas com obras e de verdade”. (I João 3,18). Percebe-se o sinal da Trindade nas famílias, onde há diálogo, amor, colaboração.  Percebe-se também o sinal da Trindade, onde o verdadeiro amor está presente. Nós, cristãos, não devemos ser conhecidos por nosso linguajar, símbolos, roupas e templo, mas pelo amor que concretamente demonstramos, este é o nosso maior testemunho e sinal de pertença a Deus, pois fomos batizados, isto é, mergulhados no amor de Deus (ver Romanos 5,5), fazemos constantemente o sinal da cruz invocando o Pai, o Filho e o Espírito Santo, para que o Deus uno e trino, venha habitar em nós e por maio de sua força possamos amar verdadeiramente.

            Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. 

PERGUNTAS

  1. 1- Como podemos mostrar nossa fé na Santíssima Trindade? (Lembre-se Deus é amor).
  2. 2- Você acha que como célula, precisamos amar mais? Como?

4º passo – Evangelização = (15 min)

- Informamos a todas as células que o Diácono Mauro realiza Plantão de Atendimento e Oração para as células, todas as segundas-feiras, às 19h30, na Capela do Santíssimo.

- Confira a Escala de Adoração das Células. A adoração será na Sala Azul Celeste:

  •  Das 8h às 10h – Rede de Casais;
  •  Das 10h às 12h – Rede de Mulheres;
  •  Das 12h às 14h – Rede Juvenil;
  •  Das 14h às 16h – Rede Kids e Infantil;
  •  Das 16h às 18h – Rede Mista;
  •  Das 18h às 20h – Rede Jovem.

           

 

 

A cura dos leprosos- 27/10 a 02/11

Data: 27/10 a 02/11

Tema: A cura dos leprosos
Salmo: 23(24)
Leitura:Lucas 17,11-19


Graça e Paz a toda igreja que se reúne nas casas!

   

Introdução: Dizia-se no tempo de Jesus: “quatro categorias de pessoas são equiparadas a um morto: o pobre, o leproso, o cego, e quem não têm filhos”. Todas as doenças eram consideradas um castigo, mas a lepra era o próprio símbolo do pecado. Deus se servia dela – dizia-se – sobretudo para castigar os invejosos, arrogantes, os ladrões, os assassinos, os responsáveis por falsos julgamentos e por incestos. A cura da lepra era considerada um milagre, comparável à ressurreição de um morto: só o Senhor poderia realizá-la; mas antes era preciso expiar todos os pecados que a tinham causado. Os leprosos, portanto, sentiam-se rejeitados por todos: pelos homens e por Deus.

    Jesus, ao vê-los, disse: “Ide e apresentai-vos aos sacerdotes” (versículo 14). A lei estabelece que quem ficar curado desta doença, se apresente ao sacerdote, este, depois das devidas verificações, decide readmiti-lo na comunidade (conforme Levítico 14,2-7). Os dez leprosos, então partem e, ao longo do caminho, percebem que estão curados, mas somente um volta para agradecer.     

Mensagem: Este é o fato. Mas qual é a mensagem? Para entendê-la, prestemos atenção a alguns pormenores significativos.

1- Não se trata de um leproso, mas de dez (versículo 12): A lepra é o símbolo do pecado, da miséria humana, da situação de distanciamento de Deus e dos irmãos. Este número na Bíblia tem significado simbólico e indica totalidade. Lucas quer nos ensinar que todos nós somos pecadores (leprosos) e precisamos nos encontrar com Jesus, para encontrarmos Nele a cura (perdão e salvação).

2- O segundo pormenor: esta doença une judeus e samaritanos: Eles eram inimigos. Quando consideramos, com sinceridade, a nossa condição de leprosos, de pecadores diante de Deus, então não nos sentimos mais superiores a ninguém, não condenamos, não excluímos. Reconhecemo-nos irmãos de todos os homens, convivemos uns com os outros, amparamo-nos reciprocamente ao longo do caminho que conduz até Àquele que pode curar.

3- O terceiro pormenor: “os dez leprosos não buscam a salvação individualmente” (versículo 12): Somente seremos felizes quando o último homem for liberto da “lepra”. Fazemos de tudo para conduzir qualquer irmão(a) leproso (a) a Jesus, para que Nele encontre cura.

4- Os dez leprosos foram curados ao longo do caminho (versículo 14): A cura espiritual não acontece de repente, exige tempo. Não se pode ter a pretensão de que alguém, que durante muitos anos viveu na condição de “leproso”, mude de repente, quase milagrosamente, seus hábitos pecaminosos. É preciso ter paciência com nós mesmos e com os outros. É necessário caminhar na vida cristã, conhecer a Palavra de Deus e confiar na graça de Deus, que vai progressivamente nos transformando.

5- Somente um volta para agradecer (versículo 15): Somente o samaritano “deu glória a Deus”, isto é, o único que se deu conta imediatamente de que a salvação de Deus chegou até os homens, por meio de Jesus. Foi o único que reconheceu não só o bem recebido, mas também o intermediário escolhido por Deus para comunicar aos homens seu amor e sua graça, e quis proclamar, diante de todos, a sua gratidão e sua descoberta. Os outros não eram maus, só demoravam para entender a novidade. Prosseguiram pelos caminhos tradicionais: pensaram que deveriam chegar a Deus por meio das práticas religiosas, dos sacerdotes do templo. É o símbolo do que acontece ainda hoje: são muitas as pessoas que continuam chegando até Deus por meio de caminhos propostos por outras religiões. A salvação vem só por meio de Jesus e de Sua palavra.          

Conclusão: Deus enviou Aquele que foi anunciado pelos profetas, Aquele que abre os olhos aos cegos e os ouvidos aos surdos, que faz andar os coxos, que ressuscita os mortos, e cura os leprosos (Lucas 7,22). Agora, o ex-leproso pode testemunhar que não é verdade que Deus esteja distante dos leprosos, que fuja deles ou os rejeite. Na pessoa de Jesus, que veio para estar ao lado deles, tocá-los e curá-los. Encerrou-se, portanto, o tempo no qual os homens estavam divididos entre sadios e leprosos, entre justos e pecadores, entre amados e odiados por Deus.

Perguntas

1-              Você sabe o que é lepra?

2-              Você pode se considerar “leproso”?

3-              O que fazer para levar “leprosos” para Jesus?

  

  5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  • Orar pelos vigários, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Orar pelo Papa Francisco e pelo nosso administrador diocesano;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Pelo estabelecimento do escritório “Católicos em células”, em Campo Grande - MS, para dar suporte às paróquias que querem implantar células. Por todas as paróquias e comunidades que estão em processo de transição para implantação das células.
  • Pai Nosso, Ave Maria, Glória.

            Avisos

             - Informamos a todas as células que o Diácono Mauro realiza Plantão de Atendimento e Oração para as células, todas as segundas-feiras, às 19h30, na Capela do Santíssimo.

           

           

 

 

Crescer na Fé - 20/10 a 26/10

Data: 20/10 a 26/10

Tema: Crescer na Fé
Salmo: Lucas 1,46-56
Leitura:Lucas 17,5-10


Graça e Paz a toda igreja que se reúne nas casas!

Introdução: A primeira parte do Evangelho de hoje começa com um pedido dos apóstolos que pedem ao Senhor que lhes aumente a fé. Imediatamente nos ocorre uma pergunta: como é possível aumentar a fé?

A pessoa acredita ou não acredita: não é fácil entender como possa haver mais ou menos. É claro, se a fé consiste – como podem pensar alguns – na própria adesão a um elenco de verdades, nesse caso a fé não pode ser nem grande, nem pequena: ou existe ou não existe. Não é esta, porém, a fé que Jesus pede ao seu discípulo. A fé do cristão envolve uma escolha concreta: a de seguir o Mestre e, nesse caso, dá para entender como possa aumentar ou diminuir.        

    Mensagem:

    A caminhada do discípulo, com efeito, pode ser mais ou menos rápida e num certo ponto, pode até ser interrompida; alguém pode ficar cansado e parar; acredita no Mestre, mas ainda, não confia plenamente Nele; não tem a coragem de tomar certas decisões, não se sente animado a abandonar certos hábitos, a renunciar a determinadas coisas, a assumir atitudes até dolorosas. Aí está uma fé ainda fraca, que precisa de reforço! Os apóstolos pedem ao Senhor que lhes concedam mais firmeza na decisão de seguí-lo.

O motivo pela qual lhe dirigem esta súplica aparece claramente no contexto. Jesus lhes mostra uma caminhada difícil: pede para que se empenhem “por entrar pela porta estreita” (Lucas 13,24), para que estejam dispostos a “odiar” o pai e a mãe (Lucas 14,26), para renunciarem a todos os próprios bens (Lucas 14,33) e, nos versículos que precedem imediatamente o trecho de hoje, pede para que perdoem sem limites e sem condições (Lucas 17,5-6). Como seria possível não sentir medo diante de tais exigências?

Os apóstolos percebem que estão vacilando, sentem-se tentados a rever as próprias escolhas, a voltar atrás, como já tinham feito muitos discípulos:

“Isto é muito duro! Quem o pode admitir?” (João 6,60). Têm medo de não conseguir resistir. Eis, então, que surge espontaneamente nos seus lábios o pedido de socorro: “Aumenta-nos a nossa fé!” (versículo 5).

Jesus em vez de atendê-los começa a descrever as maravilhas que a fé pode produzir. O sicômoro (não é uma simples amoreira) é uma árvore de grande porte, com raízes muito fortes e profundas, que podem durar até 600 anos e que ninguém consegue desenraizar. Pois bem – afirma Jesus – a fé consegue realizar aquilo que aos olhos dos homens parece impossível. Nunca se ouviu dizer que uma árvore tenha conseguido crescer com as raízes fincadas no mar. A fé, entretanto, consegue isso.

Mateus e Marcos não falam de um sicômoro, mas de uma montanha que, com um pouco de fé, pode ser transportada para o mar (Mateus 21,20; Marcos 11,23). A imagem é diferente, mas a mensagem é a mesma. O que produz a fé embora seja ainda pequenina? Eu diria que, se a mesma for entendida como uma vaga crença nas coisas do além, então, produz pouco ou nada. Se ao invés, é uma adesão firme e radical à Palavra de Deus, conduz-se a um compromisso concreto de vida, então, os resultados são extraordinários. “Logo a fé vem do ouvir a Palavra de Deus” (Romanos 10,17).

    Conclusão:

    Se queremos ser de Deus, vivermos sua Palavra, segui-lo apesar de todas as exigências e conseqüências, precisamos de fé. Fé que remove as montanhas de obstáculos que aparecem no caminho. Acreditar em Cristo é acreditar que o impossível, Ele pode realizar.

  

Perguntas

1- Qual o tamanho da sua fé?

2- Qual a árvore ou montanha, que você precisa remover para viver a Palavra de Deus?

   5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  • Orar pelos vigários, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Orar pelo Papa Francisco e pelo nosso administrador diocesano;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Pelo estabelecimento do escritório “Católicos em células”, em Campo Grande - MS, para dar suporte às paróquias que querem implantar células. Por todas as paróquias e comunidades que estão em processo de transição para implantação das células.
  • Pai Nosso, Ave Maria, Glória.

            Avisos

           - Informamos a todas as células que o Diácono Mauro realiza Plantão de Atendimento e Oração para as células, todas as segundas-feiras, às 19h30, na Capela do Santíssimo.

Salvos pela bondade de Deus - 06/10 a 12/10

Data: 06/10 a 12/10

Tema: Salvos pela bondade de Deus
Salmo: 46 (47)
Leitura:Êxodo 32,1-14


Graça e Paz a toda igreja que se reúne nas casas!

   

Introdução: Os povos do Antigo Oriente eram agricultores e criadores de gado. A religião deles incluía cerimônias, nas quais predominavam a figura do touro. Eles acreditavam que, celebrando ritos mágicos com este animal, símbolo da força e da fecundidade, as colheitas seriam abundantes e os rebanhos se multiplicariam.

    Será que Israel, o povo de Deus, poderia ser seduzido por estas práticas pagãs e as adotar? Parece quase impensável que um povo, libertado da escravidão do faraó pelo poder do Senhor, pudesse traí-lo. Ao invés, porém, poucas semanas depois da saída do Egito, enquanto Moisés se encontrava na montanha falando com Deus, os israelitas entregavam para Aarão as suas jóias e, com ouro recolhido, faziam um bezerro (versículos 1-6). Nós também como os israelitas, fazemos praticamente a mesma coisa. Ao ouvirmos a Palavra de Deus, sentimo-nos impelidos a segui-la com entusiasmo. Mas, poucos dias ou talvez poucas horas depois, tudo volta a ser como antes. Devemos desanimar então?      

    Melhor é reconhecermos que somos simplesmente fracos e esperarmos na bondade do Senhor.        

    Mensagem:

    1)A primeira parte da leitura de hoje (versículos 7-10) fala-nos da indignação de Deus diante desta infidelidade. O Senhor diz a Moisés: “Deixa, pois, que se acenda minha cólera contra eles e os reduzirei a nada; mas de ti farei uma grande nação.” (versículo 10). Como nós teríamos reagido diante de uma proposta tão tentadora? Provavelmente teríamos ficado muito felizes por tornarmos pais de uma família de “justos”. É só verificar como reagimos na nossa célula, pastoral, Paróquia, trabalho e até mesmo na nossa família quando surgem divisões, escândalos, problemas complicados: nos isolamos, omitimos, falamos que não temos nada com isso, que vamos deixar tudo, que não queremos nos envolver com esses encrenqueiros. Moisés, ao contrário, não se omite, permanece ao lado do seu povo pecador, falho e incoerente, prefere perecer com os irmãos do que salvar-se sozinho.  

    2) A segunda parte da leitura (versículos 11-13) nos apresenta a oração de Moisés. No nosso texto, ela começa assim: “Moisés tentou aplacar ao Senhor seu Deus, dizendo-lhe...” (versículo 11). De fato, a expressão usada no texto original hebraico deveria ser traduzida assim: “Então Moisés começou a acariciar o rosto do Senhor, seu Deus dizendo...”. Moisés se comporta como uma criança que vê seu pai carrancudo, bravo e começa a agradá-lo, até conseguir arrancar-lhe um sorriso. Esta imagem é uma das mais enternecedoras da Bíblia.

    A cena talvez nos surpreenda, causando-nos espanto. Talvez até nos escandalize. Moisés, meigo, fala com doçura e Deus, encolerizado, precisa ser acalmado. Entretanto com esta imagem, presente na mente humana, Deus nos mostra a confiança e a segurança que devem caracterizar a oração quando recorremos a Ele.

Quais são as palavras que Moisés usa para “acariciar o rosto do Senhor”? Tentemos descobrir os motivos que teríamos alegado para convencermos Deus a desistir da sua ira. Talvez lhe teríamos dito: “Vê, Senhor, eles estão arrependidos, não farão mais isso... afinal, o pecado não é tão grave assim...”. Conversa fiada! O homem nunca deixa de ser pecador, repete sempre os mesmos erros.

Moisés, porém, é mais esperto: percebe que não pode confiar na bondade do homem e que a única maneira para conseguir a salvação é confiar na bondade de Deus. Ele começa lembrando ao Senhor suas promessas de salvação. Eis o único e verdadeiro motivo que permite esperar a salvação de qualquer homem: o amor infinito de Deus, aquele amor que nunca será vencido por qualquer infidelidade, por maior que ela seja!    

    Conclusão: “E o Senhor se arrependeu das ameaças que tinha proferido contra o seu povo” (versículo 14). O que fizeram os judeus para merecerem a misericórdia de Deus? Nada! Ficaram calados. O Senhor fez tudo sozinho. Lembrou-se de que suas promessas não implicavam condições e perdoou o seu povo. Se tivéssemos que confiar nas nossas forças, na nossa capacidade de praticarmos o bem, teríamos todos os motivos para ficarmos desesperados. É mais garantido depositarmos a nossa confiança no amor gratuito de Deus, revelado em Jesus. Se acolhermos Jesus em nosso coração, estaremos aceitando o amor de Deus e seremos salvos.  

Perguntas

 1- Você confia na bondade de Deus?

        2- Você acha que Deus poderia negar o seu perdão em algum momento?

 

 

 

 

  5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  • Orar pelos vigários, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Orar pelo Papa Francisco e pelo nosso administrador diocesano;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Pelo estabelecimento do escritório “Católicos em células”, em Campo Grande - MS, para dar suporte às paróquias que querem implantar células. Por todas as paróquias e comunidades que estão em processo de transição para implantação das células.
  • Pai Nosso, Ave Maria, Glória.

            Avisos

             - Informamos a todas as células que o Diácono Mauro realiza Plantão de Atendimento e Oração para as células, todas as segundas-feiras, às 19h30, na Capela do Santíssimo.

           

- Vem aí a Semana de Avivamento Celular. De 13 a 19 de outubro, às 19h30, na Igreja. Neste ano contaremos com a presença do Padre Silvio, todos os dias conosco. Será um tempo especial, onde todos poderão participar. É um evento aberto a toda comunidade, portanto, convide seus amigos para estarem conosco nestes dias!

            - No dia 19 de outubro, teremos a nossa tradicional FESTA DAS TENDAS! Neste dia, onde celebramos as bênçãos de Deus nas nossas células iremos fazer a nossa tradicional celebração, iniciando com a Santa Missa, às 19h30, e logo em seguida teremos a Festa no Pátio da Igreja. Para quer possamos tornar a festa um momento marcante e de partilha, pedimos que cada membro de célula colabore com a doação de um prato de salgado e um refrigerante.

           

 

 

Como chegar onde Deus quer- 29/09 a 05/10 (2)

Data: 29/09 a 05/10

Tema: Como chegar onde Deus quer?
Salmo: Lucas 1,68-79 (Benedictus)
Leitura:Salmo 119 (118) 25-40


Graça e Paz a toda igreja que se reúne nas casas!

   

Introdução:O Salmo 118 nos faz o convite para entregarmos nosso caminho a Deus e trilharmos os seus caminhos. Para isso precisamos:

 

1 – Permitir a Deus mudar o nosso caminho“Não me deixes segui o caminho errado; com a tua bondade, ensina-me a tua lei” (versículo 29).

 

            Deus é educado, Ele espera nossa permissão para agir em nossa vida, porém é preciso deixar que Deus nos conduza por onde Ele quiser. O caminho do coração, das emoções e às vezes até da razão é perigoso, escuro e incerto. “Há caminhos que parecem certos, mas podem acabar levando para a morte.” (Provérbios 14,12)

 

            O convite de Deus a todos nós é que cheguemos onde Ele quer, para que Ele possa revelar grandes coisas a nós, para isso, precisamos confiar a Ele tudo o que diz respeito a nossa vida. “Ponha sua vida nas mãos do Senhor, confie nele, e ele o ajudará” (Salmo 36,5).

 

2- Permitir que Deus nos ensine a andar nos seus caminhos“Ó Senhor Deus, ensina-me a entender as tuas leis, e eu sempre as seguirei.” (versículo 33).

 

Nós necessitamos ser ensinados por Deus. Através da sua Palavra, pois ser ensinável é uma das características do discípulo de Jesus. E Deus em sua bondade nos ensina o seu caminho. Uma vez que estamos sendo ensinados por Deus, precisamos andar nos seus caminhos, pois estamos em uma caminhada. Uma coisa é eu saber o caminho que me leva ao Rio de Janeiro, outra coisa é eu entrar por este caminho e chegar lá. A Palavra de Deus nos ensina o caminho da vida. A Palavra de Deus é a verdade, mas cuidado, pois Satanás vai tentar nos enganar através de falsas doutrinas, e nos desviará para caminhos que conduzem ao precipício (Veja II Timóteo 4,3-4).

 

3- Desviar-se do mal para perseverar nos caminhos do Senhor.

 

            “Não me deixes ficar pensando em coisas sem valor; sê bondoso para comigo, como prometeste” (versículo 37).

 

            Quem quiser perseverar nos caminhos de Deus deve travar uma luta contra o mal: “Porque na luta contra o pecado vocês ainda não tiveram de combater até a morte” (Hebreus 12, 4)

 

            É preciso lutar, fugindo das ocasiões do pecado:

 

                        - da aparência do mal – I Tessalonicenses 5,22;

 

                        - da prostituição – I Coríntios 6,18;

 

                        - da idolatria (apego aos bens e pessoas) I Coríntios 10,14;

 

                        - do amor ao dinheiro I Timóteo 6,9-11.

 

            Não devemos permitir que o pecado por menor que pareça ser, mortal ou venial, se estabeleça em nossa vida sem ser combatido, pois ele nos tomará escravos. “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem peca é escravo do pecado” (João 8,34).

 

            Conclusão: Deus quer que você voe alto, que seja grande, que seja cabeça e não cauda, que você seja um líder de verdade, alguém que possa fazer a diferença neste mundo e que não seja apenas mais um. Permita que Ele mude os seus passos e Ele te ensinará a chegar onde Ele quer.

 

PERGUNTAS

 

        1. Você tem certeza que está onde Deus quer?

2. Se você ainda não está, o que está faltando?

 

 

 

  5 º passo - Entrega (oração) – 10 min

  • Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  • Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  • Orar por todas as pastorais e movimentos;
  • Pelos encontros de formação de líderes;
  • Orar pelo Padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  • Orar pelos vigários, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  • Orar pelo Papa Francisco e pelo nosso administrador diocesano;
  • Por todo trabalho de células;
  • Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  • Orar pelos aniversariantes do mês;
  • Pelo estabelecimento do escritório “Católicos em células”, em Campo Grande - MS, para dar suporte às paróquias que querem implantar células. Por todas as paróquias e comunidades que estão em processo de transição para implantação das células.
  • Pai Nosso, Ave Maria, Glória.

            Avisos

             - Informamos a todas as células que o Diácono Mauro realiza Plantão de Atendimento e Oração para as células, todas as segundas-feiras, às 19h30, na Capela do Santíssimo.

           

- Vem aí a Semana de Avivamento Celular. De 13 a 19 de outubro, às 19h30, na Igreja. Neste ano contaremos com a presença do Padre Silvio, todos os dias conosco. Será um tempo especial, onde todos poderão participar. É um evento aberto a toda comunidade, portanto, convide seus amigos para estarem conosco nestes dias!

            - No dia 19 de outubro, teremos a nossa tradicional FESTA DAS TENDAS! Neste dia, onde celebramos as bênçãos de Deus nas nossas células iremos fazer a nossa tradicional celebração, iniciando com a Santa Missa, às 19h30, e logo em seguida teremos a Festa no Pátio da Igreja. Para quer possamos tornar a festa um momento marcante e de partilha, pedimos que cada membro de célula colabore com a doação de um prato de salgado e um refrigerante.

           

 

 

Pagina 27 de 34

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

| 3ª feira | 19h30
| 4ª feira | 10h e 19h30
| 5ª feira | 7h, 12h15 e 19h30
| 6ª feira | 7h e 15h
| sábado | 19h (Igreja e CP4)
| domingo | 7h30, 10h, 12h,
17h30 e 19h30

Confissões

| 5ª feira | 9h30
| 6ª feira | 9h30
| Sábado | 10h

(chegar com 40 minutos
de antecedência)

Programação de 12 a 18/02/2018

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site