ENSINA-NOS SENHOR, A DEDICAR TEMPO
SILÊNCIO E ATENÇÃO À ESCUTA DA VOSSA PALAVRA

Evento Fe e Negocios Banner Site

Se o grão de trigo não morrer... | 03 a 09/04/2017

Tema: Se o grão de trigo não morrer...

Salmo: 49 (NTLH)
Leitura: Jo 12,23-28


Daqui a poucos dias o mundo cristão - católico estará se explodindo na grande aleluia da ressurreição, da páscoa do Senhor ressuscitado. Estamos passando pela quaresma, esperando por este grande dia, e vamos celebrá-lo com toda alegria na certeza de que Ele venceu a morte e vivo está, para nunca mais morrer.

Até lá, Ele mesmo nos convida a aprender com Sua própria vida as lições deste tempo “privilegiado” que antecede a Sua ressurreição; tempo mais difícil, de sofrimento extremo pelos quais passou até a pior morte, passando por humilhações e traições a começar dos mais próximos.

Ao se aproximar do dia em que seria morto, nosso Senhor anuncia este fato, e mais uma vez usa de uma realidade de sua região para anunciar o acontecimento que mudaria a história da humanidade: “É chegada a hora em que será glorificado o filho do homem. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai por terra não morrer, permanecerá só, mas se morrer, produzirá muito fruto”. (Jo 12,23-24).

Nosso Senhor nos mostra algumas fortes verdades neste episódio:

 NÃO HÁ VITÓRIA SEM BATALHA, E NEM RESSURREIÇÃO SEM MORTE.
- Jesus veio nos oferecer uma proposta de vida que contrasta com este mundo, nos ensinou que para viver é preciso morrer, que para vencer é preciso perder: “Quem ama a sua vida, não terá a vida verdadeira, mas quem não se apega a sua vida, neste mundo, ganhará para sempre a vida verdadeira, quem quiser me servir, siga-me” (Jo 12,25) Sua morte é a maior prova de amor que já se viu na história da humanidade: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos”(Jo 15,13)
O sentido deste grão, que vai para debaixo da terra é justamente este sentido de morrer para si para que a vida nasça e floresça. Ele renunciou a si mesmo: “Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo....,humilhou-se ainda mais tornando-se obediente até a morte e morte de cruz, por isto Deus o exaltou soberanamente e Lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes” (Fl 2,7-9) 
Ele morreu para si mesmo quando venceu e resistiu as tentações do demônio, tentações de diversas dimensões e necessidades: da fome, do poder, da soberba, orgulho, prepotência (Mt 4,1-11) 

TRIGO QUE SE TORNA ALIMENTO
Jesus poderia ter escolhido outro tipo de alimento, outro fruto para referir-se a Sua morte, mas a escolha do trigo, além desta dimensão de morte e vida, que vai para o fundo da terra e gera outros frutos, tem ainda a dimensão do se tornar Pão, que alimenta a nossa vida e ainda acompanha o sentido de perder-se, deixar-se “triturar”, ser esmagado para virar farinha e tornar-se alimento. E, sem dúvida, antevemos aqui o PÃO DIVINO, A EUCARISTIA, que mais adiante ele vai anunciar e que se tornará alimento para toda a vida: “Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim, jamais terá sede” (Jo 6,35) e na última ceia: “Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu e deu-lhes dizendo: “Isto é o meu corpo que é dado por vós” (Lc 22,19-20)

MORRERMOS PARA NÓS MESMOS
Ao dizer que teremos que morrer para vencer, perder para ganhar, Jesus não está ensinando o derrotismo, Ele está nos ensinando que teremos que morrer para a nossa tendência para o mal, para as inclinações que nos separam de uma vida sadia, plena, que nos separa do amor perfeito de Deus. Morrermos para o nosso orgulho, inveja, raivas, falta de perdão, soberba, avareza, inimizades, contendas, entre outras marcas da natureza humana decaída. Quando nos dispusermos a ir por terra com estes vícios eles irão morrer e iremos “renascer”. Uma outra pessoa, “ressuscitada”, “transfigurada” que ocupará o lugar do trigo que já não será mais trigo, mas uma planta a produzir outros frutos, uma farinha “triturada” para uma “quaresma vivida” na própria carne, na própria vida pessoal.  
A quaresma precisa ser uma “experiência de vida”, do morrer daquele grão de trigo que passa por uma “metamorfose”, morrer para se transformar em uma planta que dará muitos frutos, e para não nos perdermos nas comparações. Seria bem produtivo se elegêssemos em nossa vida o que mais eu sei que me afasta do amor de Deus e de dos meus mais próximos: em casa, no trabalho, na comunidade; o que é? Inimizades? Ofensas dadas e recebidas? Falta de perdão? Mágoas? Traições? 

O QUE FALTA MORRER EM MIM PARA QUE EU ME TRANSFORME? PARA QUE EU RENASÇA, ME LIBERTE, QUAL O PESO QUE ME ATORMENTA? O QUE ME TIRA A PAZ TODOS OS DIAS?

Se você identificou esta trave que te segura, te amarra, assuma agora a tarefa de elimina-la, de matá-la, de leva-la para debaixo da terra (UM DOS MELHORES CAMINHOS PARA ISTO ACONTECER É UMA BOA CONFISSÃO) para que você possa ir se transformando, se transfigurando, e assim, a páscoa vai acontecendo todos os dias em nossa vida e não somente no seu tempo litúrgico. É o grão de trigo que morre, transforma-se e produz muitos outros frutos. É o homem velho (mulher velha) morrendo e nascendo um novo homem (nova mulher).

 

Perguntas:
1) Quero ir por terra e morrer para mim mesmo?
2) O que preciso fazer para que eu produza mais frutos?


AVISO:
1) Parabéns à Equipe de Formação e por todos os que participaram do retiro realizado nos últimos dias 11 e 12 de março. Oremos por todos os que participaram e pela sua perseverança.

2) Acessem a webradio PES de CRISTO toda sexta-feira, às 20h15, para acompanhar o programa Católicos em Células. Divulguem em suas redes.

4º Passo= Evangelização

5º Passo= Entrega (Oração) | 10 minutos

  1. Orar uns pelos outros (após breve partilha);
  2. Orar pelas células, áreas e redes, líderes, supervisores e coordenadores;
  3. Orar por todas as pastorais e movimentos;
  4. Pelos encontros de formação de líderes;
  5. Orar pelo padre Luis Fernando, para que tenha sabedoria, discernimento e revelação para o pastoreio da visão celular e da paróquia;
  6. Orar pelo vigário, diáconos, por toda a liderança paroquial e funcionários;
  7. Por todo trabalho de células;
  8. Orar pelas células que ainda não se multiplicaram este ano;
  9. Orar pelos aniversariantes do mês;
  10. Orar pela nossa escola de formação permanente (ECEFP)
  11. Orar pelo nosso Bispo Dom Cesar.
  12. Orar pelo 1º congresso paroquial para líderes em junho

 

“DEUS ABENÇOE SUA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL, SUA SEMANA, SUA FAMÍLIA, SUA REDE E SUA CÉLULA”

Cada casa, uma célula que cresce e se multiplica; cada membro, um discípulo e missionário de Jesus Cristo.

Missas

2ª feira: 7h (Celebração)
3ª feira: 7h e 19h30
4ª feira: 7h e 19h30 (Setor)
5ª feira: 7h, 12h15 e 19h30
6ª feira: 7h e 15h 
Sábado: 17h (Primeira Eucaristia) 19hB (Igreja e CP4)
Domingo: 7h30, 10h, 12h, 17h30
e 19h30

Programação válida de 20/10 a 26/11

Confissões

Essa semana somente para crianças que vão fazer a primeira eucaristia

3ª feira: 17h30 e 19h30
4ª feira: 17h e 19h30
5ª feira: 9h30 e 11h
6ª feira: 17h e 19h
Sábado: 10h 

Chegar com 40 minutos de antecedência

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(12) 3931-2959

Avenida Cassiopéia, 461
Jardim Satélite, São José dos Campos/SP
12230-011

 

Regiao Pastoral V Banner site